Igreja de Nossa Senhora de Monserrate / Igreja da Ordem Terceira

IPA.00006697
Portugal, Leiria, Óbidos, Santa Maria, São Pedro e Sobral da Lagoa
 
Arquitectura religiosa, medieval, renascentista, maneirista, barroca. Capela de planta longitudinal composta por nave única e capela-mor, torre sineira adossada.
Número IPA Antigo: PT031012040010
 
Registo visualizado 591 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Religioso  Templo  Igreja  

Descrição

Planta longitudinal composta por nave única e capela-mor, torre sineira adossada a SO.; massas dispostas na horizontalidade; cobertura diferenciada em telhado de 2 águas (corpo da igreja) de 3 águas e de aba corrida sobre a sacristia e anexo. Exterior: frontespício orientado, de pano único definido por cunhais de cantaria, em empena triangular sobrepujado por cruz trevada e ladeado por pináculos piramidais; sobre portal em arco abatido de verga saliente rasga-se janelão gradeado coroado pelas armas da Ordem franciscana. Torre de planta quadrada com 2 pisos divididos por frisos: 1º piso, cego; 2º piso: abertura sineira em arco alteado nas 4 faces de cantos chanfrados; remate em coruchéu octogonal de ângulos quebrados flanqueado e sobrepujado por pináculos. Fachada S.: 1º piso da torre sineira e corpo da igreja abertos por 2 pequenas frestas horizontais; ressalto da casa do despacho em empena recta e cega. Fachada E.: corpo de altura diferenciada rasgado por 2 janelas rectas que abrem para a sala anexa e sacristia. INTERIOR: coro-alto de balaustrada abre sobre a nave única de pavimento em sobrado e tecto de madeira disposto em 3 planos; paredes totalmente revestidas a azulejos azuis e brancos enxaquetados e polícromos; púlpito de base quadrangular assente em coluna. Por 4 degraus de pedra ascende-se à capela-mor, de planta quadrada, coberta por cúpula de meia calote esférica sem lanternim, rasgada por 2 frestas laterais; pavimentada a tijoleira com pedra sepulcral junto ao altar contendo a seguinte inscrição: AQUI JAZ O PADRE LUIS FRANCO, BENEFICIADO NA IGREJA DE SÃO JOÃO DO MOCHARRO, FALECEU DO MAL DA PESTE AOS IX DE MARÇO DA ERA DE 1599. MANDOU REEDIFICAR ESTA IGREJA À SUA CUSTA; 3 arcos plenos iguais abrem para a nave, sacristia e casa do despacho; paredes revestidas a azulejos polícromos, frontal de altar em azulejos avulso com figuras (pássaros e flores); retábulo em talha dourada com imagem de vulto de Nossa Senhora de Monserrate, ladeado por colunas estriadas de capitéis jónicos e frontão lavrado com alhetas e volutas; sacristia com revestimento azulejar a meia altura, tecto plano com os símbolos marianos pintados: o Sol, a Lua, rosas, lírios e uma estrela.

Acessos

Rua D. João D'Ornelas

Protecção

Em estudo / Incluído na Zona Especial de Protecção do Castelo (v. PT03101204001) e Núcleo urbano da vila de Óbidos (v. PT03101204050)

Enquadramento

Urbano.Flanqueado, implantação harmónica. Situa-se junto ao casario, extramuros.

Descrição Complementar

A campa sepulcral junto ao altar tem incisa a inscrição: AQUI JAZ O PADRE LUIS FRANCO, BENEFICIADO NA IGREJA DE SÃO JOÃO DO MOCHARRO, FALECEU DO MAL DA PESTE AOS IX DE MARÇO DA ERA DE 1599. MANDOU REEDIFICAR ESTA IGREJA À SUA CUSTA. -Retábulo (1599-1600) pintado por Belchior de Matos e talhado por Manuel das Neves. Consiste num nicho central com a imagem de vulto seiscentista de N.ª Srª de Monserrate ladeado por colunas estriadas de capitéis jónicos e frontão lavrado com alhetas e volutas. As pinturas representam: São João em Patmos; São Francisco de Assis, Santa Clara, Santo António, dois anjos e São Jerónimo. - O tecto da sacristia tem pintados: o Sol, a Lua, rosas, lírios e uma estrela.

Utilização Inicial

Religiosa: igreja

Utilização Actual

Religiosa: igreja

Propriedade

Privada: Igreja Católica

Afectação

Sem afectação

Época Construção

Séc. 14 / 16 / 17 / 18

Arquitecto / Construtor / Autor

Pintor: Belchior de Matos; talhador: Manuel das Neves.

Cronologia

c. 1300 - Primitiva capela dedicada a Nossa Senhora de Monserrate pertencente à família Sanhudo (época de construção da abóbada); c. 1400 - A Ordem Terceira de São Francisco instala-se por empréstimo na igreja; 1529 - O Pe. Luís Franco remodela o templo às suas expensas. Construção da nave; 1599 - Sepultamento do P.e. Luis Franco junto ao altar-mor; Belchior de Matos pinta o retábulo; Séc. 17 - É acrescentada a torre sineira e a dependência situada atrás desta. Revestimento azulejar da nave e capela-mor; 1731 - Extinguindo-se a família Sanhudo, os seus parentes Britos Pegados doam a ermida à Ordem Terceira de São Francisco; 1745 - campanha de obras onde a nave é acrescentada e construída a torre do campanário. Revestimento azulejar em parte da nave, cabeceira e sub-coro. Frontespício (porta e janela); 1755 - é instalada nesta capela a colegiada de Santiago, devido aos danos causados pelo terramoto na igreja de Santiago, onde se manteve até 1772.

Dados Técnicos

Estrutura mista (capela-mor) e paredes autoportantes

Materiais

Estrutura em alvenaria e cantaria; pavimento em sobrado e tijoleira, revestimento azulejar, cobertura de madeira e reboco (interior) de telha (exterior)

Bibliografia

TRINDADE, João, Memórias Históricas e Diferentes Apontamentos Àcerca das Antiguidades de Óbidos, (leitura, apresentação e notas), 1985; CÂMARA, Teresa Bettencourt da, Arquitectura e Urbanismo - Séculos XVI e XVII, Óbidos, 1987; Belchior de Matos, 1595-1628, Catálogo de Vítor Serrão, Museu Malhoa, Caldas da Rainha,1981

Documentação Gráfica

Documentação Fotográfica

DGEMN: DSID

Documentação Administrativa

CMO

Intervenção Realizada

Fábrica da Igreja: 2001 - recuperação geral do edifício.

Observações

Autor e Data

Lurdes Perdigão 1996

Actualização

Cecília Matias 2003
 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login