Vítor Figueiredo

 
Arquiteto (Figueira da Foz, 1929 - Lisboa, 2004)
 
 

DADOS FAMILIARES:

EDUCAÇÃO E FORMAÇÃO:

1959 — Conclusão do curso de Arquitetura, Escola de Belas-Artes do Porto, com 19 valores, apresentando o projeto Habitação em São João do Estoril ao Concurso para a Obtenção do Diploma de Arquiteto.

CARGOS E FUNÇÕES:

1957-1959 — Ainda enquanto estudante do curso de Arquitetura colabora com Leonardo Castro Freire, Zinho Antunes, Maurício de Vasconcellos, Nuno Teotónio Pereira e Januário Godinho.

1960 — Inicia a sua atividade como profissional liberal.

1960-1989 — No desempenho da sua atividade como profissional liberal dedica-se quase em exclusivo a programas habitacionais, colaborando, essencialmente em projetos oficiais, com as Habitações Económicas — Federação de Caixas de Previdência (HE-FCP), o Fundo de Fomento da Habitação (FFH), o Instituto Nacional da Habitação (INH) e várias autarquias (destacando-se as de Lisboa e de Setúbal).

1963 — É nomeado arquiteto regional para a zona de Santarém da Rede de Arquitetos Regionais das HE-FCP, entidade com a qual colabora, sempre em regime de avença, até à sua extinção (1972).

1965 — Abre o seu próprio ateliê, Vítor Figueiredo, Gabinete de Arquitectura, Lda., onde mantém atividade até à data da sua morte (2004).

1977-1985 — Diretor da revista Domus, propriedade da Cooperativa Habitacional União dos Trabalhadores (CHUT).

1997-2001 — Docente (Professor Convidado) da licenciatura em Arquitetura da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra.

2004 — À data da sua morte, docente do Departamento de Arquitetura da Universidade Autónoma de Lisboa.

ESTUDOS, PROJETOS

E INTERVENÇÕES:

1960-1964 — Conjunto Habitacional dos Olivais-Sul (Célula C), Lisboa: coautor, com Vasco Lobo, do projeto de construção do conjunto de edifícios de habitação multifamiliar, num total de 360 fogos, obra promovida pelo Gabinete Técnico de Habitação da Câmara Municipal de Lisboa (GTH-CML).

1961-1969 — Bairro de Santa Maria, Peniche: coautor, com Eduardo Trigo de Sousa, dos projetos de urbanismo e de construção do conjunto de edifícios de habitação multifamiliar, num total de 220 fogos, obra promovida pelas HE-FCP para a Casa dos Pescadores daquela localidade.

1962 — Igreja do Sagrado Coração de Jesus, Lisboa: coautor, com Vasco Lobo, Nuno Teotónio Pereira e Nuno Portas, do projeto de construção elaborado para o Secretariado das Novas Igreja do Patriarcado de Lisboa e premiada com o Prémio Valmor/Prémio Municipal de Arquitetura.

1962 — Conjunto Habitacional da CUF, Bairro Novo, Barreiro: autor dos projetos de desenho urbano e de construção do conjunto de edifícios de habitação multifamiliar, num total de 180 fogos, obra promovida pelas HE-FCP em conjunto com aquela unidade fabril.

1963 — Conjunto Habitacional em Constância, Constância: coautor, com Luís Noronha da Costa, do anteprojeto e projeto de construção do conjunto de edifícios de habitação multifamiliar, num total de 70 fogos, promovido pela empresa fabril CAIMA PUP, Co, Lda — não edificado.

1963 — Conjunto Habitacional de Santo Estêvão, Benavente: autor do projeto de construção do conjunto habitacional formado por moradias unifamiliares, num total de 40 fogos, obra promovida pelas HE-FCP para a Casa do Povo local.

1963 — Conjunto Habitacional em Salvaterra de Magos, Salvaterra de Magos: autor do projeto de construção do conjunto de edifícios de habitação multifamiliar, num total de 20 fogos, obra promovida pelas HE-FCP para a Casa do Povo local.

