Casa do Passadiço

IPA.00006968
Portugal, Braga, Braga, União das freguesias de Braga (São José de São Lázaro e São João do Souto)
 
Casa barroca e rococó, de planta em L invertido, composta por três corpos articulados, um corpo alongado, e os outros dois adossados, fazendo o outro braço do L. Fachadas rebocadas e pintadas de branco, contrastando com o granito das molduras, cunhais e cornija de remate. Varandas suportadas por modilhões, com argolas de ferro funto ao remate, à semelhança do que acontece em vários prédios urbanos de Braga. Portal principal, bastante exuberante, com decoração rococó, de concha, volutas e grinaldas. Escadaria principal desenvolvendo-se no interior, em cantaria, com arranque volutado e guardas de ferro. Baldaquino com motivo de escamas a encimar as janelas das fachadas. A cantaria do frontão do portal principal está lavrada de modo a criar prespectiva, criando uma ilusão de concavidade. Interior percorrido por galeria que contorna todo o edifício, suportado por arcaria de granito.
Número IPA Antigo: PT010303410065
 
Registo visualizado 1004 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Residencial unifamiliar  Casa    

Descrição

Planta em L invertido, composta por três corpos articulados, um corpo alongado, a S., e os outros dois adossados, prolongando-se para E, apresentando-se o do extremo, ligeiramente destacado em relação ao outro. Volumetria de dominante horizontal, sento o corpo do extremo do braço E., mais baixo do que os restantes. Coberturas diferenciadas em telhados de quatro águas. Fachadas rebocadas e pintadas de branco, enquadradas por cunhais apilastrados toscanos, embasamento em cantaria e remates em friso, ritmado por argolas de ferro e cornija sob beiral muito saliente. Fachadas de dois registos, sendo as do braço S., no primeiro registo, rasgadas por portas e janelas gradeadas, apresentando o topo do braço, virado à rua, largo vão emoldurado, com pedra central do lintel destacada. Segundo registo ritmado por janelas de sacada, de verga recta, rematadas por friso e cornija recta encimada por baldaquino com escamas. Varandas de pedra, suportadas por modilhões, com guardas de ferro. Fachada principal, no corpo E., virada ao jardim, dividida em três eixos, tendo o central, portal principal de verga recta, enquadrado por pilastras molduradas, com volutas na parte superior, ligando a entablamento e cornija, encimada por janelão, ladeado por aletas e rematado por motivo concheado, sobrepujado por frontão de lanços, contendo no tímpano pináculo. A cantaria do frontão está lavrada de modo a criar prespectiva, criando uma ilusão de concavidade. Eixos laterais com janela gradeada de verga recta com moldura recortada, encimada por janela de sacada igual às restantes. O INTERIOR estrutura-se no primeiro piso por galeria em cantaria, com sucessão de arcos abatidos sobre colunas de secção quadrangular e mísulas, acompanhando o L do edifício. Na parte superior das arcadas, as guardas são em ferro entre colunas com pináculo. Corpo S. com diversas salas e um corredor que conduz ao corpo E. onde se encontram mais duas amplas salas. Nestas arranca uma escadaria, com arranque volutado, com decoração de acantos, de dois lanços rectos, com patamar intermédio, e guardas de ferro. Piso superior com portal rectangular com cornija e frontão de volutas interrompido, por motivo vegetalista, de acesso a salas voltadas a S.. Através da galeria tem-se acesso a outras salas e capela, situadas a E.

Acessos

Rua de São João n.º 31; Largo de São João do Souto; Rua Francisco Sanches

Protecção

Em estudo / Incluído na Zona Especial de Protecção da Sé de Braga (v. PT010303520005) e da Capela de Nossa Senhora da Conceição (v. PT010303410006).

