Pelourinho de Abreiro

IPA.00000823
Portugal, Bragança, Mirandela, Abreiro
 
Pelourinho construído no séc. 16, de tipo bloco prismático, assente em soco quadrangular de três degraus, onde assenta a base do fuste paralelepipédico e coluna octogonal, de fuste liso, encimada por capitel simples, antecedido por anel. Remata em bloco prismático, ostentando escudos portugueses nas faces, com elementos heráldicos, onde são visíveis as armas de D. Manuel. O bloco é sobrepujado por pináculo piramidal. Pelourinho bastante elaborado, destacando-se a base, de arestas em chanfro e ornadas por pequenos elementos fitomórficos, de onde evolui uma base ocotogonal ornada por toros. Remate em pináculo com dupla pirâmide, a superior de pequenas dimensões. Ostenta na base alguns furos, revelando a existência de elementos embutidos na estrutura, provavelmente metálicos.
Número IPA Antigo: PT010407020002
 
Registo visualizado 502 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Estrutura  Judicial  Pelourinho  Jurisdição senhorial  Tipo bloco

Descrição

Estrutura em cantaria de granito, composta por soco de três degraus quadrangulares, sendo o primeiro de altura irregular para corrigir o desnível do terreno. Sobre este, eleva-se a base paralelepipédica, com as arestas chanfradas e côncavas, ostentando, na zona inferior, pequenos elementos fitomórficos e pequenos furos. A coluna possui base de secção octogonal, tronco-piramidal e interrompida por dois toros, sobre a qual surge o fuste oitavado e liso, encimado por pequeno capitel contracurvo, antecedido de anel. Remata em bloco prismático, com as quatro faces ornadas por escudo do tipo português, contendo elementos heráldicos ilegíveis, excepto um deles, com as armas de D. Manuel I. Sobre o bloco, eleva-se pináculo piramidal, rematada por uma segunda de diminutas dimensões.

Acessos

Abreiro, Largo do Pelourinho. WGS84 (graus decimais) lat.: 41,351087, long.: -7,295025

Protecção

Categoria: IIP - Imóvel de Interesse Público, Decreto nº 23 122, DG, 1.ª série, n.º 231 de 11 outubro 1933

Enquadramento

Urbano, isolado, implantado no centro de um largo, conformado por habitações de um e dois pisos, construídas em granito, estando algumas delas rebocadas.

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Judicial: pelourinho

Utilização Actual

Cultural e recreativa: marco histórico-cultural

Propriedade

Pública: estatal

Afectação

Autarquia local, Artº 3º, Dec. nº 23 122, 11 Outubro 1933

Época Construção

Séc. 16 / 20

Arquitecto / Construtor / Autor

Desconhecido.

Cronologia

1225, 09 Setembro - concessão foral por D. Sancho II; 1250 - confirmação do foral anterior por D. Afonso III; séc. 14 - pertence à Casa dos Marqueses de Vila Real; 1514, 02 Agosto - D. Manuel concede foral novo, na sequência do qual se deve ter construído o pelourinho; 1641 - data em que a povoação deixa de pertencer aos Marqueses de Vila Real; passa a integrar a Casa do Infantado; 1706 - a povoação com 70 vizinhos, pertence aos Marqueses de Vila Real; tem 2 juízes ordinários, vereadores e demais oficiais subordinados ao Ouvidor de Vila Real; tem juiz dos órfãos, que também o é de Freixiel e seu termo; 1758 - nas Memórias Paroquiais, assinadas pelo pároco, é referido que a povoação pertence ao Infante D. Pedro, da Casa do Infantado, de que depende a Câmara; tem dois juizes ordinários; 1836 - extinção do concelho e anexação do mesmo ao de Lamas de Orelhão; 1962 - queda do pelourinho e sua reconstrução.

Dados Técnicos

Sistema estrutural autónomo.

Materiais

Estrutura em cantaria de granito.

Bibliografia

ALMEIDA, José António Ferreira de, Tesouros Artísticos de Portugal, Lisboa, 1988; CHAVES, Luís, Os Pelourinhos Portugueses, Gaia, 1930; CHAVES, Luís, Pelourinhos, Lisboa, 1935; COSTA, António Carvalho da (Padre), Corografia Portugueza…, vol. I, Lisboa, Valentim da Costa Deslandes, 1706; MAGALHÃES, F. Perfeito de, Pelourinhos Portugueses, Lisboa, 1991; MALAFAIA, E. B. de Ataíde, Pelourinhos Portugueses - tentâmen de inventário geral, Lisboa, Imprensa Nacional - Casa da Moeda, 1997; Pelourinhos do Distrito de Bragança, Bragança, 1982.

Documentação Gráfica

Documentação Fotográfica

DGPC: DGEMN:DSID

Documentação Administrativa

DGARQ/TT: Memórias Paroquiais, vol. 1, n.º 21, fl. 191-194

Intervenção Realizada

Nada a assinalar.

Observações

Autor e Data

Ernesto Jana 1993

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login