Pelourinho de Alpedrinha

IPA.00000840
Portugal, Castelo Branco, Fundão, Alpedrinha
 
Pelourinho seiscentista, de bloco prismático com soco quadrangular de quatro degraus e coluna octogonal, rematada por capitel jónico, possuindo os ferros de sujeição decorados. A coluna tem dupla base chanfrada nos ângulos e capitel jónico com coxim octogonal, encimado por ferros de sujeição, decorados com cabeças de serpente. Remate paralelepipédico com elementos heráldicos nas quatro faces. Possui inscrição e data.
Número IPA Antigo: PT020504060002
 
Registo visualizado 500 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Estrutura  Judicial  Pelourinho  Jurisdição régia  Tipo bloco

Descrição

Estrutura em cantaria de granito, composta por soco constituído por três degraus quadrangulares, o primeiro acompanhando o desnivelamento do terreno. Coluna com dupla base quadrangular chanfrada nos ângulos, sustentando fuste octogonal de superfície plana. Capitel jónico com coxim de secção octogonal e encimado por quatro ferros de sujeição, decorados com cabeças de serpente. Remate paralelepipédico, apresentando nas quatro faces o escudo nacional (lado N.), a esfera armilar ( lado S. ), a inscrição "PETR(us). P(rincipe). L(egitimo). IMP(erio). REGE(n)TE" (lado E.) e "A.N. 1675" (lado O.), sendo encimado por pirâmide de base quadrada coroada por esfera. Desta, parte uma grimpa de ferro forjado.

Acessos

Largo da Praça. WGS84 (graus decimais) lat.: 40,099428, long.: -7,467674

Protecção

Categoria: IIP - Imóvel de Interesse Público, Decreto n.º 23 122, DG n.º 231 de 11 outubro 1933

Enquadramento

Urbano, destacado em superfície de pendente pouco acentuada. Isolado, no lado menor de num espaço tendencialmente rectangular, delimitado por edifícios, entre os quais se destaca os Antigos Paços seiscentistas (v. PT020504060023).

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Judicial: pelourinho

Utilização Actual

Cultural e recreativa: marco histórico-cultural

Propriedade

Pública: estatal

Afectação

Autarquia local, Artº 3º, Dec. nº 23 122, 11 Outubro 1933

Época Construção

Séc. 17 / 20

Arquitecto / Construtor / Autor

Desconhecido.

Cronologia

Época romana - provável estruturação do povoado, talvez integrando pré-existências castrejas e cujo topónimo seria Petratinia *1; 1266 - doação de Alpedrinha aos Templários, efectuada pelos seus donatários, Diogo Lopes e Urraca Afonso; 1675, 15 Maio - elevação da povoação a vila e a sede do concelho, pelo regente D. Pedro; edificação do pelourinho documentada por inscrição; 1680 - edificação da casa da câmara documentada por inscrição; 1758 - nas Memórias Paroquiais é referido que a povoação, com 340 vizinhos, pertencia ao rei; tem juiz de fora; 1855, 24 Outubro - extinção do concelho e integração no município do Fundão; 1909, 23 Abril - danos causados no pelourinho na sequência de um terramoto; 1934 - restauro do pelourinho, mudando da zona onde se implementava, a S., para o centro da praça.

Dados Técnicos

Sistema estrutural autónomo.

Materiais

Estrutural em cantaria de granito; ferro.

Bibliografia

AZEVEDO, Correia de, Terras com Foral ou Pelourinhos das Províncias do Minho, Trás-os-Montes e Beiras, Porto, 1967; CARDOSO, Nuno Catarino, Pelourinhos das Beiras, Lisboa, 1936; DIAS, Jaime Lopes, Pelourinhos e Forcas do Distrito de Castelo Branco, V. N. Famalicão, 1935; GAMBOA, Álvaro de Alpedrinha, Sala de Visitas do Turismo, Alpedrinha, 1953; Junta de Freguesia de Alpedrinha, Alpedrinha, Alpedrinha, 1988; LOPES, F. Pina, Antigualhas da Beira Baixa in Boletim da Casa das Beiras, Lisboa, Ano IV, nº 6, 1938; MALAFAIA, E.B. de Ataíde, Pelourinhos Portugueses - tentâmen de inventário geral, Lisboa, Imprensa Nacional - Casa da Moeda, 1997; MOTTA, António José Salvado, O Pretenso Foral d'Alpedrinha, Alpedrinha, 1931; MOTTA, António José Salvado, Monografia d'Alpedrinha, Alpedrinha, 1933; SALVADO, António, Elementos para um Inventário Artístico do Distrito de Castelo Branco, Castelo Branco, 1976; SOUSA, Júlio Rocha e, Pelourinhos do Distrito de Castelo Branco, Viseu, 2000; http://www.patrimoniocultural.pt/pt/patrimonio/patrimonio-imovel/pesquisa-do-patrimonio/classificado-ou-em-vias-de-classificacao/geral/view/74939 [consultado em 14 outubro 2016].

Documentação Gráfica

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Administrativa

IHRU: DGEMN/DSID; DGARQ/TT: Memórias Paroquiais (vol. 3, n.º 17, fl. 145-160)

Intervenção Realizada

DGEMN: 1934 - obras de reparação, refechamento das juntas da cantaria, consolidação da base e do remate piramidal, deslocação do pelourinho da parte S. do largo para o centro.

Observações

*1 - no sítio de Carvalhal Redondo, a cerca de 3 km., também identificado como Petratinia, existem vestígios da época romana; 1202 - concessão de carta de foral por Pedro Guterri à povoação de Alpeadra ( Castelo Novo ) e não a Alpedrinha, tal como inicialmente interpretado por Herculano; é referenciado o Cabeço da Forca.

Autor e Data

Margarida Conceição 1993

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login