Convento de Nossa Senhora das Necessidades / Palácio das Necessidades

IPA.00006541
Portugal, Lisboa, Lisboa, Estrela
 
Complexo arquitetónico formado por igreja, convento masculino e paço real construído entre 1743 e 1752, segundo projeto atribuído a Caetano Tomás de Sousa, que terá seguido o traço original para o palácio de Giovanni Servandoni. Exemplar de arquitetura barroca joanina, onde é visível a influência dos modelos italianos que marcam a produção arquitetónica de patrocínio régio deste período. Apresenta uma planta complexa, resultante da articulação de vários corpos que se articulam em torno de dois pátios quadrangulares, organizando alas sensivelmente retangulares, num conjunto de volumes paralelepipédicos escalonados. Tem fachada principal virada a sul, constituída por três corpos do palácio, delimitados por pilastras, nos quais se contam vinte e quatro janelas de peito no piso térreo e outras tantas de sacada, coroadas com ática, no andar nobre, e pela fachada principal da igreja, precedida de galilé. Nesta fachada destaque-se as estátuas pétreas de São Paulo e de São Pedro, assinadas, respetivamente, por José de Almeida e Alessandro Giusti, que flanqueiam a porta principal encimada por um relevo de mármore figurando Nossa Senhora das Necessidades, e, no segundo registo, ladeando a janela iluminante do coro, em dois nichos, as estátuas de São Filipe de Néri e São Francisco de Sales, também da autoria de Alessandro Giusti.
Número IPA Antigo: PT031106260127
 
Registo visualizado 4550 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Religioso / Residencial senhorial  Convento / Mosteiro / Paço real  Convento masculino  Congregação do Oratório - Oratorianos

Descrição

Planta poligonal, composta, complexa, onde se podem todavia reconhecer dois pátios quadrangulares, em torno dos quais se organizam alas sensivelmente retangulares, resultando um conjunto de volumes paralelepipédicos escalonados, com cobertura telhada a duas águas, articulados nos ângulos. A fachada principal principal, a sul, é constituída por três corpos do Palácio delimitados por pilastras, nos quais se contam vinte e quatro janelas de peito no piso térreo e outras tantas de sacada, coroadas com ática, no andar nobre, e pela fachada principal da igreja que avança relativamente à demais. Precedida por galilé, acede-se à igreja através de uma porta encimada por um relevo de mármore figurando Nossa Senhora das Necessidades e flanqueada por dois nichos albergando estátuas pétreas de São Paulo, à direita, e de São Pedro, à esquerda, obras assinadas, respetivamente, por José de Almeida e Alessandro Giusti. Sobre a galilé o terraço é delimitado por balaustrada; o segundo registo da fachada da capela apresenta, ladeando a janela iluminante do coro, dois nichos com estátuas representando São Filipe de Néri e São Francisco de Sales, também da autoria de Alessandro Giusti. A torre barroca, de secção quadrada, ostenta quatro ventanas sineiras e é adornada com fogaréus nos remates dos prumos angulares. INTERIOR: transposto o arco de cantaria do segundo corpo da fachada principal acede-se ao pátio central, ou das Palmeiras, de planta quadrada, para o qual abrem as faces interiores das alas do palácio. Nestas, rasgam-se oito janelas no piso nobre, à exceção do lado norte, onde se contam apenas quatro janelas, e em cujo piso térreo se abrem três arcos de acesso a um corredor, de onde partem escadarias, em dois lanços quebrados e muros decorados com painéis de estuque, conducentes à galeria. Na galeria observam-se três arcadas assentes em colunas de madeira dourada, quatrigeminadas, com fustes canelados e capitéis dóricos. No piso nobre encontram-se, ainda, a Sala dos Embaixadores (antiga Sala de Jantar), cujo teto apresenta pintura ornamental de temática vegetalista; o Salão de Jantar, ou de Receção, compartimento retangular, com tribuna para orquestra assente em oito colunas ornadas com grupos escultóricos alegóricos e emblemas heráldicos reais; a Antecâmara Amarela e a Sala dos Secretários, ambas decoradas com estuques relevados e dourados; o Gabinete do Ministro (antigo Quarto da Rainha), cujas portas apresentam emolduramento de mármore rosa e o teto estuques relevados patinados a ouro; a Sala de Espera (antiga Sala dos Sofás Verdes), cuja decoração mural simula mármore verde; a Sala de Bilhar, decorada com pinturas ao gosto neopompeiano; a Sala do Trono, em cujo teto, de caixotões (estuque dourado e pinturas ornamentais), se observa, no centro, uma pintura a óleo; a Sala do Protocolo (antigo Quarto de D. Carlos), revestido a talha em madeira de carvalho ao gosto neorrenascença (executado por Frederico A. Ribeiro, 1905); a galeria da antiga Biblioteca Real, a denominada Sala de Trabalho e a Biblioteca, compartimentos, todos eles, decorados com madeiras exóticas entalhadas, observando-se na Biblioteca a talha proveniente da demolida (1878) Sala dos Reis do mosteiro de Santa Maria de Belém e que Leandro Braga adaptou a esta divisão do palácio. No Largo das Necessidades ergue-se um chafariz monumental constituído por vasca calcária quadrilobada em cujo centro pontua um obelisco de mármore com quatro carrancas de bronze. A Tapada, a norte do palácio, possui variadas espécies vegetais exóticas, algumas construções, designadamente a Casa do Regalo e também obras de escultura.