1964 — Unidade Hospitalar para a Caixa Sindical da CUF, Barreiro: autor do anteprojeto para a construção de um posto médico (com a capacidade assistencial de uma unidade hospitalar particularmente desenvolvida no seu serviço ambulatório) para aquela unidade fabril.

1964 — Conjunto Habitacional para a Companhia Nacional de Fiação e Tecidos de Torres Novas, Torres Novas: autor do projeto de construção do conjunto de edifícios de habitação unifamiliar, num total de 100 fogos, obra promovida pelas HE-FCP em conjunto com aquela unidade fabril.

1965 — Conjunto Habitacional em Alcobaça, Alcobaça: autor do projeto de construção do conjunto habitacional, num total de 80 fogos, obra promovida pelas HE-FCP.

1965 — Conjunto Habitacional em Benavente, Benavente: autor do projeto de construção do conjunto habitacional, num total de 170 fogos, obra promovida pelas HE-FCP.

1966 — Lote urbano na vila da Chamusca, Chamusca: coautor, com Beatriz Madureira, do projeto de construção da habitação unifamiliar de um só piso.

1966 — Bairro residencial da Base Aérea número 11, Beja: autor do projeto de construção do conjunto de edifícios de habitação multifamiliar de quatro a cinco pisos, num total de 104 fogos, obra promovida pela Comissão Administrativa das Novas Instalações para as Forças Armadas (CANIFA) do Ministério das Obras Públicas.

1966 — Conjunto Habitacional em Fontelas, Peso da Régua: autor do projeto geral de construção do conjunto de edifícios de habitação unifamiliar, num total de 8 fogos, obra promovida pelas HE-FCP.

1967 — Conjunto Habitacional de Monsanto, Alcanena: autor do projeto geral de construção do conjunto de edifícios de habitação unifamiliar, num total de 12 fogos, obra promovida pelas HE-FCP.

1968 — Conjunto Habitacional da Fábrica de Papel do Almonda, Torres Novas: autor do projeto de construção do conjunto de edifícios de habitação unifamiliar, num total de 52 fogos, obra promovida pelas HE-FCP.

1968 — Conjunto Habitacional em Estarreja, Estarreja: coautor, com Eduardo Trigo de Sousa, do projeto de construção do conjunto de edifícios de habitação multifamiliar, num total de 76 fogos, obra promovida pelas HE-FCP.

1969 — Bairro das Amendoeiras e Olival / Zona I2 de Chelas, Marvila, Lisboa: coautor, com Vasco Lobo, do projeto de construção do conjunto de edifícios de habitação multifamiliar (lotes 47, 48, 49, 50, 66, 67, 68, 69 e 70), integrados na área do Plano de Urbanização de Chelas (onde reutiliza e adapta o modelo utilizado para os Olivais), num total de 560 fogos, obra promovida pelo GTH-CML.

1969 — Conjunto Habitacional para a Companhia Portuguesa de Cimentos Brancos, Cibra, Alcobaça: autor do projeto de construção do conjunto de edifícios de habitação unifamiliar, num total de 64 fogos, obra promovida pelas HE-FCP em conjunto com aquela unidade fabril.

1970 — Restaurante Mestre Zé no Guincho, Cascais: coautor, com Ferreira da Silva, do projeto de construção do complexo recreativo com restaurante, bar e piscina sobre a praia.

1970 — Conjunto Habitacional em Castanheira de Pera, Castanheira de Pera: coautor, com Eduardo Trigo de Sousa, do projeto de construção do conjunto de edifícios de habitação multifamiliar, num total de 33 fogos, obra promovida pela empresa José Tomás Henriques Sucrs, Lda.

1970 — Jazigo em Luanda, Angola: coautor, com Eduardo Trigo de Sousa e Luís Noronha da Costa, do projeto de construção.

1970 — Habitação em Tremês, Santarém: coautor, com Eduardo Trigo de Sousa, do projeto de construção da habitação unifamiliar.

1970-1972 — Conjunto Habitacional em Peniche: autor do projeto de construção do conjunto de habitação multifamiliar num total de 120 novos fogos, recuperação da malha urbana preexistente, arranjo de espaços verdes e equipamento integrado, obra promovida pelas HE-FCP.

