Ermida de São Pedro

IPA.00000912
Portugal, Beja, Serpa, União das freguesias de Serpa (Salvador e Santa Maria)
 
Arquitectura religiosa, manuelina, maneirista, popular, vernácula. A planimetria e a composição arquitectónica datam da época manuelina, como se depreende da utilização de contrafortes escalonados coroados por pináculos cónicos rodeados por merlões chanfrados e de outros elementos secundários. Do período maneirista são as pinturas murais da abóbada da nave, com emoldurações de feição clássica com óvulos, tal como os fragmentos de talha com elementos vegetalistas, troféus militares e mascarões, integrados em colunas jónicas, que foram reutilizados no retábulo do altar-mor. Não obstante estes elementos de cariz erudito, o edifício é fortemente tributário da tradição construtiva vernacular, de feição regional. A igreja destaca-se fundamentalmente pelo carácter festivo que lhe é dado pela marcação dos contrafortes escalonados e pela qualidade das pinturas murais e dos fragmentos que subsistem do retábulo do altar-mor.
Número IPA Antigo: PT040213040014
 
Registo visualizado 1240 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Religioso  Templo  Capela / Ermida  

Descrição

Planta longitudinal, escalonada, composta por nártex, nave e capela-mor mais estreita, a que se adossam, do lado esquerdo, a sacristia e construções anexas. Volumes articulados. Coberturas diferenciadas em terraço no nártex e na capela-mor, em domo na sacristia, em telhado de duas águas na nave e em telhado de uma água nas dependências anexas. Alçado principal orientado a O., de pano único definido por contrafortes em escorço e rematado por platibanda, mais elevada no seu troço central, rasgado por arco de volta perfeita emoldurado e apoiado em pilastras octogonais; em segundo plano, no topo da nave em empena, eleva-se um pequeno campanário com olhal em arco de volta perfeita rematado por empena com cruz de ferro. Alçado lateral S. de cinco panos definidos por contrafortes escalonados coroados por pináculos cónicos, rodeados por merlões chanfrados; o primeiro pano, correspondente ao nartex, é rematado por platibanda e rasgado por arco de volta perfeita emoldurado e assente em pilastras descarregando em murete; os segundo, terceiro e quarto panos são rematados por cornija e apresentam gárgulas de escoamento de águas pluviais, vendo-se no último uma estreita fresta; o quinto pano, correspondente à capela-mor, é cego e rematado por cornija. Alçado N. de dois panos correspondentes ao nartex e ao corpo dos anexos, rematado por beirado e rasgado por porta e janela; em plano recuado o corpo da sacristia e da nave cujos contrafortes se encontram embebidos pelo corpo dos anexos. Alçado E. de um pano, correspondente à capela-mor e sacristia, rematado por cornija, com fresta de iluminação na sacristia; pináculos piramidais nos ângulos contornando o domo. Nártex com cobertura em abóbada de cruzaria de ogivas e portal de verga recta adintelada comunicando com a nave. INTERIOR: nave única dividida em três tramos por arcos-diafragma que se prolongam através de pilastras até ao nível do pavimento; cobertura em abóbada de berço integralmente revestida por pinturas murais, divididas em seis painéis, com predela, apresentando cada, a par, imagens dos apóstolos, identificados por legendas a preto*: São Mateus e São Matias (?), Santo André e São João Evangelista, São Simão e São Judas Tadeu, São Tiago Menor e São Felipe, e São Tomé e São Tiago Maior (?), São Bartolomeu e São Paulo. Nas paredes laterais, em cada tramo, rasga-se um arco de volta perfeita cego; à direita de quem entra, abre-se uma janela quadrada engradada e sobre o portal óculo semi-circular rasgado no centro de composição mural alusiva à estigmatização de São Francisco de Assis e à entrega do rosário a São Domingos de Gusmão. Arco triunfal de volta perfeita e acesso à capela-mor por dois degraus; cobertura em abóbada de cruzaria de ogivas, com as nervuras pintadas a azul e os panos com pinturas murais de temática vegetalista estilizada. Mesa de altar de alvenaria tendo ao centro pintado o emblema de São Pedro; sobre a mesa de altar escultura de São Pedro sob baldaquino pintado e dourado; altar de espaldar de madeira, pintada a cor rosa e branca, no qual se integram fragmentos de talha dourada; ao centro pequeno crucifixo; as paredes laterais são revestidas superiormente por pinturas murais alusivas a cenas da vida de São Pedro; da banda do Evangelho abre-se a porta de acesso à sacristia. Pia baptismal em pedra.

Acessos

Eira de São Pedro

Protecção

Em estudo

Enquadramento

Urbano, isolado, destacado, no meio de um terreiro arborizado.

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Religiosa: ermida

Utilização Actual

Religiosa: ermida

Propriedade

Privada: Igreja Católica (Diocese de Beja)

Afectação

Sem afectação

Época Construção

Séc. 16 / 17 / 19

Arquitecto / Construtor / Autor

Cronologia

Séc. 16 - construção; Séc. 16, segunda metade - Séc. 17 - pinturas murais e elementos de talha reaproveitados no actual retábulo do altar-mor; Séc. 19 - adição das dependências anexas.

Dados Técnicos

Estrutura mista

Materiais

Paredes de alvenaria de pedra e cal, rebocadas e caiadas, cobertura em telha de canudo, tijoleira e telha lusa, elementos secundários de cantaria, pavimento de tijoleira e mosaico hidráulico.

Bibliografia

Documentação Gráfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Administrativa

Intervenção Realizada

Observações

* As legendas identificativas de cada apóstolo estão incorrectas relativamente aos seus atributos.

Autor e Data

José Falcão e Ricardo Pereira 1997 / Rosário Gordalina 1998

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login