Igreja Paroquial de Monção e Capela de São Sebastião / Igreja de Santa Maria dos Anjos

IPA.00006870
Portugal, Viana do Castelo, Monção, União das freguesias de Monção e Troviscoso
 
Arquitectura religiosa, gótica, manuelina, maneirista e barroca. Igreja gótica de planta longitudinal, composta e nave única, fachada principal em empena com portal de arco pleno e três arquivoltas, remodelada interiormente no séc. 16 / 17, com feitura de novo arco triunfal e pinturas murais, com capela funerária manuelina e maneirista, ostentando retábulo de talha dourada, barroca, de estilo nacional, e o mor joanino e um outro de talha policroma. Fachada principal com pórtico gótico e óculos rasgados posteriormente. Integra capela funerária manuelina de grande riqueza decorativa no arco cairelado, abóbada artesoada, com nervuras, espaço entre os liernes e bocetes esculpidos, e arcosólio; este possui túmulo epigrafado com estátua jacente de vestes religiosas, almofadas e pano trabalhado com grande leveza e finura de traço. Capela lateral com túmulo de Deuladeu, símbolo da resistência local aos castelhanos, maneirista, de abóbada artesoada, com túmulos de essas epigrafados e tampas sepulcrais epigrafadas, com portas de duas almofadas, em talha, revelando um trabalho de superior qualidade e retábulo barroco de estilo nacional. Destacam-se ainda os frescos quinhentistas junto ao arco triunfal; o retábulo-mor com invulgar imagem da Santíssima Trindade; a imagem colossal de São Cristóvão, apresentando uma dimensão e iconografia bem característica deste Santo nas zonas raianas do Alto Minho e o tecto do guarda-vento entalhado e com pintura de Santa Maria dos Anjos.
Número IPA Antigo: PT011604170005
 
Registo visualizado 982 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Religioso  Templo  Igreja paroquial  