1972 — Edifícios de habitação na Avenida de Roma, Lisboa: autor do projeto de construção de três edifícios de habitação multifamiliar, nos gavetos nascente e poente das ruas Alberto Oliveira e António Patrício, e no gaveto nascente das ruas Afonso Lopes Vieira António Patrício, num total de 24 fogos, obra promovida pelas HE-FCP.

1972 — Conjunto Habitacional na Nazaré, Nazaré: coautor, com Eduardo Trigo de Sousa, do estudo base para o projeto de construção do conjunto de edifícios de habitação multifamiliar, num total de 141 fogos, obra promovida pelas HE-FCP; nesta obra ensaia, pela primeira vez, o modelo que seguiria em Chelas, cinco unidades em banda com três a cinco pisos e duas torres de sete pisos com distribuição e circulação por galerias. A fase projetada ocuparia o terreno sobrante do Bairro dos Pescadores, prevendo-se uma segunda fase com a utilização de unidades idênticas.

1972 — Unidade de Habitação na Costa da Caparica, Almada: autor do projeto de construção da unidade de habitação multifamiliar, com 25 fogos, onde reutiliza/adapta o desenho da célula/fogo utilizado em Peniche (1969), obra promovida pelo FFH.

1973 — Conjunto Habitacional Companhia de Papel de Porto de Cavaleiros, Tomar: coautor, com Eduardo Trigo de Sousa, do anteprojeto para a construção do conjunto de edifícios de habitação multifamiliar, num total de 30 fogos, obra promovida pelas HE-FCP.

1973 — Habitação de Maria Madalena Farrajota Cavaco e António Baptista Correia, em Vale do Lobo, Loulé: coautor, com Jorge Silva, do projeto de construção de duas habitações secundárias unifamiliares.

1973-1975 — Cinco dedos / Lotes 249 a 253 do Plano de Urbanização de Chelas, Lisboa: coautor, com Eduardo Trigo de Sousa, contando com a colaboração de Jorge Gil, do projeto de construção do conjunto de edifícios de habitação multifamiliar (onde utiliza e adapta o modelo experimentado na Nazaré), num total de 321 fogos, obra promovida pelo GTH-CML.

1974 — Habitação do Bairro do Rosário / Habitação Mota Maia, Cascais: coautor, com Ferreira da Silva, do projeto de construção da habitação secundária unifamiliar.

1974 — Diversas habitações unifamiliares e um conjunto turístico, em Cabanas, Tavira: autor dos projetos de construção.

1975-1978 — Plano Diretor do Paço do Lumiar, Lisboa: autor do estudo de urbanismo elaborado para a CML.

1975-1980 — Conjunto Habitacional do Alto do Zambujal, Amadora: coautor, com Duarte Cabral de Mello e Jorge Gil, dos projetos de urbanismo e de construção do conjunto de edifícios de habitação multifamiliar, num total de 800 fogos, obra promovida pelo FFH e premiada com o Prémio Nacional AICA.

1976-1977 — Bairro da Azeda, Setúbal: coautor, com Duarte Cabral de Mello, do desenho urbano, elaborado a partir do Plano de Pormenor (da autoria do arquiteto Nunes de Almeida), e do projeto de construção dos edifícios de habitação multifamiliar, num total de 200 fogos, obra promovida pela Câmara Municipal de Setúbal (CMS) e premiada com o Primeiro Prémio Programas Habitacionais concedido por esta autarquia.

1977-1978 — Edifícios na Rua de São Bento, números 167, 173 e 175 A e B, Lisboa: coautor, com Jorge Gil, do projeto de construção dos três edifícios de habitação multifamiliar, obra promovida pela Santa Casa da Misericórdia de Lisboa.

1978 — Conjunto habitacional na Praça de Portugal, Setúbal: coautor, com Jorge Gil, Luís Faro Viana e António Costa Pinheiro, dos projetos de urbanismo e de construção do programa habitacional, que contempla um conjunto de edifícios de habitação multifamiliar, c. 250 fogos, equipamento e serviços, promovido pela CMS.;

1978 — Monumento a Bento de Jesus Caraça, Setúbal: coautor, com Eduardo Trigo de Sousa, do projeto de construção, obra promovida pela CMS.

