Igreja Paroquial do Coração de Jesus / Igreja do Sagrado Coração de Jesus

IPA.00023036
Portugal, Lisboa, Lisboa, Santo António
 
Arquitectura religiosa, modernista. Igreja paroquial. Desenvolvida em vários níveis a estrutura arquitectónica apresenta uma envolvência centrada no altar de modo a "enfatizar a assembleia dos fiéis nos actos litúrgicos". Através dos materiais usados (betão armado, painéis e blocos pré-fabricados) dá-se uma noção de perenidade ao edifício. Prémio Valmor de 1975.
Número IPA Antigo: PT031106141079
 
Registo visualizado 4763 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Religioso  Templo  Igreja paroquial  

Descrição

Acessos

Rua Camilo Castelo Branco, n.º 4

Protecção

Categoria: MN - Monumento Nacional, Decreto n.º 18/2010, DR, 1.ª série, n.º 250 de 28 dezembro 2010 / Incluído na Zona Especial de Proteção Conjunta dos imóveis classificados da Avenida da Liberdade e área envolvente

Enquadramento

Urbano.

Descrição Complementar

O órgãotem 942 tubos, divididos em três secções, o Positivo, o Eco e a Pedaleira. O primeiro tem 10 registos, compondo um Flautado de 12, a Oitava Real, a Dezena, a Quinzena, a Dezanovena, Cheio a 4 vozes, Trombeta marinha, Falutado tapado de 12 palmos, Flautado tapado de 6 palmos, Voz humana. O Eco tem 8 registos, com o Flautado tapado de 12 palmos, Flautado tapado de 6 palmos, Flauta doce, Faluta de ponta, Voz humana, Flauta doce oitava, Corneta de 3 vozes, Chirimia. A Pedaleira tem 6 registos, com Contra de flautado de 24 palmos, Bordão, Oitava real, Cheio a 3 vozes, Sacabucha e Trombeta Marinha.

Utilização Inicial

Religiosa: igreja paroquial

Utilização Actual

Religiosa: igreja paroquial

Propriedade

Privada: Igreja Católica (Diocese de Lisboa)

Afectação

Sem afectação

Época Construção

Séc. 20

Arquitecto / Construtor / Autor

ARQUITETOS: António Reis Cabrita (1961); Duarte Cabral Melo (1966-1970); Júlio de Saint-Maurice (1966-1970); Luís de Almeida Moreira (1961); Luís Vassalo Rosa (1961); Miguel Chalbert (1966-1970); Nuno Portas (1961); Nuno Teotónio Pereira (1961); Pedro César Vieira de Almeida (1962-1970); Vítor Manuel de Almeida Figueiredo (1961). CONSTRUTORES: ENGIL (1966-1970); Honorato Henriques, Lda. (1966-1970); SOPECATE (1965-1966). ENGENHEIROS: António Azevedo Cordeiro (1966-1970); João Lobo Fialho (1961), João Malato (1961), José Camacho Rodrigues (1966-1970); José Teixeira Trigo (1961); Rui Júdice Gamito (1961); Sebastião Alves Sanfins (1966-1970). António Viana Barreto (arranjo paisagístico).

Cronologia

1955 - o pároco Luís Martins Aparício e um grupo de paroquianos iniciam um movimento para a construção de uma nova igreja e de um centro paroquial; 1956 - constituição de uma Comissão para a construção da nova igreja, presidida pelo Conde de Caria, Bernardo Mendes de Almeida; 31 Março - compra de um terreno por 7 mil contos, recorrendo-se, para tal, a empréstimos bancários; 1958 - estudo urbanístico pelo arquitecto Formosinho Sanchez, para a Câmara Municipal de Lisboa definir os condicionamentos do projecto; 1960 - primeiras sondagens no terreno; 1961, Novembro - abertura do concurso para o projecto do imóvel, tendo concorrido 14 projectos; 1962 - escolha do projecto vencedor, da autoria dos arquitectos Nuno Portas e Nuno Teotónio Pereira e dos engenheiros Rui Júdice Gamito e João Lobo Fialho; contaram com a colaboração do Padre Avelino Rodrigues, perito em liturgia, e dos arquitectos Pedro César Vieira de Almeida (1933-2011), Luís Vassalo Rosa, António Reis Cabrita, Luís de Almeida Moreira e Vítor Manuel de Almeida Figueiredo e dos engenheiros João Malato e José Teixeira Trigo; 1963 - aprovação do projecto pela Câmara de Lisboa, depois de algumas rectificações; 1964, 25 Maio - entra na Câmara Municipal de Lisboa o projecto final; 1965 - adjudicação da obra das Fundações à empresa SOPECATE; 1966, 22 Maio - com as fundações concluídas, foi lançada a primeira pedra, com a presença do cardeal patriarca, Manuel Gonçalves Cerejeira e do Ministro das Obras Públicas, Arantes de Oliveira; 1966, 14 Novembro - contrato de empreitada com a firma ENGIL; 1966 - 1970 - as obras foram acompanhadas pelos arquitectos Duarte Cabral Melo, Júlio de Saint-Maurice e Miguel Chalbert; a iluminação foi da responsabilidade de José Camacho Rodrigues, a ventilação e aquecimento de Sebastião Alves Sanfins e a acústica e som de António Azevedo Cordeiro; as construções especiais estiveram a cargo de Honorato Henriques, Lda.; 1966 - celebração da primeira missa no local; construção do órgão pela firma de Morthampton, em Inglaterra, Alfred E. Davies & Son, Ldt.; 1970, 19 Junho - benção da igreja e sagração do Altar; 21 Junho - abertura da igreja ao culto; 1975 - foi-lhe atribuído o Prémio Valmor desse ano; 2004, 18 junho - Despacho do presidente do IPPAR a pedir a eventual classificação do edifício; 2005, 18 março - Despacho de abertura do processo de classificação pelo presidente do IPPAR; 02 setembro - proposta da DRLisboa propondo a classificação como Imóvel de Interesse Público; 2009, 25 setembro - Despacho de homologação da classificação como Monumento Nacional, do Ministro da Cultura.

Dados Técnicos

Materiais

Bibliografia

Benção da Igreja do Santíssimo Coração de Jesus e Consagração do altar, Lisboa, 19 Junho 1970; PEDREIRINHO, José Manuel, Dicionário de arquitectos activos em Portugal do Séc. I à actualidade, Porto, Edições Afrontamento, 1994; TOSTÕES, Ana e GRANDE, Nuno - Nuno Teotónio Pereira. Nuno Portas. Aveleda: Verso da História, 2013.

Documentação Gráfica

IHRU: Arquivo pessoal de António Viana Barreto

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID, Arquivo pessoal de António Viana Barreto

Documentação Administrativa

IHRU: Arquivo pessoal de António Viana Barreto

Intervenção Realizada

Observações

EM ESTUDO

Autor e Data

João Machado 2005

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login