Pelourinho de Sarzedas

IPA.00000838
Portugal, Castelo Branco, Castelo Branco, Sarzedas
 
Pelourinho quinhentista, de bloco prismático, com soco quadrangular de dois degraus, fuste octogonal e capitel cúbico, encimado pro ferros de sujeição. Remata em paralelepípedo ornado por elementos paralelepipédicos. Tem reconstrução novecentista, aproveitando elementos originais. Fuste e capitel decorados por meias esferas e, nestes últimos, motivos em forma de cabo. Remate tronco piramidal assente em peça cúbica. Integra "ferros de sujeição" e catavento em forma de bandeirola.
Número IPA Antigo: PT020502230004
 
Registo visualizado 281 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Estrutura  Judicial  Pelourinho  Jurisdição senhorial  Tipo bloco

Descrição

Estrutura em cantaria de granito, composta por soco quadrangular de dois degraus com focinho saliente, o primeiro ligeiramente enterrado num dos lados. Coluna com base de secção quadrada suporta o fuste octogonal com as faces alternadamente decoradas por meias esferas. Capitel de secção quadrangular decorado por meias esferas e motivos em forma de cabo. Remate em bloco, formando uma peça cúbica terminada em forma de pirâmide truncada e de cuja base se projectam quatro ferros de sujeição. Apresenta nas faces motivos heráldicos, inscritos em arco pleno insculpido. Catavento em ferro forjado em forma de bandeirola.

Acessos

Praça Gil Sanches e Paio Pais. WGS84 (graus decimais) lat.: 39,850260, long.: -7,685362

Protecção

Categoria: IIP - Imóvel de Interesse Público, Decreto nº 23 122, DG n.º 231 de 11 outubro 1933

Enquadramento

Urbano, destacado em superfície quase plana, isolado na zona central do espaço, delimitado por edifícios, entre os quais a Igreja Matriz setecentista descaracterizada e a antiga Casa da Câmara.

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Judicial: pelourinho

Utilização Actual

Cultural e recreativa: marco histórico-cultural

Propriedade

Pública: estatal

Afectação

Autarquia Local, Artº 3º, Dec. nº 23 122, 11 Outubro 1933

Época Construção

Séc. 16 (conjectural) / 20

Arquitecto / Construtor / Autor

Desconhecido.

Cronologia

1212 - concessão de carta de foral por D. Gil Sanches, filho de D. Sancho I; hipotética edificação do castelo; 1300 - hipotética concessão de carta de foral e reedificação do castelo *1 por D. Dinis (ALMEIDA, 1948); 1512 - concessão de carta foral por D. Manuel; hipotética edificação do pelourinho; 1630, 31 Outubro - criação do condado de Sarzedas a favor de D. Rodrigo Lobo da Silveira; 1747 - o senhorio da vila reverteu para a coroa; 1758, 09 Março - nas Memórias Paroquiais, assinadas pelo pároco Manuel Francisco de Azevedo, é referido que a povoação, com 287 fogos, é do rei; tem 2 juízes ordinários, que tratam das questões do cível e do crime, 3 vereadores, um procurador do concelho, escrivão da câmara, 2 almotacés, escrivão das sizas e juiz dos órfãos; 1848 - extinção definitiva do estatuto concelhio; séc. 19, fins - destruição do pelourinho, do qual se conservaram três peças: parte do fuste, capitel e remate; 1963 - reconstrução do pelourinho, integrando algumas peças originais, segundo estudo de F. Alexandrino de Miranda e Acácio de Oliveira.

Dados Técnicos

Sistema estrutural autónomo.

Materiais

Estrutura em cantaria de granito; ferros de sujeição em ferro.

Bibliografia

ALMEIDA, João de, Roteiro dos Monumentos Militares Portugueses, Lisboa, 1948; CARDOSO, Nuno Catarino, Pelourinhos das Beiras, Lisboa, 1936; DIAS, Jaime Lopes, Pelourinhos e Forcas do Distrito de Castelo Branco, Castelo Branco, 1935; MALAFAIA, E.B. de Ataíde, Pelourinhos Portugueses - tentâmen de inventário geral, Lisboa, Imprensa Nacional - Casa da Moeda, 1977; MIRANDA, Francisco A. Duarte, Documentos e Notas para a Monografia de Sarzedas, 1966; OLIVEIRA, Acácio C., Sarzedas e seu Termo, 1987; PROENÇA, Raul e DIONÍSIO, Sant'Ana, Guia de Portugal, Beira II - Beira Baixa e Beira Alta, Lisboa, 1984; SOUSA, Júlio Rocha e, Pelourinhos do Distrito de Castelo Branco, Viseu, 2000; http://www.patrimoniocultural.pt/pt/patrimonio/patrimonio-imovel/pesquisa-do-patrimonio/classificado-ou-em-vias-de-classificacao/geral/view/73968 [consultado em 14 outubro 2016].

Documentação Gráfica

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Administrativa

IHRU: DGEMN/DSID; DGARQ/TT: Memórias Paroquiais (vol. 34, n.º 90, fl. 719-730)

Intervenção Realizada

Nada a assinalar.

Observações

*1 - subsistem alguns vestígios do castelo, junto à Igreja Matriz, segundo João de Almeida.

Autor e Data

Margarida Conceição 1993

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login