Bairro das Amendoeiras e Olival / Zona I de Chelas

IPA.00029300
Portugal, Lisboa, Lisboa, Marvila
 
Conjunto arquitetónico residencial multifamiliar. Habitação económica de promoção pública estatal (FFH). Bairro composto por diversos conjuntos residenciais de média densidade, destinados a habitação e edifícios de equipamento público, integrado em área urbana sujeita a plano de urbanização desenvolvido nas décadas de 1960 e 1970. Traçado urbano planeado orgânico ou organicista. Edifícios de 5 a 11 pisos, de tipologia habitacional nos pisos superiores e não habitacional em alguns pisos térreos. O projeto de arquitetura, matriz C, utilizado nos lotes 17 a 20 e 31 a 34, foi também aplicado na Rua das Mães d'Água (v. PT031115030031), no Bairro da Flamenga (v. PT031106211632) em Lisboa, bem como no Bairro da Fundação Salazar Nova e no Bairro Arco-Íris (v. PT031014010033), ambos em Peniche. As várias tipologias de fração encontram-se distribuídas pelos lotes do seguinte modo: Lote 1 - 3 lojas e 82 fogos (40 T2 e 42 T3); Lote 2A - 13 fogos T3; Lote 2B - 16 fogos (1 T1 e 15 T3); Lote 3A - 17 fogos T3; Lote 3B - 20 fogos (1 T1 e 19 T3); Lote 4 - 29 fogos (1 T1, 18 T3 e 10 T4); Lote 9 - 2 lojas e 13 fogos (2 T2, 3 T3 e 8 T4); Lote 10 - 2 lojas e 15 fogos (3 T2, 4 T3 e 8 T4); Lote 11 - 2 lojas e 15 fogos (4 T2, 3 T3 e 8 T4); Lote 12 - 2 lojas e 15 fogos (3 T2, 4 T3 e 8 T4); Lote 13 - 2 lojas e 15 fogos (4 T2, 3 T3 e 8 T4); Lote 14 - 1 loja e 13 fogos (2 T2, 3 T3 e 8 T4); Lote 15 - 70 fogos (40 T2 e 30 T3); Lote 17 - 1 loja e 19 fogos (11 T2 e 8 T3); Lote 18 - 10 fogos (2 T2 e 8 T4); Lote 19 - 10 fogos (2 T2 e 8 T4); Lote 20 - 19 fogos (10 T2, 8 T3 e 1 T4); Lote 30 - 13 lojas e 28 fogos (1 T1, 9 T3 e 18 T5); Lote 34 - 2 lojas e 19 fogos (9 T2, 9 T3 e 1 T4); Lote 35 - 46 fogos (16 T2 e 30 T3); Lote 60 - 2 lojas e 9 fogos (2 T2, 3 T3 e 4 T4); Lote 60A - 2 lojas e 9 fogos (2 T2, 2 T3 e 5 T4); Lote 62 - 3 lojas e 25 fogos (1 T1, 6 T3 e 18 T5); Lote 63 norte - 4 lojas e 17 fogos T3; Lote 63 sul - 20 fogos (1 T1 e 19 T3); Lote 64 - 2 lojas e 16 fogos (1 T1 e 15 T3); Lote 65 corpo 1 - 2 lojas e 17 fogos T3; Lote 65 corpo 2 - 2 lojas e 17 fogos (1 T1 e 16 T3); Lote 65A corpo 1 - 2 lojas e 23 fogos T3; Lote 65A corpo 2 - 2 lojas e 22 fogos (1 T1 e 21 T3); Lote 65B - 32 fogos (1 T1, 19 T3 e 12 T4); Lote 66 - 70 fogos (28 T2, 28 T3 e 14 T4); Lote 67 - 70 fogos (28 T2, 28 T3 e 14 T4); Lote 68 - 1 loja e 70 fogos (28 T2, 28 T3 e 14 T4) e Lote 105 - 3 lojas e 22 fogos (1 T1, 7 T2 e 14 T3).
Número IPA Antigo: PT031106211614
 
