Pelourinho de Penacova

IPA.00000894
Portugal, Coimbra, Penacova, Penacova
 
Antigo pelourinho seiscentista, transformado em cruzeiro, tendo desaparecido o remate e o capitel, substituídos por cruz latina. Soco quadrangular de dois degraus e fuste em coluna toscana.
Número IPA Antigo: PT020613070003
 
Registo visualizado 231 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Estrutura  Judicial  Pelourinho  Jurisdição senhorial  Sem remate

Descrição

Estrutura em cantaria de granito, composta por soco quadrangular de três degraus, onde assenta a base cúbica e um fuste em forma de coluna toscana, encimado por gola e capitel liso, sobre o qual foi colocada uma pedra a servir de imposta, onde assenta a cruz simples em pedra.

Acessos

Travessa do Cruzeiro. WGS84 (graus decimais) lat.: 40,270643; long.: -8,279180

Protecção

Categoria: IIP - Imóvel de Interesse Público, Decreto nº 23 122, DG, 1ª série 231 de 11 outubro 1933

Enquadramento

Urbano, destacado, num largo envolvido por casario, junto ao local do antigo castelo.

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Judicial: pelourinho

Utilização Actual

Religiosa: cruzeiro

Propriedade

Pública: municipal

Afectação

Sem afectação

Época Construção

Séc. 17 (conjectural)

Arquitecto / Construtor / Autor

Desconhecido.

Cronologia

Séc. 09 / 10 - data provável da construção do castelo; 1105 - a povoação já existe e está em contenda com o Mosteiro do Lorvão; 1192, Dezembro - a vila recebe foral, por D. Sancho I; 1219, 06 Novembro - confirmaçãod o foral por D. Afonso II; 1513, 31 Dezembro - concessão de foral por D. Manuel I; séc. 17 - período conjectural da sua construção; a pedra que forma o soco e a imposta foram provavelmente aproveitadas do antigo Castelo; 1708 - a povoação, com 150 vizinhos, pertence ao Duque de Cadaval, por desistência em data indeterminada dos Condes de Odemira; tem 2 juízes ordinários, vereadores, um procurador do concelho, escrivão da câmara e um juiz dos órfãos com o seu escrivão; 1758 - nas Memórias Paroquiais, é referido que a povoação, com 397 fogos, tem juízes de fora e câmara; séc.20 - pelourinho é transformado em Cruzeiro.

Dados Técnicos

Sistema estrutural autónoma.

Materiais

Estrutura em cantaria de granito.

Bibliografia

BORGES, Nelson C., Monumentos de Interesse Histórico e Artístico do Concelho de Penacova, Penacova, 1980; COSTA, António Carvalho da (Padre), Corografia Portugueza…, vol. II, Lisboa, Valentim da Costa Deslandes, 1708; MALAFAIA, E.B. de Ataíde, Pelourinhos Portugueses - tentâmen de inventário geral, Lisboa, Imprensa Nacional - Casa da Moeda, 1997; PÉCURTO, Varela, Penacova, Coimbra, 1984; http://www.patrimoniocultural.pt/pt/patrimonio/patrimonio-imovel/pesquisa-do-patrimonio/classificado-ou-em-vias-de-classificacao/geral/view/72904 [consultado em 23 agosto 2016].

Documentação Gráfica

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Administrativa

DGARQ/TT: Memórias Paroquiais (vol. 42, n.º 306, fl. 142)

Intervenção Realizada

Nada a assinalar.

Observações

Autor e Data

João Cravo e Horácio Bonifácio 1992

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login