1978 — Conjunto Habitacional em Oliveira do Hospital, Coimbra: coautor, com Jorge Gil, do projeto de construção do conjunto de edifícios de habitação multifamiliar, num total de 93 fogos, onde reutiliza, com adaptações, o desenho do Alto do Zambujal, obra promovida pelo FFH.

1978-1988-1999-2003 — Igreja e Convento dos Remédios, Évora: coautor, com Luís Faro Viana, do projeto de recuperação do imóvel com programa de utilização, que inclui salas de exposições e instalações para artistas e artesãos, e projeto final de arquitetura, obra promovida pela Câmara Municipal de Évora.

1980-1981 — Edifício da Caixa Geral de Depósitos no Lumiar, Lisboa: coautor, com Jorge Gil e Luís Faro Viana, do projeto de construção, obra promovida por aquela instituição bancária.

1987 — Edifício da Filial da Caixa Geral de Depósitos de Beja, Beja: coautor, com Nuno Gonçalves, Diogo Zuquete, Jorge Pinto, Óscar Praga Santos, Manuel Guerra, Manuel dos Santos e Fernando Batista, do projeto de construção, obra promovida por aquela instituição bancária.

1988-1989 — Pavilhão Gimnodesportivo de Miraflores, Oeiras: coautor, com Diogo Zuquete, do projeto de construção, obra promovida pela Câmara Municipal de Oeiras e galardoada com a Menção Honrosa do Prémio de Arquitetura Conde de Oeiras.

1990-1996 — Escola Superior de Artes Decorativas das Caldas da Rainha, Leiria: autor do projeto de construção, obra promovida pelo Instituto Politécnico de Leiria e galardoada com o Prémio Secil de Arquitetura em 1998.

1990-1993 — Igreja de Albergaria de Fusos, Cuba: coautor, com Jorge Filipe Pinto, do projeto de construção, obra promovida pela Diocese de Beja.

1991-1993 — Marbrito, Vila Viçosa: coautor, com Filipe Figueira Alves, do projeto de construção das instalações industriais, obra promovida por aquela unidade fabril.

1992 — Reitoria da Universidade de Aveiro, Aveiro: autor de um projeto de construção do edifício central, submetido a concurso de ideias promovido pela Universidade de Aveiro — não edificado.

1992-1995 — Polo da Mitra da Universidade de Évora, Évora: autor do projeto de construção das novas instalações, obra promovida pela Universidade de Évora.

1997-2000 — Complexo Pedagógico Científico e Tecnológico da Universidade de Aveiro, Aveiro: autor do projeto de construção, contando com a colaboração de Nuno Arenga e Gonçalo Afonso Dias nos segundo e terceiro programa-base, obra promovida pela Universidade de Aveiro e galardoado com a Menção Honrosa na categoria de Obra de Qualidade Excecional 2000-2003 pela entidade promotora.

2001-2003 — Plano de Pormenor das Praias de Transição, Almada: autor do projeto de urbanismo, integrado no Programa Pólis da Costa da Caparica.

RELAÇÕES PESSOAIS

E PROFISSIONAIS:

OUTROS DADOS BIOGRÁFICOS:

— Ainda enquanto estudante de Arquitetura colabora com Leonardo Castro Freire, Zinho Antunes, Maurício de Vasconcellos, Nuno Teotónio Pereira e Januário Godinho.

