Igreja de Nossa Senhora da Luz do Convento dos Religiosos Agostinhos Calçados / Igreja de Nossa Senhora da Luz

IPA.00006565
Portugal, Portalegre, Arronches, Assunção
 
Arquitectura religiosa, renascentista. Igreja conventual, de planta longitudinal, cruciforme, centralizada pela cabeceira muito profunda, quase igualando as dimensões da nave antecedida por endonártex; dependências conventuais a N.; cobertura interior em abóbadas de canhão no coro-alto, nave e cabeceira e em cúpulas sobre pendentes no cruzeiro e braços transepto, decoradas nestes com caixotões preenchidos por trabalhos de massa. Cabeceira muito profunda conferindo centralidade à planta. A cobertura do transepto, em três cúpulas, estando as dos braços subdivididas por caixotões decorados com trabalhos de massa em baixo relevo.
Número IPA Antigo: PT041202010005
 
Registo visualizado 505 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Religioso  Convento / Mosteiro  Convento masculino  Ordem dos Eremitas de Santo Agostinho - Gracianos

Descrição

Planta longitudinal, centralizante, cruciforme, composta por endonártex, nave, transepto saliente, cabeceira quase tão profunda como o corpo da igreja, a N. a torre sineira de planta rectangular, disposta paralelamente ao endonártex, a E. e N. as dependências conventuais e a S. pequena dependência quadrangular, adossada à nave. Volumes articulados, massas dispostas na horizontal com cobertura diferenciada em telhados de duas águas na nave, cabeceira e corpo anexo a O., em domos (com falsos lanternins) no transepto, todos com telha mourisca. Alçados de alvenaria rebocada e caiada, exepto o endonártex de cantaria, com remates em cornija e beirado saliente envolvente. Fachada principal a O., de pano único, com contrafortes diagonais e dois registos; inferiormente o endonártex, em cantaria aparelhada, com entablamento envolvendo os contrafortes e loggia de arcaria redonda, de 3 vãos a O. e dois a S. e N., estes fechados pelo corpo da torre sineira; a arcaria assenta sobre possantes colunas toscanas, com ligeiro entase, a extrema do lado S., mais estreita; no interior abóbada nervurada, rebaixada, estrelada, com chaves lavradas, albergando o portal; este é em arco redondo sobre pilastras, com medalhões e bustos à romana nas enjuntas, sobreposto de entablamento munido de pequeno frontão redondo, terminando em voluras zoomórficas, com concha central; no segundo registo da fachada principal com remate em empena, ao centro, janelão rectangular, de caixilhos, com molduras pétreas e verga sobreposta de cornija de alvenaria. Fachada lateral S. de 3 panos correspondentes ao endonártex, nave, e cabeceira com prédio adossado; pano do endonártex delimitado por contrafortes diagonais, de pedra aparelhada; apresenta dois registos, o inferior correspondente à galeria do endonártex, idêntica à da fachada O. mas de apenas dois vãos; pano da nave de dois registos defenidos por cornija moldurada, no seguimento e repetindo a cornija do contraforte; inferiormente rasga-se porta travessa, com molduras de cantaria sobreposta de janela reentrante com molduras de cantaria, as interiores em capialço; à direita da porta adossa-se dependência baixa, com alçados de pano único delimitados por cunhais pintados a amarelo, remates em cornija e beirado, rasgados a O. por porta de acesso, de molduras de cantaria e verga em arco abatido, e dois pequenos óculos sob o beirado e a S. por óculo idêntico mas axial; na aba O. do telhado chaminé de planta rectangular; adossado a este corpo, o braço do transepto, mais alto, rasgado a S. por janela em capialço; acima do braço do transepto o corpo da nave descreve pequena empena, rasgado por janela em capialço; o corpo do cruzeiro, mais alto e recuado, possui os alçados cegos; sob o telhado da cabeceira, junto ao corpo do cruzeiro, chaminé de planta rectangular. Fachada lateral N. adossada às dependências conventuais e à Torre sineira; esta dispoê-se em dois registos, definidos por cornija moldurada, com caixa das escadas embebido a N. que no segundo registo adquire perfil circular; três olhais neste registo que remata em cornija, identica à inferior, e platibanda de resguardo do mirante. Fachada E. com o corpo saliente do altar-mor adossado a prédio de habitação e às dependências conventuais. INTERIOR: nave com cobertura em abóbada de canhão, com dois tirantes de ferro e medalhão central, rectangular decorado com o símbolo dos agostinhos; cobertura em cúpula sobre pendentes no cruzeiro. Pavimentos de tijoleira de tipo artesanal. No alçado O., inferiormente, a porta de acesso à nave com verga muito abatida; superiormente o coro-alto sustentado pelo corpo do endonártex, com cobertura em abóbada de canhão, mais baixa e diferenciada da da nave; é iluminado por janelão rasgado na espessura do muro; no alçado N. porta de acesso à torre sineira. Alçados laterais de dois registos definidos por cornija moldurada. Braços do transepto, formando capela, com acesso por arco de volta perfeita e coberturas em cúpula sobre pendentes, decorados com concha simulando trompa; o intradorso das cúpulas é dividido em 5 fiadas de caixotões, cada com decoração variada em trabalhos de massa de baixo relevo, de cariz vegetalista. No Lado do Evangelho corpo de escadas de madeira de acesso ao coro-alto; sob as escadas, dois nichos em arco redondo; junto ao transepto, púlpito de madeira; capela do transepto de invocação a Santo António, com acesso por arco de cantaria aparelhada; alçado E. da capela totalmente preenchido com pinturas murais alusivas à vida do santo, rasgado ao centro por nicho de volta perfeita sobre pilastras duplas e com fina arquivolta e colunelo decorados de elementos vegetalistas; o nicho é dividido ao centro por prateleira de alvenaria; as pinturas murais distribuem-se em 4 cenas, duas de cada lado, separadas por pilastras e entablamentos com decorações vegetalistas e legendas pintadas em capitais; ao centro, sobre o nicho, composição arquitectónica de frontão com decoração vegetalista ao centro; do lado direito figura-se, superiormente Santo Agostinho tonsurado rodeado de crianças, um adas quais segurando a mitra, e uma ulher enferma; inferiormente "Morte de Santo Agostinho"; mesa de altar rectangular de alvenaria; no alçado O. porta que comunicaria com o convento; no alçado N. medalhão oval epigrafado, envolto por moldura de enrolamentos e tendo ao centro mitra. Do lado da Epístola porta travessa de acesso ao exterior; a capela do transepto é igual ao que se lhe opõe, apresentando um altar semelhante ao anterior mas sem pinturas murais, da invocação de São João de Deus; do lado oposto pequeno nicho de volta perfeita e no alçado S. janela estreita de capialço. Arcos do cruzeiro e triunfal de volta perfeita sobre pilastrsa, de alvenaria. Capela-mor, antecedida por teia moderna de madeira, com cobertura em abóbada de canhão; nos alçados laterais rasga-se janelão rectangular; zona do altar-mor ligeiramente elevada com acesso por pequeno lanço de escadas; o retábulo-mor limita-se a vão em arco redondo com crucifixo sobre cortinado; do lado da Epístola, porta de acesso, através de escadas, às traseiras do altar.

