Solar dos Viscondes do Torrão

IPA.00007405
Portugal, Setúbal, Alcácer do Sal, Torrão
 
Casa nobre pombalina e neoclássica. Estrutura de barroquismo aristocrático, com sentido de unidade global e acordo das partes num todo bem articulado, onde se introduz o destaque de um corpo principal, mais ou menos centralizado, individualizado pelo frontão, colocado no topo do eixo da perspectiva a partir do eixo porta-janela, com exaltação do andar nobre. Sobriedade de proporções correctas e regulares pombalina. Pinturas murais de grande requinte cromático e frescura ornamental.
Número IPA Antigo: PT041501040046
 
Registo visualizado 518 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Residencial senhorial  Casa nobre    

Descrição

Planta em U, irregular, composta por corpos longitudinais. Volumes articulados com disposição horizontalista das massas. Cobertura diferenciada em telhados de 4, 2 e 1 águas. Edifício com embasamento levemente proeminente destacado com faixas coloridas a azul forte nos 3 corpos, sendo as janelas de sacada rematadas superiormente por cornijas lineares. Fachada principal voltada a S. de 4 panos, sendo o da esquerda de um piso rasgado por 5 janelas quadradas, molduradas, com remate em friso de coroamento; os 3 panos seguintes correspondem ao edifício principal, formado por dois pisos, divididos por friso contínuo de ressalto; rasgam-se no piso térreo uma série de janelas colocadas na horizontal num mesmo eixo das do piso nobre de sacada com resguardo em ferro, assentes no friso; o pano principal é rematado lateralmente por colunas toscanas embebidas, que flanqueiam o portal que se articula no mesmo eixo do janelão com frontão recortado, no piso superior, flanqueado por pilastras em continuidade das colunas, com urnas nos topos, sendo o remate em frontão angular com cornija de coroamento, em cujo vão se inscrevem frisos em arcadas; panos laterais rematados por pilastras sobre base alta, culminando em pináculos que se erguem na continuação das pilastras destacando-se no da esquerda janela superior com frontão curvo aberto, sobrepujado por pedra de armas relevado aposta em tímpano de frontão redondo rematado com cornija de coroamento bem marcada. Fachada a E. de um só pano de 2 pisos divididos por friso, rasgando-se no primeiro piso portas e janelas dispostas verticalmente e 2 na horizontal; no segundo abrem-se janelas de sacada. Remate em cornija de coroamento e beiral. Fachada N. destacada pela marcação de vãos entaipados, com sobreposição de óculos longitudinais. INTERIOR de espaço diferenciado, cujo acesso se faz através de um pátio interior dando para um pequeno vestíbulo, formado por arcada apoiada em pilares embebidos, a partir do qual se faz a distribuição das salas, das quais destacamos os salões com paredes completamente cobertas por pinturas murais, pavimentos e tectos de madeira. Celeiro, cisterna e outras divisórias cobertas por abobadilhas, abóbadas de berço assentes em arcaria de pleno centro e em arcos abatidos, assentes em largos pilares de base rectangular.

Acessos

Rua de Beja; Rua do Poço Mau

Protecção

Enquadramento

Urbano, em planície, situado no centro da vila num gaveto adossado a edificações de porte mais modesto de época mais moderna, em arruamentos estreitos, separado da rodovia por estreito passeio, frente a outro edifício de interesse arquitectónico.

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Residencial: casa nobre

Utilização Actual

Assistencial: centro de dia

Propriedade

Privada: Misericórdia

Afectação

Época Construção

Séc. 18 (conjectural) / 19 / 20

Arquitecto / Construtor / Autor

Cronologia

1714, 11 agosto - data da carta régia que concede armas à família dos futuros viscondes do torrão; 1715, 10 Janeiro - data do alvará que concede a categoria de Cavaleiro a Jerónimo de Magalhães Mexia e Freitas, Fidalgo da Casa Real, pertencente ao santo Ofício , avô do 1º Visconde do torrão; 1778 - O palácio (do Poço Mau) pertencente à família dos duques de Aveiro e a Frei Miguel de Távora é confiscado e entregue à Igreja; 1811, 29 Outubro - de D. Catarina José Baião de Lança Parreira, senhora do Morgado do Poço Mau, no Torrão, nasce Jerónimo de Magalhães Baião de Sande Lança Mexia Salema que foi senhor de vínculos e de grandes propriedades no termo da Lousã e no alentejo, bacharel em direito e futuro Visconde do Torrão; 1826, 12 Maio - nascimento de d. Maria do Carmo Guedes de Portugal e Menezes; 1844, 27 Junho - casamento desta senhora com o futuro visconde do Torrão; 1855 - concessão do título de Visconde do Torrão, por Decreto de 14 de Maio, dado pelo rei D. Pedro V; 1875 - morte do 1º Visconde do Torrão; 1959 - o solar dos Viscondes do Torrão, entretanto entregue à Igreja, entra para o património da Santa Casa da Misericórdia do Torrão por permuta com o Convento de São Francisco que pertencia então a um particular, José Pereira; 1995 / 1996 - apresentação pela Associação para o Desenvolvimento do Torrão e Centro Rural do Torrão, financiado pelo FEDER e PPDR, do projecto técnico de arquitectura do palácio dos Viscondes do Torrão para recuperação e adaptação a Lar da Terceira Idade; 1998 - funciona uma parte do solar já como Lar de Dia; 1999 - foram integrados dois projectos da Santa Casa da Misericórdia do Torrão no Centro Rural do Torrão: o projecto de Arquitectura do palácio dos Viscondes do Torrão que está aprovado e concluído e a recuperação das fachadas do mesmo edifício, que também aprovado, encontra-se em fase de conclusão.

Dados Técnicos

Paredes autoportantes, estruturas autoportantes

Materiais

alvenaria de pedra e tijolo, cantarias calcárias, madeira, ferro, tijolos de abobadilha, tijoleira, telhas

Bibliografia

COSTA, Américo, Dicionário Corográfico (...), 1º vol., Porto, 1929; Torrão, Torrão, Viscondes do in Grande Enciclopédia Portuguesa e Brasileira, Vol. 32, Lisboa, Rio de Janeiro, 1935-1958; MARQUES, Gustavo, Extractos do Diário de Campo, (policopiado), Alcácer do Sal, 1983; Boletim Informativo do Centro Rural do Torrão - Associação para o Desenvolvimento do Torrão, n.º 4, Agosto, 1999.

Documentação Gráfica

DGEMN: DSID; Santa Casa da Misericórdia do Torrão

Documentação Fotográfica

DGEMN: DSID; Santa Casa da Misericórdia do Torrão

Documentação Administrativa

Santa Casa da Misericórdia do Torrão

Intervenção Realizada

Santa Casa da Misericórdia do Torrão: 1995 / 1996 - recuperação do telhado; 1998 / 2000 - obras gerais de restauros, reconstrução e novas construções para adaptação ao novo uso (obras em curso).

Observações

Autor e Data

Albertina Belo 2000

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login