— No âmbito da sua atividade enquanto profissional liberal colaborou com diversos arquitetos, desenhadores, engenheiros e técnicos de construção: António Costa Pinheiro, António Noiva, Areosa Feio, Armando Manuel, Beatriz Madureira, Borges Rayagra, Carlos Calvet, Costa Lobo, Diogo Zuquete, Duarte Cabral de Mello, Eduardo Trigo de Sousa, Eduardo Trindade, Erasto Machado, Ernesto Ferreira, Fernando Batista, Fernando Carvalheda, Ferreira da Silva, Filipe Figueira Alves, Gastão Ricou, Gentil Noras, Gonçalo Afonso Dias, Horácio Cruz, João Seguro, Jorge Filipe Pinto, Jorge Gil, Jorge Silva, José António Crespo, José Gil, José Manuel Ferreira, Luís Faro Viana, Luís Filipe Caixinhas, Luís Moreira, Luís Noronha da Costa, Manuel dos Santos, Manuel Guerra, Margarida Vieira, Nuno Arenga, Nuno Gonçalves, Nuno Portas, Nuno Teotónio Pereira, Octávio Freitas, Óscar Praga Santos, Pedro Lobo, Rui Laranjinha, Valdemiro Garcia, Vasco Lobo e Vítor Silva.

— Enquanto docente da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra privou com Fernando Távora, Alexandre Alves Costa, Domingos Tavares, Raul Hestnes Ferreira, Manuel Tainha e Gonçalo Byrne.

1963; 1974-1976 — Faz parte dos órgãos sociais do Sindicato Nacional dos Arquitetos.

1975 — É galardoado, em conjunto com Vasco Lobo, Nuno Teotónio Pereira e Nuno Portas, com o Prémio Valmor/Prémio Municipal de Arquitetura pelo projeto de construção da Igreja do Sagrado Coração de Jesus, em Lisboa.

1981 — Integra, por convite, o primeiro ciclo da mostra de projetos de arquitetura ARCO — Centro de Arte e Comunicação.

1982 — Convidado a apresentar a sua obra nos Seminários de Arquitetura da Escola Superior de Belas-Artes do Porto.

1983 — Participa nos Encontros de Macau, a convite da revista La Architecture de Aujourd Hui.

1986 — É galardoado, em conjunto com Duarte Cabral de Mello e Jorge Gil, com o Prémio Nacional da Associação Internacional de Críticos de Arte, patrocinado pela Secretaria de Estado da Cultura, pelo projeto de construção do Conjunto Habitacional do Alto do Zambujal.

1986 — Participa na III Exposição de Artes Plásticas, realizada na Fundação Calouste Gulbenkian.

1989 — É galardoado com o Prémio dos Programas Habitacionais, Distrito de Setúbal, pelo projeto de construção do Bairro da Azeda, em Setúbal.

1991 — A sua obra é apresentada na EUROPÁLIA’91, em Bruxelas, Bélgica, na qual Portugal foi país-tema.

1993 — Participa na exposição Arquitectura Contemporânea, realizada na Fundação de Serralves.

1997 — Participa na exposição organizada por ocasião da 49.ª Feira do Livro de Frankfurt, na qual Portugal foi país-tema, onde apresenta os seus projetos para a Escola Superior de Arte e Design das Caldas da Rainha e para o Polo da Mitra da Universidade de Évora.

1998 — Recebe o Prémio Secil de Arquitetura pelo projeto de construção da Escola Superior de Arte e Design das Caldas da Rainha.

1998 — Recebe uma Menção Honrosa do Prémio de Arquitetura Conde de Oeiras, atribuída pela Câmara Municipal de Oeiras, pelo projeto de construção do Pavilhão Gimnodesportivo de Miraflores.

1999 — É conferencista convidado do curso de especialização Projectar no Tempo, realizando uma conferência em Barcelona, o curso é uma organização conjunta da Universidade Lusíada e da Escola Tècnica Superior de Arquitectura da Universitat Politècnica de Catallunya.

2003 — Participa na exposição Desenho nas Cidades, Arquitectura em Portugal 2003, realizada no âmbito da V Bienal de São Paulo, onde apresenta o seu projeto para o Polo da Mitra da Universidade de Évora.

2004 — Participa na exposição Designar nele Città, realizada no âmbito da Trienal de Milão 2004.

2005 — Recebe, a título póstumo, a Menção Honrosa na categoria de Obra de Qualidade Excecional 2000-2003, atribuída pela Câmara Municipal de Aveiro, pelo Complexo Pedagógico, Científico e Tecnológico do Campus de Santiago (Universidade de Aveiro).

