Convento dos Frades / Biblioteca Municipal Tomaz Borba Vieira

IPA.00008095
Portugal, Ilha de São Miguel (Açores), Lagoa, Lagoa (Santa Cruz)
 
Arquitetura religiosa, barroca.
Número IPA Antigo: PT072101040011
 
Registo visualizado 129 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Religioso  Convento / Mosteiro  Convento masculino  Ordem de São Francisco - Franciscanos

Descrição

Acessos

Lagoa (Santa Cruz), Rua de Santo António, s/n

Protecção

Categoria: IIP - Imóvel de Interesse Público, Resolução do Presidente do Governo Regional n.º 55/2001, JORAA, 1.ª série, n.º 20 de 17 maio 2001

Enquadramento

Urbano, isolado em zona sobrelevado, no alto do Pico da Forca, Pio dos Machados, dos Remédios ou do Castelo Branco. Implanta-se adaptado ao declive do terreno, em plataforma artificial, delimitada frontalmente por muro, rebocado e pintado de branco, capeado a cantaria, criando adro, pavimentado a cantaria, acedido por escadas dispostas lateralmente junto à igreja e em frente da zona regral. Numa cota inferior, desenvolve-se jardim público municipal, onde existem araucárias, azinheiras, metrozíderos, palmeiras, cameleiras, dracenas eloendros, alámos, ulmeiros, etc. Junto à fachada posterior, ergue-se a Escola Primária de Lagoa (v. IPA.00034468).

Descrição Complementar

No tímpano da frontaria da igreja e no retábulo-mor surgem as armas dos Câmaras.

Utilização Inicial

Religiosa: convento masculino

Utilização Actual

Religiosa: igreja de confraria / irmandade

Propriedade

Privada: misericórdia (igreja) / Pública: municipal (convento)

Afectação

Sem afetação

Época Construção

Séc. 18 / 20

Arquitecto / Construtor / Autor

Cronologia

1641, 29 junho - depois de constituídos em Província, no capítulo realizado no convento de Ponta Delgada, os franciscanos resolvem edificar na vila de Lagoa um pequeno convento, aceitando a oferta do conde D. Rodrigo da Câmara dos seus paços, que seu avô tinha feito depois da subversão de Vila Franca; o conde dá os seus paços com todo o seu massame deles para se fazer o convento, que é avaliado em mais de 3000 cruzados; dá anualmente de padroado 50$000, dos quais se abatem 10$000 pelo dízimo do peixe na vila, e para os oficiais 300$000 em dinheiro, 10 alqueires de terra para a cerca do convento, um sino, um relógio, um breviário, uma bacia, três coxins e outras miudezas; 22 outubro - padre provincial convoca a comunidade dos conventos da ilha, o de Ponta Delgada, o de Vila franca e o de Ribeira Grande, a Lagoa, à igreja de Nossa Senhora do Rosário, onde se canta missa solene com sermão, estando presente o conde e grande parte da nobreza; após a cerimónia, o Santíssimo Sacramento é levado em procissão até aos paços, "que já estavam aparelhados", e colocado numa câmara deles, decentemente armada; depois disso inicia-se a construção do convento no terreno abaixo do paço, no local do atual jardim; 1642 - os frades já ocupam um dos novos dormitórios; 1644 - a igreja já serve ao culto; 1652 - com a erupção do Pio de João Ramos o convento fica bastante arruinado; 1740 - lançamento da primeira pedra para construção de um novo convento no alto da cerca, onde existiam os paços do conde; porque as paredes começadas a erguer não pareciam de confiança, são apeadas; 1749, 26 maio - lançamento de uma nova pedra para dar início à construção de novo edifício, tomando a si a responsabilidade da obra D. José Teles Rodrigues da Câmara, padroeiro do convento; no auto da benção diz-se que seria dedicado a Nossa Senhora dos Prazeres; séc. 19 - pintura das paredes interiores da igreja em marmoreados fingidos a vermelho e amarelo; 1825 - 1826 - ampliação da capela do Senhor Santo Cristo dos Terceiros; a capela tem as imagens de roca de Santa Margarida de Cortona, Rainha Santa Isabel, Santo Ivo, São Francisco no passo das Chagas e Nossa Senhora da Soledade, todas setecentistas; a irmandade dos Terceiros que aqui tem sede, tem a cargo as várias procissões da Quaresma, sobretudo a dos Terceiros e a do Enterro do Senhor; 1832, fevereiro a junho - aqui fica instalado o coronel britânico Cloyd Hodges com o seu batalhão, aquando da visita de D. Pedro para organizar o exército; agosto - ordem de expulsão dos frades; o convento tem então 25 frades professos; depois da expulsão, a Ordem Terceira continua a promover os diversos atos de culto com o auxílio do clero local; 1848 - a Junta da Paróquia requer para que o órgão não saia da igreja, não tendo sido atendido o pedido, levando a protestos do povo; o órgão vai depois para a igreja de Relva, onde ainda permanece; mais tarde, o capitão Canejo de Figueiredo cede, a título de empréstimo, o seu piano de cauda; 1873, 28 setembro - colocação de uma imagem de roca de Nossa Senhora de Monte Carmelo, oferecida por João Borges de Medeiros Amorim, no altar lateral de São João do Prado; 1879 - delimitação e abertura ao público do jardim em frente do convento, sendo então administrador do concelho o Dr. Álvaro Pereira Bettencourt Lopes; até esta data, o adro, que ia só até à torre, dava para S., com portão do carro um pouco mais abaixo, já no chamado Campo dos Frades; 1883 - substituição do piano de cauda por um melódico; posteriormente procede-se à instalação de diversas repartições públicas e, depois, de escolas, levando ao desmantelamento de quase todas as celas, para criar divisões maiores; o refeitório é transformado em tribunal do antigo julgado municipal; 1918, cerca - no final da primeira guerra mundial, aqui são instalados prisioneiros, alguns alemães; 1939 - 1945 - durante a segunda grande guerra aqui são aquarteladas tropas; 1960, década - a Câmara Municipal de Lagoa consente que a Obra das Mães para Educação Nacional instale em duas das salas do convento uma cantina, um centro de Educação Familiar; reabertura da igreja ao culto; 1965, 12 dezembro - inauguração de uma casa de educação e trabalho do Centro de Educação Familiar pela Obra das Mães; 1967 - a capela de Santo Cristo dos Terceiros está em ruínas; por volta desta data o refeitório e respetivo átrio serve de arrecadação aos serviços camarários; 2010, 9 junho - auto de cessão do convento pelo Governo Regional dos Açores à Câmara Municipal de Lagoa, assinado entre o vice-presidente do Governo Regional, Sérgio Ávila, e o Presidente da Câmara Municipal de Lagoa, João Ponte; 2011, 5 outubro - inauguração oficial da Biblioteca Municipal Tomaz Borba Vieira na zona regral do convento; 2013, 14 fevereiro - inauguração no edifício do Museu Vivo do Franciscanismo.