Descrição

Planta longitudinal, composta por nave única e capela-mor, rectangulares, com sacristias, capelas e anexos, quadrangulares e rectangulares, adossados a N. e a S.. Volumes escalonados, com coberturas diferenciadas em telhados de uma, duas, três e quatro águas. Fachadas, em aparelho regular de granito, com fiadas pseudo-isódomas, e rebocadas e caiadas, percorridas por cornija saliente, com pilastras nos cunhais sobrepujadas por pináculos, e cruz sobre acrotério nas empenas. Fachada principal, orientada a O., terminada em empena, com portal em arco de volta perfeita, de três arquivoltas, decoradas com rosetas, florões, boleados e pontas de diamante, sobre seis colunas circulares, assentes em bases lisas, encimados por capitéis decorados com motivos zoomórficos, vegetalistas e geométricos; o portal é ladeado por óculos quadrilobados, e encimado por amplo óculo circular, moldurado, sobrepujado por gárgula de figuração zoomórfica. Torre sineira de três registos, separados por cornija, sobrepujada por coruchéu, rematada por cruz e catavento em ferro, e, no coroando as pilastras dos cunhais, pináculos sobre plintos; apresenta no 1º registo fresta, a S., relógio em pedra e fresta, a O. do 2º registo, também rematado por cornija saliente, e no último registo sineira de quatro ventanas em arco de volta perfeita, albergando sino. No anexo, duas janelas de brinco, rectangulares, sobrepostas. Fachada N. com janelas rectangulares na sacristia, anexos e capela lateral, e óculo circular, moldurado, na capela lateral; destaca-se a Capela de São Sebastião, com contrafortes nos cunhais, sobrepujados por gárgulas zoomórficas e pináculos, sendo rematada por platibanda rendilhada, sobre cornija decorada com boleados. Fachada S. com porta de arco abatido, de acesso à torre sineira, porta rectangular, de acesso ao anexo, e janelas rectangulares, nos anexos, capela, sacristia e capela-mor. Fachada E. com porta rectangular, na sacristia, e janelas rectangulares, na sacristia e capela-mor. INTERIOR rebocado e caiado com silhar de azulejo de padrão policromo a azul, amarelo e branco, com pavimentos em lajes de granito no sub-coro, nas capelas funerárias de D. Vasco Marinho e de Deuladeu Martins, soalhado na nave e capela-mor, e soalhado e com mosaico cerâmico na capela do Sagrado Coração de Jesus. O tecto da nave e da capela-mor é de perfil curvo, estucado, sobre cornija saliente. Coro-alto assente em arco abatido, moldurado, sobre pilastras dóricas, molduradas, tendo nas pilastras pias de água benta, confrontantes, estriadas, com guarda em balaustrada de madeira; pelo lado da Epístola comunica com varandim, em madeira, onde está instalado o órgão de tubos. No sub-coro guarda-vento, em madeira, com tecto em "gamela", entalhado e com pintura central de Santa Maria dos Anjos, enquadrada por figurações de anjos; do lado do Evangelho, abre-se baptistério em arco de volta perfeita sobre pilastras dóricas, cerrada por porta gradeada, com pia baptismal; do lado da Epístola, surge escada de acesso ao coro-alto. Do lado do Evangelho abre-se porta de verga recta de acesso ao anexo, encimada por fresta, entaipada, em arco de volta perfeita. Sucede-se a capela funerária de São Sebastião, com arco apontado cairelado, apoiado numa dupla série de pilastras, decoradas nos intermédios com folheados, rosetas e representações faciais; interior coberto por abóbada artesoada, com bocetes decorados com motivos vegetalistas e, no fecho central, escudo com chefe e flancos de linhas côncavas, com as armas dos Marinhos. Alberga o sarcófago de D. Vasco Marinho, com inscrição latina e a data 1521, apresenta estátua jacente de vestes canónicas, inscrito num arcosólio, com remate em forma de sarapanel, ladeado por pilastras, decoradas, assentes em plintos e rematadas por pináculos. Irrompe a meia altura das pilastras um arco de bocel ostentando no fecho uma mísula encimada por baldaquino de contornos rendilhados e enquadrada por dois escudos dos Marinhos. No pavimento, junto ao túmulo, surge lápide sepulcral com escudo da família. Púlpito de bacia rectangular, sobre mísula pétrea com guarda em balaustrada de madeira, sobre a respectiva porta de acesso; e capela de arco pleno, com abóbada de caixotões, em pedra, sobre cornija saliente, e lanternim no caixotão central; com retábulo, em talha policroma, dedicado ao Sagrado Coração de Jesus, com imagem do orago sob baldaquino. Do lado da Epístola, capelas rasgadas na parede, em arco pleno; e capela funerária, de Deuladeu Martins, definida por pilastras suportando frontão interrompido por pedra de armas, onde se abre arco pleno, sobre pilastras dóricas; interior revestido a azulejos de padrão azul e branco e abóbada artesoada, sobre cornija saliente. Possui confrontantes dois túmulos de essas em arcosólios de arco pleno, moldurado, com voluta na pedra de fecho, sobre pilastras dóricas, molduradas, rematado por frontão triangular, e retábulo em talha dourada. Arco triunfal pleno assente em pilastras dóricas, inscrito em moldura rectangular, encimada por frontão triangular. Lateralmente, restos do arco anterior e pinturas murais. Na capela-mor portas de verga recta, confrontantes, de acesso às sacristias. Altar-mor, sobrelevado e com acesso por três degraus, com mesa de altar, em talha, destacada, com retábulo em talha dourada, apresentando Custódia sobre trono. Tecto de perfil curvo sobre cornija saliente, tendo painel central pintado com imagem de Nossa Senhora.

Acessos

Monção, Rua João de Pinho

Protecção

Categoria: IIP - Imóvel de Interesse Público, Decreto nº 33 587, DG, 1.ª série, n.º 63 de 27 março 1944 (capela de São Sebastião)

Enquadramento

Urbano, isolado, junto ao Hospital, no interior da praça fortificada de Monção, com a fachada virada para um pequeno largo lajeado, definido pelos arruamentos que confluem para este local, e rodeado por estreitas ruelas calcetadas com godo.