FONTES ARQUIVÍSTICAS:

CML: Arquivo Municipal

IHRU: Arquivo Pessoal de Vítor Manuel de Almeida Figueiredo: acervo documental com um âmbito cronológico que vai do final da década de 50 do séc. XX ao ano 2004, é constituído por: 55 caixas de documentação textual; 20 caixas de documentação bibliográfica; 10 caixas de objetos do autor; 6 caixas de documentação fotográfica (provas, negativos e diapositivos); 7 caixas (3497 peças) e 3 arquivadores verticais (1158 peças) de documentação gráfica.

BIBLIOGRAFIA

DO AUTOR:

FIGUEIREDO, Vítor (dir.) — Domvs. Almada: Cooperativa Habitacional União dos Trabalhadores, 1977-1985.

BIBLIOGRAFIA

SOBRE O AUTOR:

AGRUPAMENTO de Casas Económicas de Olivais-Sul. Lisboa: Direcção-Geral dos Edifícios e Monumentos Nacionais, Direcção dos Serviços de Construção de Casas Económicas, [s.d.].

ATHOUGUIA, Ruy de; BAPTISTA, Luís V. Cidade e Habitação Social: O Estado Novo e o Programa das Casas Económicas em Lisboa. Lisboa: Celta Editora, 1999.

BECKER, Annette; TOSTÕES, Ana; WANG, Wilfried (dir.) — Arquitectura do século XX. Portugal. Lisboa; Munique: Prestel, 1997.

BOLETINS do Gabinete Técnico da Habitação. Lisboa: Câmara Municipal de Lisboa, mar./abr. 1965, vol. 1, n.º 5; mai./jun. 1965, n.º 6; set./out. 1965, n.º 8; nov./dez. 1965, n.º 9; vol. 2, 1.º semestre 1966, n.º 10; 1.º semestre 1966, n.º 11; 2.º semestre 1968, n.º 17; vol. 3, 1.º semestre 1971, n.º 20; vol. 6, 2.º semestre 1978, n.º 35.

COSTA, Rui Seco da — Conceitos e Experimentação de Desenho Urbano em Portugal: do Modernismo à Revisão dos Modelos. Lisboa: s. n., 2006, dissertação de mestrado em Arquitetura apresentada ao Departamento de Arquitetura da Faculdade de Ciência e Tecnologia da Universidade de Coimbra.

DUARTE, Carlos — “Memórias de Olivais-Sul”. Jornal dos Arquitectos. Lisboa: Ordem dos Arquitectos, jan./fev. 2002, n.º 204.

FERNANDEZ, Sergio — Percursos, Arquitectura Portuguesa, 1930/1974. Porto: FAUP publicações, 1988.

FERREIRA, Maria Júlia — Habitação Social em Portugal: Breve História e Alguns Problemas. Lisboa: s.n., 1988, trabalho de apresentação de provas de aptidão pedagógica e capacidade científica apresentado à Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa, texto policopiado.

FILGUEIRAS, Octávio Lixa — Da Função Social do Arquitecto, para uma Teoria da Responsabilidade numa Época de Encruzilhada. 2.ª ed. Porto: Edições do curso de Arquitectura da Escola Superior de Belas-Artes do Porto, 1985.

FRANCISCO, Luís Pedro A. C. — Lisboa: Experiências Pioneiras em Habitação Social e Políticas de Habitação. Lisboa: s.n., 2002, dissertação de mestrado em Arquitetura de Habitação apresentada à Universidade Técnica de Lisboa, texto policopiado.

GRAÇA, Joana — Contabilidade Analítica. Plano Integrado do Zambujal. Lisboa: Fundo Fomento de Habitação, 1986.

GROS, Marielle Christine —"Pequena história do alojamento social em Portugal". Sociedade e Território. Lisboa: mai. 1994, n.º 20, pp. 80-90.

GROS, Marielle Cristine — O Alojamento Social Sob o Fascismo. Porto: Afrontamento, 1982.