Dados Técnicos

Sistema estrutural de paredes portantes.

Materiais

Bibliografia

COSTA, Carreiro da - A Igreja e o convento dos Franciscanos da Vila da Lagoa. Ponta Delgada: Instituto Cultural de Ponta Delgada, 1967; COSTA, Susana Goulart - «O museu vivo do franciscanismo. Musealização de espaços, histórias e memórias» in Invenire Revista de Bens Culturais da Igreja. Lisboa: Secretariado Nacional para os Bens Culturais da Igreja, janeiro - junho 2013, n.º 6, pp. 58-59; "Biblioteca Municipal Tomaz Borba Vieira", (http://cm-lagoa.azoresdigital.pt/default.aspx?module=ArtigoDisplay&ID=759), [consultado em 26-07-2013]; "Convento dos Franciscanos", (http://cm-lagoa.azoresdigital.pt/default.aspx?module=ArtigoDisplay&ID=875), [consultado em 26-07-2013].

Documentação Gráfica

Documentação Fotográfica

IHRU: SIPA

Documentação Administrativa

Intervenção Realizada

1960, década - obras de conservação como caiações e pinturas, limpezas e reposições dos altares e das madeiras e talhas existentes pelo chão; reintegração de algumas imagens nos nichos, reposição do lavabo da sacristia, reposição dos sonos da torre; CMLagoa: 2010 / 2011 - obras de adaptação da zona regral do convento a biblioteca,

Observações

EM ESTUDO. *1 - São grandes benfeitores do convento António Lopes de Faria, Cavaleiro professo da ordem de Santiago e memposteiro-mor dos Cativos, que moravam junto à igreja do Rosário, e Cristóvão Soares, que vivia na Praça Velha, em Santa Cruz, e o primeiro capitão de Lagoa; as disputas eram de tal ordem que o Pe. Custódio dos franciscanos decide que, os frades que seguissem de Ponta Delgada e da Ribeira Grande para Vila Franca do Campo seriam agasalhados por António Lopes de Faria; os que viessem em sentido contrário ficariam em casa do capitão Cristóvão Soares. *2 - O antigo refeitório ficava no extremo poente da ala S, dispondo de vasto átrio com fonte. Ali estão sepultados alguns dos descendentes do capitão Cristóvão.

Autor e Data

Paula Noé 2013

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login