Registo visualizado 1936 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Conjunto arquitetónico  Edifício  Residencial multifamiliar  Habitação económica  Promoção pública estatal (FFH)  

Descrição

O Bairro das Amendoeiras e Olival, antigas zonas I1 e I2 de Chelas, é atravessado pelo eixo estruturante da Avenida Dr. Augusto de Castro, dividindo-se a área em dois núcleos habitacionais. É composto por 121 edifícios organizados através de traçado orgânico planeado, a que correspondem 2.590 fogos e cerca de 10.360 habitantes, originando uma densidade de 287 hab./ha. Este local foi submetido ao Plano Parcial de Urbanização da Zona I, elaborado pela Divisão de Planeamento do Gabinete Técnico da Habitação da Câmara Municipal de Lisboa (CML). O terreno da Zona I é constituído por encostas de declive suave. No seguimento do plano dos Olivais, face às necessidades prementes de realojamento, foi decidido recorrer, para o efeito, na área de Chelas, a dois locais situados nas Zonas I e J. A zona I é assim das mais antigas do PUC e começou a ser construído pelo Fundo de Fomento da Habitação, no início da década de 1970. Entre 25 de abril e 10 de maio de 1974, são ocupados ilegalmente quinhentos e setenta e cinco fogos que se encontravam em construção. Entre 1974 e 1975 são ocupados mais trezentos e oitenta e nove fogos. Os fogos ocupados foram posteriormente concluídos. Nos 35 edifícios pertencentes ao IHRU existe um total de 55 lojas, das quais 24 foram alienadas e 925 fogos (11 T1, 245 T2, 494 T3, 139 T4 e 36 T5) dos quais 26 foram alienados. Os edifícios têm o seguinte número de pisos: Lotes 15, 17 a 20, 34, 60 e 60A - 5 pisos; Lotes 1 e 35 - 5 pisos e cave; Lotes 2A, 9, 14, 62, 66 a 68 - 7 pisos; Lotes 2B, 10, 11, 12, 13, 64 e 105 - 8 pisos; Lote 65 corpo 2 - 8 pisos e cave; Lotes 3A, 30, 63 norte e 65 corpo 1 - 9 pisos; Lotes 3B e 63 sul - 10 pisos; Lotes 4 e 65A corpo 2 - 11 pisos; Lotes 65A corpo 1 e 65B - 12 pisos. Em 1989, o projeto de recuperação de fundos vazados origina várias frações, nomeadamente: lojas - nos lotes nºs 4, 60, 60A e 65B (quatro lojas tipo quiosque); fogos - lotes 10, 12 e 60 (três T0), lotes 9, 11, 13, 14 e 60A (cinco T1). Entre os principais equipamentos existentes destacam-se a Escola Básica do 1º ciclo, nº 195 e Jardim de Infância de Marvila Nº 4, a Escola Básica do 1º Ciclo Dr. Manuel Teixeira Gomes e Jardim de Infância de Marvila Nº 2 e a Escola Secundária D. Dinis. Os edifícios constituem bandas de grande dimensão, acompanhadas por bolsas com espaços verdes, ondulando através do território e criando um traçado urbano orgânico. A construção é maioritariamente de cérceas elevadas sendo as cores predominantes o branco, o verde e o salmão.

Acessos

Avenida Marechal Gomes da Costa; Avenida Doutor Augusto de Castro

Protecção

Inexistente

Enquadramento

Urbano, integrado na área do Plano de Urbanização de Chelas - PUC (v. PT031106211625), localizado no seu limite Este. A Norte encontra-se a antiga zona H onde se localiza o edifício da ex-DIALAP (atual sede da RTP) (v. PT031106211635), a Este o núcleo antigo de Marvila, a Sul o Bairro do Condado, antiga zona J (v. PT031106211630) e a Oeste o Bairro da Flamenga, antiga zona N1 (v. PT031106211632). O bairro é delimitado a Oeste pela Rua Salgueiro Maia, paralela e próxima do eixo central (Avenida Santo Condestável). O lado Poente fica implantado em encosta pouco acentuada e o lado Nascente maioritariamente em terreno plano. A Sul encontra-se a Avenida Marechal António de Spínola, principal eixo transversal de Chelas.