Acessos

Largo do Rilvas; Largo das Necessidades

Protecção

Categoria: IIP - Imóvel de Interesse Público, Decreto n.º 8/83, DR, 1.ª série, n.º 19 de 24 janeiro 1983 / ZEP Portaria n.º 552/96, DR, 1.ª série-B, n.º 232 de 07 outubro 1996 *1 / Parcialmente incluído na Zona de Proteção do Aqueduto das Águas Livres (v. IPA.00006811)

Enquadramento

Urbano, destacado, isolado. No Largo das Necessidades, frente à fachada principal da capela do palácio, ergue-se um chafariz monumental constituído por vasca calcária quadrilobada em cujo centro pontua um obelisco de mármore com quatro carrancas de bronze. A tapada, a norte do palácio, possui variadas espécies vegetais exóticas, algumas construções, designadamente a denominada "Casa do Regalo" e também obras de escultura.

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Religiosa: convento masculino \ Residencial senhorial: paço real

Utilização Actual

Política e administrativa: ministério

Propriedade

Pública: estatal

Afectação

Ministério dos Negócios Estrangeiros

Época Construção

Séc. 18 / 19

Arquitecto / Construtor / Autor

ARQUITECTOS: Caetano Tomás de Sousa (atr.); frei Cláudio da Conceição; Giovanni Servandoni (traçado do palácio e igreja e obelisco à frente da fachada); Eugénio do Santos, Custódio Vieira e Manuel da Costa Negreiros (projetos); Joaquim Possidónio Narciso da Silva (1844 - 1846) (rem. de interiores); Giuseppe Cinatti (1844-1846) (rem. e decoração dos interiores)1; Raúl Lino (séc. 20) (restauro); ENTALHADORES: Inácio Caetano e José Francisco (1844), José Fornari (1846); ESCULTORES: Alessandro Giusti (1752); José de Almeida (1735, 1744-1747). ESTUCADOR: Ernesto Rosconi (1845-1846); MARCENEIROS: Luís Margoteu (1846) e Inácio Caetano (1846); PINTORES: António Manuel da Fonseca (1844-1846), Giuseppe Cinatti (1844-1846), Achille Rambois (1844-1846); Inácio de Oliveira Bernardes (1747-1750).

