Pelourinho de Oliveira do Hospital

IPA.00000972
Portugal, Coimbra, Oliveira do Hospital, União das freguesias de Oliveira do Hospital e São Paio de Gramaços
 
Pelourinho quinhentista sem remate, mas que pertenceria aos monumentos de tipo pinha, agora empobrecido pela perda do pináculo, pois a terminação em pinha torsa é característica da gramática manuelina.
Número IPA Antigo: PT020611120008
 
Registo visualizado 215 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Estrutura  Judicial  Pelourinho  Jurisdição de ordem militar  Sem remate

Descrição

Estrutura em cantaria de granito, composto por soco quadrangular de três degraus, com moldura superior boleada, com o inferior semi-enterrado no pavimento. Neste assenta uma base de secção circular, de altura superior aos degraus, onde se levanta um fuste torso constituído por quatro toros unidos em movimento helicoidal, e sobre este um capitel octogonal ornado de quadrifólios, faltando o remate.

Acessos

Largo Conselheiro Cabral Metelo. WGS84 (graus decimais) lat.: 40.359155; long.: -7.862245

Protecção

Categoria: IIP - Imóvel de Interesse Público, Decreto nº 23 122, DG, 1ª série 231 de 11 outubro 1933

Enquadramento

Urbano, destacado, frente aos Paços do Concelho.

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Judicial: pelourinho

Utilização Actual

Cultural e recreativa: marco histórico-cultural

Propriedade

Pública: estatal

Afectação

Autarquia local, Artº 3º, Dec. nº 23 122, 11 Outubro 1933

Época Construção

Séc. 16 / 20

Arquitecto / Construtor / Autor

Desconhecido.

Cronologia

1122 - D. Teresa na menoridade de D. Afonso I doa à Ordem dos Hospitalários a herdade entre Bobadela e Oliveira, mais tarde aumentada por doações particulares, formando a freguesia de São João do Hospital; 1288 - a freguesia denomina-se Santa Cruz; 1379, 17 Agosto - D. Afonso IV confirma-lhe a jurisdição por Carta de Sentença; 1514 - D. Manuel I concede-lhe foral em Lisboa, fazendo referência ao foral antigo que indica ser particular, talvez concedido pela Ordem do Hospital; provável construção do pelourinho; 1577, 20 Outubro - carta de Confirmação Geral de D. Sebastião; 1708 - a povoação, com 350 vizinhos, pertence à Provedoria da Guarda; tem juiz ordinário, vereadores, procurador do concelho, escrivão da câmara, juiz dos órfãos com seu escrivão e um tabelião; 1758, 20 Junho - nas Memórias Paroquiais, é referido que a povoação, com 73 fogos, pertence à Ordem de Malta, tendo 2 juízes ordinários; séc. 19, anos 50 - o pelourinho encontra-se implantado no Largo da Cadeia, em Ervedal da Beira, tendo sido transferido para o Largo do Lameiro onde existe ainda a pedra base com a cavidade do fuste, semi- enterrada; posteriormente, é levado para a freguesia de Oliveira do Hospital onde serviu de apoio a varanda antes de ocupar o presente lugar; 1956 - a DGEMN após artigo de Jornal (NETO, 1956), envia técnicos a Ervedal da Beira e Oliveira do Hospital, seguindo-se a elaboração de estimativa de custos para a transferência do pelourinho de Oliveira do Hospital para Ervedal da Beira; 1956, 05 Dezembro - despacho do Ministro das Obras Públicas, E. Arantes de Oliveira, para que a obra seja feita, mas acabando por não transitar para Ervedal da Beira; 1998 - Junta de Freguesia de Ervedal da Beira solicita imformação à DGEMN sobre a identificação dos pelourinhos em causa.

Dados Técnicos

Sistema estrutural autónomo.

Materiais

Estrutura em cantaria de granito.

Bibliografia

AZEVEDO, Correia de, Terras com Foral ou Pelourinho das Províncias do Minho, Trás-os-Montes e Alto Douro e Beiras, Porto, 1967; CORREIA, Virgílio, Inventário Artístico de Portugal, Distrito de Coimbra, Lisboa, 1952; COSTA, António Carvalho da (Padre), Corografia Portugueza…, vol. II, Lisboa, Valentim da Costa Deslandes, 1708; Informação Turística do Concelho de Oliveira do Hospital, Oliveira do Hospital, 1980; MALAFALA, E.B. Ataíde, Pelourinhos Portugueses - tentâmen de inventário geral, Lisboa, Imprensa Nacional - Casa da Moeda, 1997; MATA, Nuno, O Pelourinho de Oliveira do Hospital, in Jornal O Novo Cábula, n.º 8, Março 1998; NETO, Manuel da Silva, Pelourinho Ervedal da Beira, in Jornal O Diário de Coimbra, 03 Março 1956; Património Arquitectónico e Arqueológico Classificado, Distrito de Coimbra, IPPAR, Lisboa, 1993; Pelourinhos, Inventário Conforme o Inquérito Determinado pelo Decreto n.º 23 122, de 11 de Outubro de 1933, Lisboa, 1935; http://www.patrimoniocultural.pt/pt/patrimonio/patrimonio-imovel/pesquisa-do-patrimonio/classificado-ou-em-vias-de-classificacao/geral/view/73755 [consultado em 23 agosto 2016].

Documentação Gráfica

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID, DGEMN/DREMC

Documentação Administrativa

IHRU: DGEMN/DSID, DGEMN/DREMC; DGARQ/TT: Livro de Forais Novos da Beira (fl.143v, col.1ª), Memórias Paroquiais (vol. 26, n.º 27, fl. 235-236)

Intervenção Realizada

Nada a assinalar.

Observações

Autor e Data

João Cravo e Horácio Bonifácio 1992 / Teresa Furtado 1998

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login