Descrição Complementar

A capela que ladeia o arco triunfal, pelo lado do Evangelho, apresenta retábulo em talha policroma, com acesso por três degraus, tendo edículas laterais com pilastras dóricas sustentando arco moldurado, inscrito em rectângulo, com pedra de fecho decorado com volutas, albergando imagem do padroeiro de grandes dimensões. Na capela de Deuladeu Martins, o túmulo do lado E. tem a inscrição: "CENOTAPHIO DA VARONIL D(E)FENSORA DESTA PRAÇA DEV/LADEV M(ART)I(N)Z CVIA FAMA A VINCVLOV O BRAZAO DA NOBR(E)ZA / DESTA LEAL V(IL)A NO SEV RETRATO E NESTE TVMVLO ETER/NIDADE A SVA FAMA SEV 6º. NETO O Me DE CAMPO FRANCo. / DA CVNHA DA SILVA VELHO. FIDº DA CAZA D(E) S(VA) A(LTEZA) CAVAL(EI)Ro / DA ORDEM D(E) XPO G(OVERNAD)OR E CAPP(IT)AM MOR D(E)STA PRACA E ADMINIS/TRADOR DESTA SVA ANTIGA CAPELA QVE EDEFICOV NO / ANNO DE 1679"; o do lado oposto tem a inscrição: "TVMVLO D(O) M(E)S(TRE) D(E) CAMPO ALVo D(E) AZ(EVE)D(O) BARRETO / VELHO Fo. D(E) ANDRE VELHO D(E) AZ(EVE)D(O) FIDo. DA CAZA / D(E) S(VA) MAG(ESTA)De E COM(ENDA)DOR DA ORDEM D(E) XPO FALL/ECEO NA V(IL)A D(O) C(OND)e S(E) TRESLADARÃOSE OS SEVS OSOS / P(AR)A ESTA. S(EPVLTVR)A q(VE) LHE FES SEV IRMAÕ FRANC(ISC)o DA CV/NHA DA SILVA VELHO DO ANNO DE 1679". No pavimento encontram-se tampas sepulcrais epigrafadas, tendo inscritas as datas 1482 e 1679. As portas que estabelecem a comunicação desta capela com os compartimentos anexos apresentam moldura estriada e duas almofadas, em talha dourada e policroma, decoradas com um florão. O arco triunfal amputou um anterior arco, do qual se conserva a metade inferior, com duas arquivoltas com decoração boleada, sobrepostas a dois frescos figurando a Descida da Cruz, do lado da Epístola, e a Natividade, do lado do Evangelho. Capela-mor com retábulo em talha dourada, tendo edículas laterais. Interior iluminado pelas duas janelas e óculo da fachada principal, janela na nave, óculo e lanternim nas capelas do lado do Evangelho, duas janelas na capela do lado da Epístola e três janelas na capela-mor.

Utilização Inicial

Religiosa: igreja paroquial

Utilização Actual

Religiosa: igreja paroquial

Propriedade

Privada: Igreja Católica (Diocese de Viana do Castelo)

Afectação

Sem afectação

Época Construção

Séc. 14 / 16 / 17 / 18

Arquitecto / Construtor / Autor

ORGANEIRO: José Manuel da Costa (1877).