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Não aplicável

Utilização Actual

Não aplicável

Propriedade

Pública: Estatal de administração indireta; Pública: Municipal; Privada: Pessoa Singular e Pessoa Coletiva.

Afectação

Sem afetação

Época Construção

Séc. 20

Arquitecto / Construtor / Autor

ARQUITETO: Francisco Silva Dias (Plano de Urbanização de Chelas - zona I) / Vassalo Rosa (Plano de Urbanização de Chelas - zona I) / Helder Almeida (lotes 17, 18, 19, 20, 31, 32, 33 e 34) / Joaquim Francisco da Silva Gomes (lotes 1, 15, 16, 35 e 36) / Raul Cerejeiro, José Pacheco (lotes 2A, 2B, 3A, 3B, 4, 5, 6, 7, 8, 28, 29, 30, 62, 63, 64, 65, 65A e 65B) / Vítor Figueiredo (lotes 48, 49, 50, 66, 67, 68, 69 e 70) / Joel Sant'Ana (Escola Básica do 1º Ciclo Nº 195 e Jardim de Infância de Marvila Nº 4) / Carlota Moniz (Escola Básica do 1º Ciclo Dr. Manuel Teixeira Gomes e Jardim de Infância de Marvila Nº 2) / José Aguiar, João Pernão (2009: estudo de cor lotes 1, 15 e 35); ENGENHEIRO CIVIL: Simões Coelho (Plano de Urbanização de Chelas - zona I) / Álvaro Serafim Silvestre (1988: conservação/recuperação dos lotes 1, 15,17, 18, 19, 20 e 35).

