Cruzeiro de São Julião

IPA.00006856
Portugal, Viana do Castelo, Melgaço, União das freguesias de Vila e Roussas
 
Cruzeiro da vila de construção quinhentista de assinalável qualidade e feitura erudita. Possui base esculpida com uma caveira, numa alusão ao Monte Gólgota, local de crucificação de Cristo, fuste galbado, com o terço inferior liso e o restante estriado com decoração boleada, capitel de acantos e cruz terminada em botão com representação escultórica em ambas as faces. Na face frontal tem a imagem de Cristo, numa figuração naturalista e de pés sobrepostos, e na face oposta, a Pietá, de acentuado dramatismo. A representação de Cristo, a decoração do capitel e do fuste, surgem copiadas num outro cruzeiro de características populares erguido na mesma vila, em local não distante daquele onde este cruzeiro poderia estar colocado antes de ser trasladado para São Julião.
Número IPA Antigo: PT011603180008
 
Registo visualizado 76 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Estrutura  Religioso  Cruzeiro  Cruzeiro de caminho  Tipo coluna e cruz

Descrição

Sobre plataforma de planta quadrangular composta por três degraus assenta base pouco desenvolvida, de secção horizontal quadrada, decorada por motivos geométricos e fitomórficos. A coluna arranca com secção quadrangular, insculpida a O. com uma caveira e nas outras faces com motivos, designadamente geométricos. O fuste, ligeiramente galbado, estreita depois em gola, é ornado com anel e até cerca de um terço da sua altura toma secção circular, liso, passando depois a estriado com motivos boleados. Capitel desenvolvido, com acantos estilizados, rematado nos extremos por molduras. Sobre ele, desenvolve-se cruz latina de braços e haste rematados em botão tendo virado a O., a imagem de Cristo na cruz, de pés sobrepostos, e mãos cravadas por prego em ferro, encimado por inscrição "INRI". Virada a E. surge uma Pietá, com Virgem envolvida em amplo manto, definindo todo o grupo escultórico, sobre querubim. Sobre o capitel foi aposto aro férreo que sustenta lanterna.

Acessos

Vila, EN 301 Melgaço - São GregóriO

Protecção

Categoria: MN - Monumento Nacional, Decreto nº 11 454, DG, 1.ª série, n.º 35 de 19 fevereiro 1926

Enquadramento

Urbano, isolado. Ergue-se à saída da vila em direcção à fronteira, a S. da EN, ao centro de uma plataforma sobranceira à via, apoiada em muro de sustentação. É delimitada a S. por muro elevado de propriedade particular, sobre o qual assomam frondosas árvores, e a O. por murete com pequeno portão férreo. Acede-se-lhe por escadas graníticas de dois lanços. A SO. ergue-se casa de habitação de pequenas dimensões. No extremo E. da plataforma, a capela de São Julião (v. PT011603180013) e, do outro lado da estrada, a Casa da Quinta da Calçada (v. PT011603180012).

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Religiosa: cruzeiro

Utilização Actual

Religiosa: cruzeiro

Propriedade

Privada: pessoa singular

Afectação

Sem afetação

Época Construção

Séc. 17

Arquitecto / Construtor / Autor

Desconhecido.

Cronologia

Séc. 17 - época provável do cruzeiro da vila; situava-se no Coto da Pedreira, que era monte baldio pertencente à Câmara, à entrada das Carvalhiças; 1703 - Frei Domingos Domes de Abreu solicita autorização para construir a capela de Nossa Senhora da Pastoriza, no Coto da Pedreira, por ser lugar público "onde costumam ir os clamores desta vila não havendo neste lugar mais do que uma cruz"; na organização do processo, na Mitra de Braga, designa-se como o cruzeiro da Vila, extra-muros; 1725 / 1727 - obras de construção da capela de Nossa Senhora da Pastoriza, ocupando o local do cruzeiro, altura em que deve ter sido transferido para o campo da Feira de Fora; 1779 - erguia-se no Campo da Feira de Fora, junto de uma morada de casas, cuja escadaria exterior dificultava a passagem das procissões à sua volta; depois foi mudado para o Campo da Feira de Dentro, ficando mais ou menos no centro do largo; 1867 - transferência do cruzeiro pela junta da Paróquia para o adro da Capela de São Julião.

Dados Técnicos

Estrutura autoportante.

Materiais

Estrutura de granito; aros, pregos e lanterna em ferro.

Bibliografia

ALMEIDA, Carlos Alberto Ferreira de - Alto Minho. Lisboa: 1987; ESTEVES, Augusto César - Melgaço e as Invasões Francesas. Melgaço: 1950; ESTEVES, Augusto César - Obras completas nas páginas do Notícias de Melgaço. Melgaço: 2003, vol. 1, tomo 2; IPPAR - Património Arquitectónico e Arqueológico Classificado. Lisboa: 1993, vol. 3.

Documentação Gráfica

Documentação Fotográfica

DGPC: DGEMN:DSID, SIPA

Documentação Administrativa

Intervenção Realizada

Observações

O proprietário informa que aguarda confirmação da posse.

Autor e Data

Paulo Amaral e Alexandra Cerveira 1999

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login