HE.FCP Colectânea de Estudos de Habitação, Publicação de Circulação Restrita, mai. 1962, ano 1, n.º 1; out. 1963, n.º 9.

http://ulisses.cm-lisboa.pt/marvila/index.html, 2010-6-8.

http://vivermarvila.blogs.sapo.pt/, 2010-6-8.

INQUÉRITO à Arquitectura do Século XX em Portugal. Lisboa: Ordem dos Arquitetos, 2006.

LAMAS, José — Morfologia Urbana e Desenho da Cidade. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian/JNICT, 1988.

MANUAL da Habitação. Lisboa, IGAPHE, 1995.

MELLO, Duarte Cabral“Vítor Figueiredo/arquitecto”. Arquitectura. Lisboa, out. 1979, n.º 135, pp. 25-67.

MORADIAS Construídas ao Abrigo da Lei n.º 2092. Porto: Habitações Económicas — Federação de Caixas de Previdência, s. d. [posterior a 1958, data da lei].

NEVES, José Manuel das (dir.) — Anuário de Arquitectura, Interiores e Design. Lisboa: Estar Editora, 1997.

NEVES, José Manuel das (dir.) — Anuário de Arquitectura. Casal de Cambra: Caleidoscópio, 1999.

PERCURSOS de Arquitectura. Lisboa: Associação dos Arquitetos Portugueses, 1994.

PEREIRA, Nuno Teotónio — “A Federação de Caixas de Previdência — 1947-1969”. Jornal dos Arquitectos. Lisboa: Associação dos Arquitectos Portugueses, mar./abr./mai. 1983, n.ºs 16, 17 e 18.

PEREIRA, Nuno Teotónio — “A Federação de Caixas de Previdência — 1947-1972”. Escritos (1947-1996, selecção). Porto: FAUP publicações, 1996.

PORTAS, Nuno (coord.); AA.VV. — Habitação Para o Maior Número. Portugal,os Anos de 1950-1980. Lisboa: Instituto da Habitação e da Reabilitação Urbana; Câmara Municipal de Lisboa, 2013.

RAMOS, Rui — A Casa, Arquitectura e Projecto Doméstico na Primeira Metade do Século XX Português. Porto: FAUP publicações, 2010.

RELATÓRIO da Actividade do Ministério no ano de 1950. Lisboa: Ministério das Obras Públicas, 1951.

RELATÓRIO da Actividade do Ministério no ano de 1959. Lisboa: Ministério das Obras Públicas, 1960, vol. I.

TAVARES, Maria — "Leituras da produção [moderna] da casa: as HE nos anos 50 e 60 em Portugal". Resdomus. Porto: Grupo FCT Atlas da Casa, Centro de Estudos de Arquitectura e Urbanismo, 2010 www.resdomus.blogspot.com [2010].

TAVARES, Maria — Federação de Caixas de Previdência — Habitações Económicas. Um Percurso na História da Arquitectura da Habitação em Portugal. Lisboa. s. n., 2003, dissertação de mestrado apresentada à Faculdade de Arquitetura da Universidade Técnica de Lisboa, texto policopiado.

TAVARES, Maria — “Leituras de um percurso na habitação em Portugal: as Habitações Económicas-Federação de Caixas de Previdência”. In: PORTAS, Nuno (coord.) — Habitação Para o Maior Número. Portugal,os Anos de 1950-1980. Lisboa: Instituto da Habitação e da Reabilitação Urbana; Câmara Municipal de Lisboa, 2013, pp. 21-46.

TAVARES, Maria — “Habitações Económicas — Federação de Caixas de Previdência: uma perspectiva estratégica [nos anos 1950 e 1960 em Portugal]”. Actas do I CIHEL. I Congresso Internacional do Espaço Lusófono. Lisboa: Argumentum, 2010.

TOSTÕES, Ana — Os Verdes Anos na Arquitectura Portuguesa dos Anos 50. Porto: FAUP publicações, 1997.

ASSINATURA E RUBRICA:

PRODUÇÃO:

Paula Tereno, dezembro 2012

ATUALIZAÇÃO:

Paula Tereno, novembro 2013

REVISÃO CIENTÍFICA:

 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login