Cronologia

1969, 28 maio - criação do Fundo de Fomento da Habitação (FFH), contribuindo para a resolução do problema habitacional dos indivíduos não beneficiados pelas Caixas de Previdência ou outras instituições semelhantes, e face à crescente afluência de população migrante a viver em aglomerações de construções precárias; projeto de arquitetura da Escola Básica do 1º Ciclo nº 195 e Jardim de Infância de Marvila nº 4; projeto de arquitetura da Escola Básica do 1º Ciclo Dr. Manuel Teixeira Gomes e Jardim de Infância de Marvila nº 2; 1971 - lançamento da empreitada nº5/A/71 para construção dos lotes 67 e 68; lançamento da empreitada nº5/B/71 para construção dos lotes 9, 10, 11, 12, 13 e 14; lançamento da empreitada nº5/C/71 para construção dos lotes 64, 65, 65A e 65B; consignação da empreitada de construção da Escola Básica do 1º Ciclo nº 195 e Jardim de Infância de Marvila nº 4; consignação da empreitada de construção da Escola Básica do 1º Ciclo Dr. Manuel Teixeira Gomes e Jardim de Infância de Marvila nº 2; 29 dezembro - adjudicação das empreitadas nº 6/A/71 - lote 15, nº 6/B/71 - lotes 18 e 19 e nº 6/C/71 - lotes 1, 2, 3, 4 e 30, para "Construção de 291 habitações na zona I de Chelas", à empresa EMPEC, pelo contrato nº 25/71; 1972 - conclusão da construção da Escola Básica do 1º Ciclo nº 195 e Jardim de Infância de Marvila nº 4; conclusão da construção da Escola Básica do 1º Ciclo Dr. Manuel Teixeira Gomes e Jardim de Infância de Marvila nº 2; 10 janeiro - escritura de promessa de compra e venda a celebrar entre a Câmara Municipal de Lisboa e o FFH de lotes de terreno destinados à construção de 124 fogos (lote 60 - 9 fogos, lote 60A - 9 fogos, lote 63 - 36 fogos, lote 66 - 70 fogos) para a Administração Geral do Porto de Lisboa, 46 fogos (lote 35) para a Polícia de Segurança Pública e 19 fogos (lote 34) para a Obra Social do Ministério das Obras Públicas e Comunicações; 1973 - consignação da empreitada nº 2/73 - lotes 60, 60A, 63, 66; 31 Outubro - consignação da empreitada nº 3/73, "Construção de 81 fogos na zona I de Chelas", lotes 17, 20, 34 e 62, adjudicada a João Anacleto Tello, por contrato nº 45/73 de 19 de outubro de 1973; 1974, 10 março - conclusão das obras do lote 3; Abril - ocupação dos lotes 34, 60 e 60A; maio - ocupação do lote 14; 10 maio - conclusão das obras dos lotes 2, 4, 9, 10, 11, 12, 13, 15, 18, 19 e 105; setembro - conclusão das obras do lote 1; novembro - ocupação dos lotes 20 e 35; 1975, junho - ocupação do lote 17; 1 agosto - conclusão das obras dos lotes 20, 30, 62, 63, 64, 65, 65A, 65B, 67 e 68; novembro - conclusão e ocupação do lote 66; 31 dezembro - auto de receção provisória da empreitada nº 3/73, lotes 17, 20, 34 e 62; 1976, 1 junho - conclusão das obras do lote 17; 1 novembro - conclusão das obras do lote 34; 1980, 3 março - auto de receção provisória e definitiva do lote 30 - empreitada nº 6/C "Construção de 291 habitações na zona I de Chelas"; 1982, 29 maio - extinção do FFH, cujo processo se prolonga até 1987, período durante o qual a gestão do bairro está a cargo da Comissão Liquidatária do Fundo de Fomento da Habitação; 1984 - projeto da sede do Clube de Futebol de Chelas na zona I2 realizado pelo Arquiteto Souza Afonso (não construído); 1986 / 1987 - projeto de igreja paroquial para a zona I1 realizado pelo Arquiteto Sousa Afonso (não construído); 1987, 26 Fevereiro - criação do Instituto de Gestão e Alienação do Património Habitacional do Estado (IGAPHE); a propriedade do bairro é transferida para este instituto; 1988, abril - lançamento do concurso da empreitada nº 20/DGHL/88, projeto de conservação/recuperação de 256 fogos no Plano de Urbanização de Chelas, lotes 1, 15, 17, 18, 19, 20 e 35; 6 junho - ato público do concurso para arrematação da empreitada nº 20/DGHL/88; 18 julho - assinatura do contrato nº 23/DGHL/88 para execução da empreitada por série de preços nº 20/DGHL/88, adjudicada a José França Marques da Rosa e Irmãos, Lda.; 8 agosto - auto de consignação da obra da empreitada nº 20/DGHL/88; 1989, 20 janeiro - auto de receção provisória parcial dos lotes 17 e 35 da empreitada nº 20/DGHL/88; 27 janeiro - auto de receção provisória parcial do lote 1 da empreitada nº 20/DGHL/88; 3 abril - IGAPHE aprova o projeto "Recuperação de fundos vazados do P. U. Chelas"; 10 maio - auto de receção provisória parcial dos lotes 15, 18, 19 e 20 da empreitada nº 20/DGHL/88; 1992, 14 janeiro - auto de receção definitiva da empreitada nº 20/DGHL/88; 2002, 5 novembro - fusão do IGAPHE com o Instituto Nacional da Habitação (INH); 2005, 1 fevereiro - celebração de auto de cessão (rectificado em 17 de Maio) que procede à transferência do património do ex-IGAPHE no Bairro das Amendoeiras para a Fundação D. Pedro IV; 2007, julho - com a criação do Instituto da Habitação e da Reabilitação Urbana (IHRU), a propriedade do bairro passa para este novo organismo; 26 setembro - celebração de auto de cessão que procede à reversão da transferência do património do ex-IGAPHE no Bairro das Amendoeiras, para a Fundação D. Pedro IV, com efeitos reportados a 1 de agosto de 2007; último trimestre - encetado o processo de negociação para a venda dos fogos aos moradores; 2009 - IHRU faz proposta de reabilitação dos lotes 1, 15 e 35, com base num estudo de cor desenvolvido pela Faculdade de Arquitetura da Universidade Técnica de Lisboa; este estudo foi previamente discutido entre a Câmara Municipal de Lisboa, o IHRU, o Instituto de Gestão Financeira da Segurança Social, o Instituto de Ação Social das Forças Armadas e a GEBALIS, entidades proprietárias de património edificado neste bairro, e a Junta de Freguesia de Marvila; fevereiro - na sessão inaugural das comemorações dos 50 anos da freguesia de Marvila, foi apresentado e assinado um protocolo entre a Câmara Municipal de Lisboa e o IHRU, para a execução do "Viver Marvila", Programa de Reabilitação e Desenvolvimento Integrado para seis dos bairros da freguesia: Armador, Condado, Lóios, Flamenga, Amendoeiras e Olival; março - sessões de trabalho "Olhar para cuidar", organizadas pelo programa "Viver Marvila", tendo como objetivo recolher informação que permita melhorar a qualidade de vida no bairro.