Cronologia

1735, cerca - execução de um São João Baptista e de uma Santa Isabel em cantaria, pelo escultor José de Almeida; 1742 - aquisição, pela Coroa, de terrenos a Baltazar Pereira do Lago, para edificação de um templo dedicado a Nossa Senhora das Necessidades, programa que D. João V rapidamente transformou numa sumptuosa igreja, com convento de São Filipe de Néri e palácio real contíguo; 1743 - início das obras, segundo projeto de Caetano Tomás de Sousa; 1744 - 1747 - feitura das imagens de São Paulo e de São Camilo Lelis por José de Almeida; 1744, 13 junho - o Mercúrio de Lisboa refere que "(…) as obras do paço e das Necessidades continuam coma mesma força e calor (…)"; 1747 - construção do chafariz diante da fachada sul do palácio; 1747-1750 - pinturas de Inácio de Oliveira Bernardes; 1750 - conclusão das obras; passam então a residir no palácio os infantes D. Manuel e D. António, irmãos de D. João V; 1752, cerca - feitura da escultura de São Pedro por Alessandro Giusti (SALDANHA, 2012, p. 28); 1755, 01 novembro - o terramoto não causa praticamente danos no conjunto das Necessidades; 1756 - o padre Manuel do Portal refere o presépio do convento, situado no quarto piso, junto à Livraria, inserto em maquineta de talha dourada, o qual acabara de ser executado por um clérigo de Setúbal; séc. 18, meados - no reinado de D. José, o palácio passa a funcionar também como residência de príncipes estrangeiros de visita a Portugal; 1758, 27 abril - nas Memórias Paroquiais, assinadas pelo pároco de Santos-o-Velho, Gonçalo Nobre da Silveira, é referido o convento como sendo do padroado da Coroa; 1834 - com a expulsão das ordens religiosas, o convento de São Filipe de Néri passa a anexo do palácio real e aí se instala, pouco depois, a Academia Real das Ciências; 1835 - obras de remodelação interior do palácio; 1844 - 1846 - obras estruturais e de reorganização dos espaços interiores realizadas pelos arquitetos Joaquim Possidónio da Silva e Giuseppe Cinatti, com pinturas de António Manuel da Fonseca, Giuseppe Cinatti e Achille Rambois, estuques de Ernesto Rosconi, talha de José Fornari e mobiliário de Luís Moargoteu e Inácio Caetano; 1874 - residem no palácio D. Fernando II, a condessa de Edla e o infante D. Augusto; 1889 - com a morte do rei D. Luís, D. Carlos escolhe como residência real o palácio; 1908 - após o regícidio de D. Carlos I, o rei D. Manuel II continua a habitar no palácio, juntamente com a rainha viúva, D. Amélia; 1910, 4 outubro - durante a revolução, o palácio é bombardeado por navios fundeados no rio Tejo que provocam danos na fachada principal e destruição de alguns interiores do piso nobre; 1916 - instalação do Ministério dos Negócios Estrangeiros; 1983, 16 dezembro - Portaria publicada em DR, 2.ª Série, n.º 288 a definir a fixação de uma Zona Especial de Proteção, revogada por nova Portaria de 1996.

Dados Técnicos

Paredes autoportantes

Materiais

Alvenaria mista, alvenaria de tijolo, mármore, azulejos, madeira, estuque, vidro, bronze