Cronologia

1308 - início da construção da igreja; 1482 - data inscrita em tampa sepulcral; 1521 - construção da capela de São Sebastião, instituída por D. Vasco Marinho, sacerdote monçanense que foi valido do Papa Leão X e do Rei D. Manuel I; séc. 17 - o juiz vereador, procurador do conselho e nobreza da vila de Monção solicitam ao rei a concessão do dinheiro da imposição do sal, por três anos, para se consertar a Igreja Matriz, a casa da Misericórdia e seus retábulos e os Paços do Concelho; construção da torre sineira; 1641, 21 Janeiro - o rei concede a imposição de $220 sobre cada pipa de vinho e de $200 sobre o sal para as obras; 1668, 12 Outubro - autorização da pretensão; 1674, 20 Dezembro - renovação da autorização, com a obrigação dos trabalhos se estenderem à cadeia; 1679 - construção da capela funerária de Deuladeu Martins; conclusão da capela do Sacramento ou Nossa Senhora da Rosa, encomendada por Francisco da Cunha da Silva, mas as obras, possivelmente, devem ter-se prolongado até 1708; 1701 - diploma régio confirmando as disposições anteriores; séc. 18 - remodelação da igreja, incluindo a construção da capela onde se alberga, actualmente, a imagem do Sagrado Coração de Jesus, instituída pelo arcediago Álvaro Soares de Castro, e a edificação da torre sineira; 1877, Abril - publicação de carta da Junta da Paróquia de Monção, datada de 19 de Janeiro do mesmo ano, louvando o restauro que José Manuel da Costa fizera no órgão da igreja; 1940, 26 setembro - publicação de Decreto nº 30 762, no DG, 1.ª série, n.º 225, determinando a classificação da Capela de São Sebastião como Imóvel de Interesse Público; 01 novembro - publicação do Decreto nº 30 838, DG, 1.ª série, n.º 254, suspendendo o decreto n.º 30 762, de 26 de setembro do mesmo ano, relativamente à classificação de imóveis de propriedade particular.

Dados Técnicos

Estrutura mista nas capelas laterais e na capela-mor e paredes autoportantes na nave.

Materiais

Estrutura em cantaria, com paramentos rebocados e pintados e com lambril de azulejos de padrão azul amarelo e branco, com vãos e cunhais em cantaria, capela de São Sebastião com estrutura decorativa em mármore, sineira em cantaria, cobertura em madeira telhada e com abóbada de pedra, coro-alto em pedra e madeira, guarda-vento em madeira, púlpito de pedra com balaustrada em madeira, altares em madeira, pavimentos em lajes graníticas, soalhado e com mosaico cerâmico, portas de madeira e gradeada, janelas gradeadas e envidraçadas, cruz e catavento em ferro.

Bibliografia

PEREIRA, Félix Alves, Architectura românica. O pórtico da matriz de Monção, O Archeologo Português, 9 ( 3 - 6 ), Lisboa, 1904, p. 111 - 118; VITERBO, Sousa, Dicionário Histórico e Documental dos Arquitectos, Engenheiros e Construtores Portugueses, vol. 3, Lisboa, 1922; DIONÍSIO, Santana ( dir. ), Guia de Portugal. IV Entre Douro e Minho - II Minho, Lisboa, s/d, p. 1088 - 1089; ALMEIDA, José António Ferreira de ( org. ), Tesouros Artísticos de Portugal, Lisboa, 1976, p. 400; ALMEIDA, Carlos Alberto Ferreira de, Arquitectura Românica de Entre-Douro-e-Minho, vol. 2, Porto, 1978, p. 237 - 238; idem, Alto Minho, Lisboa, 1987, p. 172; ALVES, Lourenço, Igrejas e Capelas Românicas da Ribeira Minho, Caminiana, 6, Caminha, 1982, p. 126 - 128; idem, Do Gótico ao Manuelino. II - Monumentos religiosos, Caminiana, 10, Caminha, 1984, p. 64 - 67; SOROMENHO, Miguel, Manuel Pinto de Vilalobos da Engenharia Militar à Arquitectura, Dissertação de Mestrado em História da Arte Moderna, vol. 1, U.N.L., 1991; OLIVEIRA, Eduardo Pires, Arte Religiosa e Artistas em Braga e sua região (1870 - 1920), Braga, 1999.

Documentação Gráfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Administrativa

Intervenção Realizada

Comissão Fabriqueira: séc. 20, inícios - restauro do portal; 1990, finais da década - obras de conservação geral.

Observações

A protecção de que goza este monumento é referente, exclusivamente, à Capela de São Sebastião. De entre os compartimentos anexos, realce para a sacristia da fachada N. e dos arrumos anexos à fachada principal, que apresentam dois pisos. A fachada O. é a única que não apresenta pináculos sobre os cunhais. A imagem da fachada S. é proveniente da capela da mesma invocação, demolida para alargamento do Largo com esse nome. Nas obras de restauro do portal principal foram destruídas as bases das colunas originais.

Autor e Data

Paulo Amaral 1999

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login