Enquadramento

Urbano. Adossada, implantada no gaveto das ruas Francisco Sanches e de São João *1, voltada a um largo empedrado e relvado, com lago e estátua de Francisco Sanches. O edifício delimita um espaço ligeiramente rectangular, relvado, decorado com alguns elementos arquitectónicos em cantaria, e arborizado, onde se destaca uma tulipeira da Virgínia, idêntica à existente no Museu dos Biscaínhos (v. PT010303520016). Este pequeno jardim é fechado por muro rebocado e pintado de branco, capeado, com gradeamento de ferro, possuindo na face lateral, pano murário elevado, delimitado por cunhais de cantaria, rasgado por vão gradeado e rematado por merlões. Acesso principal por portão de ferro, na face frontal do muro, mais elevada e rematada por cornija ritmada por merlões. Na proximidade a Capela de Nossa Senhora da Conceição, também conhecida como Capela dos Coimbras, a Igreja de São João do Souto (v. PT010303410185), a Sé de Braga e a Casa dos Paivas ou da Roda (v. PT010303410041), actual Junta de Freguesia de São João do Souto.

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Residencial: casa

Utilização Actual

Comercial: loja

Propriedade

Privada: pessoa colectiva

Afectação

Sem afectação

Época Construção

Séc. 18

Arquitecto / Construtor / Autor

Desconhecido.

Cronologia

1521 - D. João da Guarda, Conde Palatino, Deão de Braga e amigo do Arcebispo D. Jorge da Costa, emprazou um chão na Rua de São João e nele edificou uma casa sumptuosa para o tempo, a quem sucedeu no emprazamento o seu sobrinho, D. Fernão Figueira, Desembargador da Relação Eclesiástica; 1572 - pertence a D. Manuel Figueira, Vereador da cidade de Braga; 1678 - novo emprazamento a Baltazar Pinheiro Lobo; séc. 18 - comprada por D. Rodrigo Trancoso de Lira, fidalgo espanhol, cunhado do Cónego Francisco Pacheco Pereira; 1750 - no Mapa das Ruas de Braga não existe a fachada voltada à Rua de São João; 1773 - adquirida por compra pelo Dr. António Veloso da Costa, advogado de Braga, a D. Francisco de Lira Pereira de Menezes; 1883 - num mapa da cidade aparece representada a totalidade do edifício; séc. 20 - abertura da Rua Francisco Sanches, cortando parte da casa e do seu terreiro; anos 90 - Catarina Rosas Soares Pereira remodela totalmente a casa e transforma-a numa casa de decoração.

Dados Técnicos

Paredes autoportantes.

Materiais

Estrutura, elementos decorativos e pavimentos em granito; tectos em estuque; portas, janelas e retábulo da capela, de madeira; portão, argolas do remate das fachadas, grades das janelas, da montra e sacadas das varandas e corrimão das escadas interiores em ferro; azulejos na casa de banho; cobertura em telha de canudo.

Bibliografia

FEIO, Alberto, Bom Jesus do Monte, Braga, 1930; VASCONCELOS, Maria da Assunção, O Mapa das Ruas de Braga de 1750. Breve apontamento sobre a situação do cabido Bracarense no séc. XVIII, in Forum, nº 4, Braga, 1988, p. 97; ROCHA, Pe. Ricardo, Mapa das Ruas de Braga, Braga, 1989; Património Arquitectónico e Arqueológico Classificado. Distrito de Braga, Lisboa, 1993, pp. 20, 34; Casa do Passadiço, Tradição e Requinte em Braga, in Casa & Jardim, nº 213, Dezembro 1995, pp. 116 - 119.

Documentação Gráfica

DGEMN: DSID

Documentação Fotográfica

DGEMN: DSID

Documentação Administrativa

Intervenção Realizada

Proprietário: Séc. 20, anos 90 - restauro e remodelação dos interiores da casa.

Observações

O nome da casa deve-se à existência de um antigo passadiço, que ligaria a casa à Rua do Souto; *1 - A Rua de São João, aberta no tempo do Arcebispo Dom Diogo de Sousa, liga a cabeceira quinhentista da Sé de Braga ao Largo Francisco Sanches, onde se situa a Capela de Nossa Senhora da Conceição ou dos Coimbras.

Autor e Data

António Dinis / Ana Pereira 1999

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login