Acessos

Largo General Norton de Matos. WGS84 (graus decimais) lat.: 39,123835, long.: -7,283597

Protecção

Categoria: IIP - Imóvel de Interesse Público, Decreto n.º 45/93, DR, 1.ª série-B, n.º 280 de 30 novembro 1993

Enquadramento

Urbano, adossado. Fachada principal abrindo para largo calcetado com acesso por escadaria de 5 degraus; fachada lateral S. para pequeno adro murado, ajardinado, com acesso por escadaria capeada a tijoleira. A S. e E.adossa-se prédio de habitação.

Descrição Complementar

Os contrafortes dispõem-se em dois registos, definidos por cornija saliente moldurada e rematados pela cornija e beirado envolvente dos alçados; na fachada O. o cunhal da esquerda, N., é interrompido pela Torre sineira; na fachada S. o cunhal da direita, E., é de maiores dimensões, com dupla cornija a superior muito saliente, e com o segundo registo rebocado e caiado.

Utilização Inicial

Religiosa: convento masculino

Utilização Actual

Religiosa: igreja

Propriedade

Privada: Igreja Católica (Diocese de Portalegre - Castelo Branco)

Afectação

Sem afectação

Época Construção

Séc. 16

Arquitecto / Construtor / Autor

Desconhecido.

Cronologia

1570 - fundação do Convento dos Religiosos Agostinhos Calçados, no lugar onde existia a ermida de Nossa Senhora da Luz.

Dados Técnicos

Estrutura mista, paredes de alvenaria de pedra e tijolo com argamassa; rebocos caiados; contrafortes exteriores para contrariar os empuxos horizontais vindos das abóbadas; pavimentos de tijoleira, lajes de granito e mármore (pedras tumulares no corredor central da nave); cobertura telhada sobre armação de madeira apoiada no extradorso das abóbadas.

Materiais

Mármore, granito, pedra, tijolo, argamassa de cal e de cimento, cal, tijoleira, madeira, ferro forjado, telhas mouriscas.

Bibliografia

SANTA MARIA, Frei Agostinho de, Santuário Mariano, Tomo 3, 1711; KEIL, Luís, Inventário Artístico de Portugal - Distrito de Portalegre, Lisboa, 1943; COSTA, Alexandre de Carvalho, Arronches - suas freguesias rurais, Viseu,Tipografia, Guerra, 1984.

Documentação Gráfica

IHRU: DGEMN / DSID, DREMS

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID, DGEMN/DREMS

Documentação Administrativa

IHRU: DGEMN/DSID, DGEMN/DREMS

Intervenção Realizada

Observações

Autor e Data

Domingos Bucho 1999 / Rosário Gordalina 2006

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login