Bibliografia

ARAÚJO, Norberto de - Inventário de Lisboa. Lisboa: Câmara Municipal de Lisboa, 1946, fasc. 3; ATAÍDE, M. Maia - Monumentos e Edifícios Notáveis do Distrito de Lisboa. Lisboa: Junta Ditrital de Lisboa, 1988, tomo 3: Lisboa; CAEIRO, Baltazar Matos - Os Conventos de Lisboa. Lisboa, 1989; CASTEL-BRANCO, Cristina - Necessidades - Jardins e Cerca. Lisboa: Livros Horizonte, 2001; CORTE-REAL, Manuel Henrique - "O Palácio das Necessidades". Revista Municipal, jul. - set. 1982, ano XLIV, 2.ª série, n.º 1; CORTE-REAL, Manuel Henrique - "O Palácio das Necessidades - II". Revista Municipal, out. - dez. 1982, Ano XLIV, 2.ª série, n.º 2; CORTE-REAL, Manuel Henrique - "O Palácio das Necessidades - III". Revista Municipal, jan. - mar. 1983, ano XLIV, 2.ª série, n.º 3; CORTE-REAL, Manuel A. - O Palácio das Necessidades, Lisboa, 1983; FERRÃO, Leonor - A Real Obra de Nossa Senhora das Necessidades. Lisboa, 1994; GIL, Júlio - Os Mais Belos Palácios de Portugal. Lisboa, 1992; LEAL, Augusto S. de A. Pinho - Portugal Antigo e Moderno. Lisboa, 1873 - 1890; LEAL, Joana da Cunha - Giuseppe Cinatti (1808-1879): Percurso e Obra. Lisboa: s.n., 1996, dissertação de mestrado apresentada à Universidade Nova de Lisboa, texto policopiado; MATOS, Alfredo; PORTUGAL, Fernando - Lisboa em 1758. Memórias Paroquiais de Lisboa. Lisboa: Câmara Municipal de Lisboa, 1974; Ministério das Obras Públicas, Relatório da Actividade do Ministério no ano de 1952, Lisboa, 1953; Monumentos. Lisboa: DGEMN, 1998, 2001, 2003, n.ºs 9, 15 e 17; PAIS, Alexandre Manuel Nobre da Silva - Presépios Portugueses Monumentais do século XVIII em Terracota. Lisboa: s.n., 1998, dissertação de Mestrado apresenta à Universidade Nova de Lisboa, texto policopiado; Relatório da Actividade do Ministério no ano de 1953. Lisboa: Ministério das Obras Públicas, 1954; Relatório da Actividade do Ministério no ano de 1955, Lisboa: Ministério das Obras Públicas, 1956; Relatório da Actividade do Ministério no Ano de 1961. Lisboa: Ministério das Obras Públicas, 1962, vol. 1; SANTANA, Francisco; SUCENA, Eduardo (dir. de) - "Palácio das Necessidades". Dicionário da História de Lisboa. Lisboa, 1994; SALDANHA, Sandra - "Estatuária Barroca - o longo ciclo de Setecentos". Invenire - Revista dos Bens Culturais da Igreja. Lisboa: Secretariado Nacional para os Bens Culturais da Igreja, julho-dezembro 2012, n.º 5, pp. 24-30; SERRÃO, Vítor - História da Arte em Portugal. O Barroco. Barcarena: Editorial Presença, 2003; VALE, Teresa Leonor M. - Um português em Roma. Um italiano em Lisboa. Os escultores setecentistas José de Almeida e João António Bellini. Lisboa: Livros Horizonte, 2008; VITERBO, Sousa - Diccionario Historico e Documental dos Architectos, Engenheiros e Construtores Portuguezes ou a serviço de Portugal. Lisboa: Imprensa Nacional, 1904, vols. 2 e 3.

Documentação Gráfica

DGPC: DGEMN/DSID, DGEMN/DSARH, DGEMN/DRMLisboa, DGEMN/DSEP, DGEMN/DRELisboa/DRC/DEM; BNP: Iconografia, Des. Nº D.15 R, D.16 R, D.17 R, D.18 R, D.19 R, D.20 R, D.21 R, D.22 R, D.101 R, D.126 A, D.127 A, D.128 A, D.175 V.

Documentação Fotográfica

DGPC: DGEMN/DSID, DGEMN/DRMLisboa

Documentação Administrativa

DGPC: DGEMN/DSID, DGEMN/DSARH, DGEMN/DRMLisboa; BNP: Cod 554 (Mercúrio de Lisboa), fl. 198v

