Igreja Paroquial de Valadares / Igreja de Santa Eulália

IPA.00006862
Portugal, Viana do Castelo, Monção, União das freguesias de Messegães, Valadares e Sá
 
Arquitectura religiosa, renascentista. Igreja renascentista de planta longitudinal, composta e nave única, fachada principal em empena, com portal de arco pleno, com chanfro côncavo esculpido, redecorada em finais do séc. 17, inícios do 18, ostentando retábulos de talha dourada e policroma, maneiristas e o mor barroco. Igreja renascentista de linhas simples e com vãos igualmente simples, sendo o portal decorado no intradorso por motivos vegetalistas e antropomórficos. A capela de Santo António apresenta, exteriormente, um nicho, ricamente lavrado, com imagem em pedra e no interior retábulo de talha dourada com painéis lavrados, à excepção dos 2 centrais que eram pintados. Pia de água benta, na nave, decorada por toro e escudetes; na sacristia encontra-se um bom exemplar de lavatório com bica carranca e um belíssimo Crucifixo, com a imagem do Senhor, em duas peças, com os pés paralelos, revelando um trabalho de excelente qualidade. A sineira é constituída por corpo rectangular, adossado à fachada principal.
Número IPA Antigo: PT011604320006
 
Registo visualizado 144 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Religioso  Templo  Igreja paroquial  

Descrição

Planta longitudinal, composta por nave única e capela-mor, rectangulares, com sacristia, capela e sineira, rectangulares, adossados a S.. Volumes escalonados, com coberturas diferenciadas em telhados de uma e duas águas. Fachadas, em cantaria de granito em fiadas pseudo-isódomas, percorridas por cornija saliente, com cunhais sobrepujados por pináculos, e cruz sobre acrotério nas empenas. Fachada principal, orientada a O., em empena, com portal de arco pleno, com chanfro côncavo decorado por motivos vegetalistas quadrifoliados e antropomórficos, apresentando uma aduela inscrita com a data 1534; é encimado por óculo circular. Sineira em corpo rectangular, com acesso exterior de escada de um lanço, com janela de arco pleno rematada por cornija saliente, suportando cruz entre pináculos. Fachada N. com janelos rectangulares e porta de arco pleno, chanfrado, na nave, e janelo rectangular na capela-mor. Fachada E. com porta de verga recta e janelo rectangular, na sacristia, e fachada S. com janelo rectangular, na capela-mor, e escada de acesso à sineira. A capela adossada à nave, com pilastras nos cunhais, é rasgada por duas janelas rectangulares, laterais, possuindo na empena nicho decorado. INTERIOR rebocado e pintado, tendo na nave coro-alto assente em trave de madeira e balaustrada de madeira, com pia de água benta e pia baptismal no sub-coro. Colateralmente, portas-confessionários, confrontantes; no lado do Evangelho, nicho rectangular, rasgado na parede, púlpito rectangular sobre mísula pétrea e parapeito em talha policroma, e pia de água benta, decorada por toro e escudetes; no lado da Epístola, capela, com arco abatido sobre pilastras dóricas, estriadas, albergando retábulo, em talha dourada e policroma. Arco triunfal, pleno, assente em pilastras, ladeado pelos altares, em talha dourada, postos de ângulo. Capela-mor com porta de verga recta de acesso à sacristia, à direita. Altar-mor, sobrelevado e com acesso por dois degraus, com mesa de altar, em pedra, destacada, ostentando retábulo em talha dourada e policroma, albergando Custódia sobre trono. Pavimentos em mosaico cerâmico na nave e em lajes de granito na capela-mor e na capela lateral. Tecto de perfil anguloso, em madeira, na nave e capela-mor e em abóbada pétrea, sobre cornija saliente na capela lateral.

Acessos

Valadares, Lugar de Lagendo

Protecção

Categoria: IIP - Imóvel de Interesse Público, Decreto nº 44 075, DG, 1.ª série, n.º 281 de 05 dezembro 1961

Enquadramento

Rural, isolado, no exterior da povoação e a E. da mesma, em plataforma sobranceira à superfície aluvial do Rio Minho, formando adro murado e calcetado. A igreja ergue-se virada para a povoação, desenvolvendo-se junto à fachada lateral direita o cemitério paroquial, protegido por alto muro. Fronteiro tem pequeno largo lajeado e ajardinado em face da EM Valadares - Sá.

