Pelourinho de Failde e Carocedo

IPA.00000712
Portugal, Bragança, Bragança, União das freguesias de Parada e Faílde
 
Arquitectura político-administrativa e judicial, quinhentista. Pelourinho de bloco prismático, com base de três degraus quadrangulares, de onde evolui um fuste cilíndrico liso e o remate paralelpipédico. Pelourinho muito simples, destacando-se o remate com decoração relevada, representando um roda e elementos bicéfalos.
Número IPA Antigo: PT010402140007
 
Registo visualizado 428 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Estrutura  Judicial  Pelourinho  Jurisdição eclesiástica  Tipo bloco

Descrição

Estrutura em cantaria de granito, composta por soco de três degraus quadrangulares, onde assenta o fuste *1 cilíndrico e liso, rematado por bloco paralelepipédico, ostentando decoração nas quatro faces, uma delas bastante delida, surgindo numa delas uma roda ou talvez o Sol.

Acessos

EN 217, de Bragança a Izeda, a 12 km da sede distrital. WGS84 (graus decimais) lat.: 41.723426; long.: -6.750854

Protecção

Categoria: IIP - Imóvel de Interesse Público, Decreto nº 23 122, DG, 1.ª série, n.º 231 de 11 outubro 1933

Enquadramento

Rural, está rodeado por vegetação que lhe oculta os degraus.

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Judicial: pelourinho

Utilização Actual

Cultural e recreativa: marco histórico-cultural

Propriedade

Pública: estatal

Afectação

Autarquia local, Artº 3º, Dec. nº 23 122, 11 Outubro 1933

Época Construção

Séc. 15 (conjectural)

Arquitecto / Construtor / Autor

Desconhecido.

Cronologia

Séc. 15 - provável construção do pelourinho, pelo arcebispo de Braga, a que pertencia; 1545, 22 Maio - criação do bispado de Miranda, passando a povoação a integrar o mesmo; 1758, 28 Maio - nas Memórias Paroquiais, assinadas por Domingos Pires, é referido que a povoação, com 39 vizinhos, pertence à Diocese de Miranda, em parceria com a povoação de Faílde, as quais tinham uma única câmara, situada em, Faílde, e dois juizes ordinários, um para cada uma das povoações; os agravos dos juizes vão para o corregedor de Miranda e os ordinários para a Relação do Porto.

Dados Técnicos

Sistema estrutural autónomo.

Materiais

Estrutura de cantaria de granito.

Bibliografia

Bragança Boletim Municipal Especial, nº 22, Bragança, Fevereiro 2009; CAPELA, José Viriato, BORRALHEIRO, Rogério, MATOS, Henrique, As Freguesias do Distrito de Bragança nas Memórias Paroquiais de 1758. Memórias, História e Património, Braga, 2007; MAGALHÃES, F. Perfeito de, Pelourinhos Portugueses, Lisboa, 1991; MALAFAIA, E.B. de Ataíde, Pelourinhos Portugueses - tentâmen de inventário geral, Lisboa, Imprensa Nacional - Casa da Moeda, 1997; Pelourinhos, Lisboa, 1935; Pelourinhos do Distrito de Bragança, Bragança, 1982; Tesouros Artísticos de Portugal, Lisboa, 1976.

Documentação Gráfica

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DREMN

Documentação Administrativa

Intervenção Realizada

Câmara Municipal de Bragança: 2004 - recuperação do espaço envolvente do pelourinho, em Faílde.

Observações

*1 - a base era composta, segundo a tradição, por elemento zoomórfico, entretanto retirado.

Autor e Data

Ernesto Jana 1993

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login