Intervenção Realizada

1947 - obras de adaptação para o MNE, reparação de coberturas, limpeza, reparação e substituição de elementos decorativos (Salas Verde, Grotesca, dos Mármores, Amarela, Vermelha, de Banquetes, dos Embaixadores, diversos gabinetes), reparação de pátio e de lago do jardim; 1948 - reparações diversas (depósito anexo ao jardim, pavimento da Sala Império, Sala dos Espelhos); 1948 - 1949 - campanha de redecoração, reparação de fogões; 1950 - reparações diversas (coberturas, canalizações), pintura decorativa na Sala de Receções; 1951 - adaptação para cozinha de compartimento pré-existente; 1952 - reparações diversas (pinturas, coberturas, canalizações); 1952 - 1956 - substituição de estrutura de telhados em madeira por estrutura em betão armado; 1953 - obras diversas de conservação e reparação (decoração da Sala do Trono e Sala Verde, canalizações e aquecimento); 1954 - remodelação da instalação elétrica, reparações diversas (soalhos e pinturas em diversas salas), execução de vão de porta para a Sala do Conselho Político; 1955 - obras diversas de conservação e reparação (canalizações, aquecimento, consolidação dos tetos de madeira das salas do primeiro andar), beneficiação da casa do motorista, desmontagem de depósito de ferro; 1956 - obras diversas de reparação e pinturas (interiores e de caixilharias); 1957 - obras de adaptação da antiga biblioteca; 1958 - obras de conservação exterior e reparações no último pavimento; 1960 - instalação de dois ascensores, beneficiação da instalação elétrica, obras diversas de conservação; DGEMN: 1961 - continuação das obras periódicas de conservação, pelo Serviço dos Monumentos Nacionais; 1961 - obras diversas de conservação e reparação na capela; 1962 - obras diversas de conservação e reparação da fachada S., obra das novas instalações para a biblioteca e arquivo geral; 1963 - obras diversas de conservação interior (pintura decorativa e dourados na zona residencial), beneficiação do aquecimento central; 1964 - obras na zona residencial (lado este), beneficiação da instalação elétrica; 1964 - 1967 - obras diversas de conservação e reparação interiores na capela; 1964 - 1970 - obras em curso na biblioteca, remodelação da central térmica; 1965 - beneficiação da instalação elétrica; 1966 - 1968 - obras de conservação na Casa do Regalo (na Tapada); 1966 - obras diversas de conservação e reparação, beneficiação da instalação elétrica; 1967 - obras diversas de conservação e reparação (paramentos exteriores, ascensores, aquecimento central); 1968 - 1969 - cobertura do saguão sudoeste; 1969 - obras diversas de reparação e beneficiação (ascensores, rede telefónica, aquecimento central, instalação elétrica), instalação de ar condicionado em gabinetes; 1970 - obras de conservação (alçados norte e oeste), instalação de dois ascensores; 1971 - obras diversas de conservação e consolidação; 1972 - obras diversas de conservação e remodelação das instalações sanitárias, beneficiação da instalação elétrica da capela; 1973 - 1974 - obras diversas de conservação da capela (talha e douradura, restauro da pintura artística); 1974 - instalação de ar condicionado no serviço da Cifra; 1975 - obras de ampliação do serviço da Cifra, beneficiação da instalação elétrica; 1975 - 1976 - remodelação do mobiliário litúrgico da capela (mesa de altar, etc.), instalação de sistema automático de deteção de incêndios; 1976 - obras diversas de conservação e reparação (ascensores, aquecimento central), remodelação dos quadros elétricos; 1977 - obras diversas de beneficiação interior, reparação da instalação elétrica; 1978 - reparação do terraço sobre a zona da entrada, obras diversas de beneficiação interior, reparação da instalação elétrica; 1978 - reparação de candeeiros; 1979 - obras de beneficiação geral, reparação da instalação elétrica; 1980 - limpeza de cantarias, pintura ornamental na escada do lado poente, pintura e douraduras na sala anexa à Sala de música, beneficiação da instalação elétrica; 1981 - obras de remodelação e de ampliação; 1985 - instalação de cabines de receção e segurança, instalação de alarmes de incêndio, remodelação da instalação elétrica do quarto piso; 1986 - obras de beneficiação das fachadas, remodelação da instalação elétrica do antigo refeitório; 1987 - reconversão da antiga garagem; 1988 - abertura da subcave, ampliação da biblioteca, restauro de pintura decorativa na antiga Sala de Imprensa, beneficiação das instalações sanitárias e reparação de canalizações; 1989 - beneficiação das caixilharias na Sala de Banquetes (lado do jardim), beneficiação da instalação elétrica; 1991 - 1993 - recuperação da Casa do Regalo (antigo observatório) na Tapada; 1993 - 1995 - recuperação da Casa