Descrição Complementar

A fachada N. da nave ainda preserva, junto aos cunhais, dois cachorros, lisos, sob a cornija. Um silhar sob a cornija, no cunhal O. da fachada N., apresenta grande desgaste provocado por corrente de uma anterior sineira instalada nesse local. A capela adossada, apresenta, junto à empena, nicho de arco pleno sobre pilastras, decorados com motivos fitomórficos e ladeadas por uma dupla espiral, quebrada, assentando em parapeito saliente, com decoração geométrica relevada e avental, com remate espiralados e flor-de-lis, sendo cerrado por janela envidraçada e gradeada, albergando imagem, em pedra, de Santo António. O acesso à sineira faz-se por escada de lanço único, conduzindo a patamar cerrado por porta de verga recta. A capela de Santo António, com paramento de aparelho de alvenaria irregular de granito à vista, com as juntas tomadas e caiadas, é cerrada por grade de ferro, apresentando, lateralmente, bancos corridos em granito, encastrados na parede, e armário rectangular rasgado na parede, à esquerda; ostenta altar sobrelevado e com acesso por um degrau e retábulo, em talha dourada e policroma, com edícula central sobrepujada por pintura de Santo António e ladeada por mísulas. Os retábulos laterais são dedicados a Nossa Senhora de Fátima, do lado do Evangelho, e a Nossa Senhora do Carmo, do lado da Epístola. O arco triunfal rasga-se em paramento de aparelho de alvenaria irregular de granito à vista, com as juntas tomadas e caiadas. A capela-mor com o mesmo tipo de aparelho, apresenta, rasgados na parede, pequenos vãos, de parapeito saliente, rectangular, à esquerda, e recortado, à direita, tendo retábulo-mor, em talha dourada e policroma, com edícula central ladeada por mísulas. Na sacristia encontra-se um lavatório em peça rectangular, moldurada, sublinhada superiormente por cornija saliente, inscrevendo bica carranca envolta por motivos vegetalistas, sobre pia semicircular, estriada.

Utilização Inicial

Religiosa: igreja paroquial

Utilização Actual

Religiosa: igreja paroquial

Propriedade

Privada: Igreja Católica (Diocese de Viana do Castelo)

Afectação

Sem afectação

Época Construção

Séc. 16 / 17 / 18

Arquitecto / Construtor / Autor

Desconhecido.

Cronologia

1534 - data inscrita na fachada principal; séc. 17 / 18 - remodelação da igreja; 1758, 16 maio - segundo o pároco Martinho Moreira do Couto nas Memórias Paroquiais, a freguesia pertencia ao Arcebispado de Braga, comarca de Valença e era da Casa do Infantado; tinha 150 vizinhos e 324 pessoas; a paróquia ficava fora do lugar e a igreja tinha quatro altares, a saber: o altar-mor em que estava o tabernáculo e o Santíssimo, com as imagens de Santa Eulália, do lado da Epístola, e a de São Bento, do Aldo da Epístola; na nave, do lado do Evangelho, tinha o altar de Nossa Senhora do Rosário, com a imagem de São Paulo; do lado da Epístola, o altar de Senhora do Carmo, onde havia também a imagem de São Sebastião; junto a este altar tinha uma capela profunda de Santo António, com abóbada de pedra, e onde existia uma Irmandade; o pároco era abade, apresentado pela Casa do Infantado.

Dados Técnicos

Sistema estrutural de paredes portantes.

Materiais

Estrutura em cantaria, com paramentos rebocados e pintados e em aparelho de alvenaria irregular de granito à vista, com as juntas tomadas e caiadas, e vãos e cunhais em cantaria, sineira em cantaria, coro-alto em madeira, púlpito de pedra com parapeito em madeira, altares em madeira, cobertura em madeira telhada e em abóbada pétrea, pavimentos em lajes graníticas e em mosaico cerâmico, portas de madeira, janelas gradeadas e envidraçadas, grade de ferro.

Bibliografia

ALMEIDA, Carlos Alberto Ferreira de, Alto Minho, Lisboa, 1987, p. 176; CAPELA, José Viriato, As freguesias do distrito de Viana do Castelo nas Memórias Paroquiais de 1758, Braga, Casa Museu de Monção / Universidade do Minho, 2005; VIEIRA, José Augusto, O Minho Pittoresco, 1, Lisboa, 1886, p. 54.

Documentação Gráfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Administrativa

Intervenção Realizada

Observações

Esta igreja, pertença da paróquia de Valadares, apresenta a particularidade de se implantar em local já integrado na freguesia de Sá. A imagem de Nossa Senhora do Carmo encontra-se guardada na casa da zeladora da igreja.

Autor e Data

Paulo Amaral 1999

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login