Dados Técnicos

Estrutura de betão armado em pórtico. Paredes em alvenaria de tijolo.

Materiais

Betão armado, tijolo cerâmico, argamassa de cimento, telha cerâmica, tinta plástica, estores em PVC.

Bibliografia

Boletim do GTH - Gabinete Técnico da Habitação da Câmara Municipal de Lisboa, nº 5, vol. 1, mar./abr.1965; Boletim do GTH - Gabinete Técnico da Habitação da Câmara Municipal de Lisboa, nº 6, vol. 1, mai./jun.1965; Boletim do GTH - Gabinete Técnico da Habitação da Câmara Municipal de Lisboa, nº 8, vol. 1, set./out.1965; Boletim do GTH - Gabinete Técnico da Habitação da Câmara Municipal de Lisboa, nº 9, vol. 1, nov./dez.1965; Boletim do GTH - Gabinete Técnico da Habitação da Câmara Municipal de Lisboa, nº 10, vol. 2, 1º semestre1966; Boletim do GTH - Gabinete Técnico da Habitação da Câmara Municipal de Lisboa, nº 11, vol. 2, 1º semestre1966; Boletim do GTH - Gabinete Técnico da Habitação da Câmara Municipal de Lisboa, nº 17, vol. 2, 2º semestre 1968; Resultados da iniciativa "Olhar para Cuidar" in http://ulisses.cm-lisboa.pt/marvila/index.html, 2010-6-8; http://vivermarvila.blogs.sapo.pt/, 2010-6-8.

Documentação Gráfica

IHRU

Documentação Fotográfica

IHRU: SIPA

Documentação Administrativa

IHRU (Bairro nº 3001)

Intervenção Realizada

IGAPHE: 1988, lançamento de nove empreitadas de grande conservação: nº 16/DGHL/88, nº 17/DGHL/88, nº 18/DGHL/88, nº 19/DGHL/88, nº 20/DGHL/88, nº 21/DGHL/88, nº 22/DGHL/88, nº 23/DGHL/88, nº 24/DGHL/88, num total de 1980 fogos; Agosto - conservação/recuperação de 256 fogos nos lotes 1, 15, 17, 18, 19, 20 e 35 - pinturas, impermeabilizações, reparações de janelas, tratamento de portas exteriores, proteções metálicas e juntas de dilatação. IHRU: 2009 - reparação de infiltrações e de roturas de esgotos; limpeza de coberturas; reparações diversas; 3 Agosto - início das obras de reabilitação do lote 1; 10 Setembro - apresentação do estudo de cor a aplicar nos edifícios aos representantes dos lotes 1, 15 e 35 e à Comissão de Moradores do Bairro das Amendoeiras; 2010 - reparações diversas; Abril - início das obras de reabilitação do lote 15 com aplicação do estudo de cor.

Observações

Autor e Data

Teresa Ferreira 2010

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login