Gare Marítima da Rocha do Conde de Óbidos / Auditório Rocha Conde d'Óbidos e Salão Almada Negreiros

IPA.00007086
Portugal, Lisboa, Lisboa, Estrela
 
Arquitectura de transportes, modernista. Estação marítima. Painéis, da autoria de José de Almada Negreiros, decoraram o vestíbulo da estação: dois trípticos que, numa linguagem modernista, criam composições derivadas dos temas "Saltimbancos" / "Varinas" / "Passeio de Barco" e "A Partida" / "O Trabalho de Construção" / "O Regresso".
Número IPA Antigo: PT031106370517
 
Registo visualizado 1297 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Transportes  Apeadeiro / Estação  Estação fluvial  

Descrição

Edifício de dois corpos, alongando-se um deles longitudinalmente face ao rio. Dispõe ainda de um amplo terraço que avança para além do edifício.

Acessos

Doca de Santo Amaro

Protecção

Categoria: MIP - Monumento de Interesse Público / ZEP, Portaria n.º 740 - FC/2012, DR, 2.ª série, n.º 252 de 31 dezembro 2012 *1

Enquadramento

Urbano, isolado. Embora separado da Av. 24 de Julho pela Doca e respectivas construções, além da linha férrea, o edifício consegue mostrar-se à cidade, muito em particular se observados o rio e a zona portuária do Jardim 9 de Abril, espaço fronteiro ao Museu Nacional de Arte Antiga e sobranceiro à Av. 24 de Julho, à qual se acede por umas escadas.

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Transportes: estação fluvial

Utilização Actual

Comercial: espaço de eventos

Propriedade

Pública: estatal

Afectação

Sem afectação

Época Construção

Séc. 20

Arquitecto / Construtor / Autor

ARQUITECTO: Porfírio Pardal Monteiro (1934-1948). PINTOR: José de Almada Negreiros (1948).

Cronologia

1934 - início da elaboração do projecto, da autoria do arquitecto Porfírio Pardal Monteiro (1897-1957); pintura de José Almada Negreiros; 1948 - inauguração desta estação de passageiros; 1950 (década de) - por despacho ministerial fica decidido iniciarem-se estudos relativos à ampliação da Gare Marítima; 1994 - mantém-se activa na função inicial, embora resumido o seu movimento aos navios de cruzeiro; 1990-1995 - sob coordenação do arquitecto Eduardo Souto Moura, existe um projecto - "espaço pedonal da Rocha do Conde de Óbidos" - que tem por objectivo a "requalificação da envolvente do Museu das Janelas Verdes (...) e que passa pela realização de uma passagem pedonal superior entre o Jardim 9 de Abril e a zona portuária fronteira" (in A Estratégia e a Prática..., p. 217), projecto este que visa assim valorizar a estação, de acordo aliás com as intenções da Administração do Porto de Lisboa em investir no arranjo geral do imóvel; 2004, 25 agosto - Despacho de abertura do processo de classificação do presidente do IPPAR; 2005, 02 setembro - proposta de classificação como Imóvel de Interesse Público pela DRLisboa; 2006, 11 dezembro - proposta de fixação da Zona Especial de Proteção conjunto com a Gare Marítima de Alcântara pela DRLisboa; 2007, 19 março - parecer favorável do Conselho Consultivo do IPPAR; 22 maio - reclamação da Administração do Porto de Lisboa; 2011, 15 maio - parecer do Conselho Nacional de Cultura para que se mantenha a Zona Especial de Proteção anteriormente propostas; 2012, 08 fevereiro - proposta de fixação de nova Zona Especial de Proteção pela DRCLVTejo; 2012, 14 setembro - publicação do projeto de decisão de classificação da Gare Marítima de Alcântara e da Gare Marítima da Rocha de Conce de Óbidos na categoria de Monumento de Interesse Público e fixação de uma Zona Especial de Proteção conjunta, em Anúncio n.º 13419/2012, DR, 2.ª série, n.º 179.

Dados Técnicos

Materiais

Bibliografia

Ministério das Obras Públicas, Relatório da Actividade do Ministério no ano de 1956, Lisboa, 1957; Guia Urbanístico e Arquitectónico de Lisboa, Lisboa, AAP, 1987; FERNANDES, José Manuel; JANEIRO, Mª. de Lurdes, Arquitectura Modernista em Lisboa, 1925-1940, Lisboa, CML, 1991; FERNANDES, José Manuel, Arquitectura Modernista em Portugal, Lisboa, Gradiva, 1993; PEREIRA, Nuno Teotónio, Estação Marítima da Rocha do Conde de Óbidos, in Dicionário da História de Lisboa, Lisboa, 1994; Plano Director Municipal, Lisboa, CML, 1995; A Estratégia e a Prática do Planeamento Urbanístico em Lisboa 1990-1995, Lisboa, CML, 1995; CALDAS, João Vieira, Pardal Monteiro - Arquitecto, Lisboa, AAP, 1997; Almada. Cena do Corpo, Lisboa, Centro Cultural de Belém, 1993; Almada Negreiros, Um Percurso Possível, Lisboa, IPPAR/INCM, 1993;

Documentação Gráfica

IHRU: DGEMN/DSID, DGEMN/DSEP, DGEMN/DSARH; DGEMN/Arquivo Pessoal de Porfírio Pardal Monteiro PPM NT2 UAC85

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID, DGEMN/DREL

Documentação Administrativa

IHRU: DGEMN/DSEP, DGEMN/DSARH

Intervenção Realizada

DGEMN: 1956 - estudo de adaptação e ampliação das instalações da Gare, pelos Serviços de Construção e Conservação.

Observações

EM ESTUDO *1 - Classificação e Zona Especial de Proteção conjunta da Gare Marítima de Alcântara (v. PT031106260244) e da Gare Marítima da Rocha do Conde de Óbidos (v. PT031106370517).

Autor e Data

Filomena Bandeira 1999

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login