de Fresco, cascata anexa à Casa do Regalo e pavilhão do aviário, na Tapada; 1994 - obras de recuperação dos muros e casas dos canteiros; remodelação da instalação elétrica das salas para a Direcção-Geral das Relações Multilaterais; beneficiação da galeria de comunicação entre o corpo do Palácio e o do antigo Convento; pintura a tinta retardadora de fogo no sótão do Palácio (segunda fase); reparação da escadaria do Protocolo na portaria do edifício do antigo Convento; remodelação da instalação elétrica das novas instalações da Biblioteca e áreas da escadaria e entrada do antigo Convento; remodelação do sistema de deteção e alarme de incêndios; reparação da cobertura do claustro do antigo Convento; 1994 - 1995 - obras de adaptação de duas habitações para instalação da Direção de Serviços da Biblioteca e Documentação; 1995 - remodelação dos interiores da ala direita térrea do Pátio da Aurora; remodelação das salas da Direção de Serviços das Económicas Multilaterais e da Informática; renovação das instalações do Departamento da Cifra; instalação do sistema de aquecimento central nas instalações para o Instituto Diplomático; instalação de um novo sistema elétrico e de telecomunicações no Departamento da Cifra; 1995 - 1996 - instalação elétrica no Instituto Diplomático e Organismos Económicos e Internacionais; 1996 - obras diversas de beneficiação e remodelação da instalação elétrica (instalação de um novo posto de transformação, iluminação exterior, etc.); beneficiação de coberturas e isolamento de parede exterior (lado do Jardim Horta dos Frades); remodelação do refeitório e beneficiação do armazém anexo; beneficiação do muro (lado Calçada das Necessidades) e remodelação das instalações sanitárias do Protocolo; 1996 - 1997 - recuperação das pinturas e estuques das salas do Protocolo, recuperação do muro e Estufa Real na Tapada; 1998 - reabilitação da antiga casa da guarda para o gabinete de Informação Consular; restauro dos salões do Protocolo; beneficiações diversas na rede elética e AVAC; 1999 - beneficiação de fachadas do Palácio (primeira fase), repavimentação do Pátio de Honra, conservação e restauro dos salões do protocolo e remodelação da respetiva copa e cozinha de apoio, beneficiação do corredor de acesso à Biblioteca do Rei, beneficiações diversas na instalação elétrica e AVAC; 1999 - recuperação da Casa do Fresco e muro envolvente na Tapada; 1999 - 2000 - beneficiação e reconversão das portarias nascente e sul, de acesso à Tapada; beneficiação do Departamento dos Assuntos Jurídicos, reforço do pavimento do Arquivo do quarto piso; beneficiação de fachadas (segunda fase); 2000 - 2001 - remodelação da instalação elétrica da Direção de Serviços de Administração Consular; remodelação e beneficiação do sistema de aquecimento central; 2001 - 2002 - beneficiação de fachadas (terceira fase); beneficiação da ala das Multilaterais e fachada poente; conclusão dos trabalhos nas dependências ocupadas pelo Departamento dos Assuntos Jurídicos; instalação elétrica nas dependências da Direção de Serviços de Administração Consular; transformação de quadros de baixa tensão; beneficiação do sistema de aquecimento central; 2002 - instalação elétrica nas salas vermelha e azul; remodelação dos gabinetes do quarto piso; 2003 - impermeabilização dos terraços adjacentes à torre sineira; remodelação da instalação elétrica e extração da cozinha e escada anexa ao infantário; remodelação do sistema de deteção de incêndios da zona dos armazéns; instalação da rede de distribuição de energia da tapada; 2004 - remodelação do aquecimento central dos pisos 2 e 3; instalação do grupo gerador de emergência; substituição de quadros eléctricos; remodelação da rede elétrica do piso 2; estudo com vista à recuperação dos relevos em estuque decorativo das escadas do protocolo; 2005 - Instalação do sistema de aquecimento central no posto nº 2 da Guarda Nacional Republicana e continuação dos trabalhos no quinto piso; remodelação da instalação elétrica dos serviços do GAI, Sala dos Concursos, Sala Azul, arquivo, claustro, escada norte do DAD e reparação do telhado adjacente à igreja; beneficiação do departamento de informática do SVPC.

Observações

*1 - DOF: Conjunto do Palácio das Necessidades, abrangendo todo o edifício conventual, da Ordem de São Filipe de Néri (dos Padres do Oratório), da torre e da capela, os jardins e o respectivo parque, com elementos escultóricos e decorativos, e ainda fachada palaciana, incluindo a fonte monumental, datada de 1748 e situada no largo ajardinado em frente da capela.

Autor e Data

Teresa Vale e Carlos Gomes 1994

Actualização

Luisa Cortesão 2006 / Paula Tereno 2016
 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login