Igreja Paroquial de Louriceira / Igreja de Nossa Senhora da Conceição

IPA.00006490
Portugal, Santarém, Alcanena, União das freguesias de Malhou, Louriceira e Espinheiro
 
Igreja paroquial de fundação medieval, com reconstrução quinhentista, de que subsistem a estrutura da capela-mor, as respetivas gárgulas e a modinatura de um nicho de alfaias, a capela de São João Baptista e respetivo arco de acesso, o arco triunfal, estes dois últimos com claros vestígios de policromia seiscentista, a porta travessa e a pia batismal. Foi alvo de remodelação no séc. 17, altura em que foi reformada a fachada principal, foi executada a torre sineira e foram introduzidos os revestimentos azulejares, o púlpito e as estruturas retabulares. Foi ampliada em altura em data mais recente, para introdução do coro-alto. É de planta poligonal composta por nave, capela-mor, corpo anexo, torre sineira e duas capelas laterais, com coberturas interiores diferenciadas, em masseira na nave e em abóbada na capela-mor e capela lateral, iluminada escassa e unilateralmente por frestas e um janelão mais recente, rasgados na fachada lateral direita. Fachada principal rematada em empena, com os vãos rasgados em eixo composto por portal de verga reta e por óculo. Fachadas com cunhais perpianhos, a lateral direita com porta travessa. Interior com coro-alto, batistério instalado numa capela lateral, púlpito no lado do Evangelho. Arco triunfal de volta perfeita, ladeado por retábulos de talha do estilo maneirista, revelando uma época de transição com a introdução de colunas torsas, ornadas por pâmpanos. O mesmo estilo é visível no retábulo-mor, com estrutura maneirista, de três eixos e remate em tabela ladeada por aletas, esta interrompida pela ampla tribuna, revelando, a par no recurso às colunas torsas, uma transição para o estilo barroco nacional. O púlpito é circular e de guarda plena, ornado por cartelas maneiristas. Na capela-mor, surge uma lápide sepulcral do mesmo período. Encontra-se totalmente revestida a azulejo de tapete seiscentista, com uma padronagem homogénea, distinta da aplicada na capela-mor; o tapete da nave é interrompido por painéis de azulejo figurativo. A capela-mor ostenta gárgulas decoradas com figuras de animais, alguns deles fantásticos.
Número IPA Antigo: PT031402040003
 
Registo visualizado 230 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Religioso  Templo  Igreja paroquial  

Descrição

Planta poligonal composta por nave, capela-mor, duas capelas adossadas, sacristia, anexo e torre sineira adossados ao lado esquerdo, de volumes articulados e escalonados, com coberturas diferenciadas em telhados de duas águas na nave e sacristia, de quatro numa das capelas, sendo em domo na capela-mor e numa das capelas laterais, e em coruchéu piramidal, rebocado e pintado de branco, na torre sineira. Fachadas rebocadas e pintadas de branco, flanqueadas por cunhais perpianhos, sendo apilastrados na principal, rematadas em frisos rebocados e pintados de branco, refletindo a ampliação sofrida pelo edifício. Fachada principal virada a oeste, marcada por três panos, o central correspondente ao corpo da igreja, rematada em empena com cruz latina no vértice e rasgada por portal de verga reta, encimado por friso e frontão interrompido por óculo circular. Revelando a antiga cércea, surgem duas gárgulas. No lado esquerdo, a torre sineira, de três registos separados por cornija e o superior por friso, o intermédio com fresta, surgindo, na face norte e no primeiro registo uma semelhante, que permite iluminar a escada de caracol interior; no terceiro registo, quatro ventanas de volta perfeita, assentes em impostas e com fechos salientes. A estrutura remata em frisos, ostentando gárgulas angulares, e cornijas, encimadas por pináculos piramidais. No lado direito, a Capela de São Miguel, rasgada por fresta retilínea. A fachada lateral esquerda é marcada pelos corpos anexos, rasgados por porta e duas janelas, todas retilíneas e com molduras simples. Fachada lateral direita rasgada por porta travessa com verga em arco festoando, com jambas de arestas biseladas, ornadas inferiormente por motivos vegetalistas; possui, ainda, ampla janela em arco de volta perfeita e uma pequena fresta. É marcado pelos corpos das capelas laterais, a de São João Baptista com uma fresta em cada face. O corpo da capela-mor possui janela retilínea e de moldura simples. Fachada posterior com o corpo baixo da capela-mor, rematada em empena reta, com quatro gárgulas ornadas por animais, alguns deles fantásticos. No lado direito, o corpo da sacristia, com janela retilínea. INTERIOR com as paredes totalmente revestidas a azulejo de padrão policromos, os da nave enquadrando sete painéis figurativos, enquadrados por moldura de entrelaçados: "Fuga para o Egito", "Menino Jesus abençoando", "Batismo de Cristo", "Nossa Senhora do Rosário ladeada por São Domingos e Santa Rita", "Nossa Senhora Mãe dos Homens", "Adoração dos Magos", "Santa Maria Madalena" e "Nossa Senhora da Conceição", este sobre o arco triunfal; tem cobertura de madeira em masseira, em caixotões, reforçada por tirantes e pavimento em lajeado, formando taburnos. Coro-alto de madeira, assente em duas colunas toscanas, sobre plintos paralelepipédicos, com guarda balaustrada e acesso efetuado pelo lado da Epístola, a partir da Capela de São Miguel. Esta situa-se no lado da Epístola, no sub-coro, com cobertura em abóbada de aresta; no lado oposto, porta de verga reta, de acesso à torre sineira. O portal axial está protegido por guarda-vento de madeira, ladeado, tal como a porta travessa, por pias de água benta, em cantaria e adossadas ao muro. No lado do Evangelho, rasga-se um vão de volta perfeita, com vestígios de ter possuído uma grade, de acesso ao batistério, com cobertura em abóbada de berço e pavimento em ladrilho; possui pia batismal monolítica, composta por coluna pequena, ornada por motivos vegetalistas, de onde evolui taça côncava e facetada. Ainda no mesmo lado, o púlpito, em cantaria de calcário, de bacia circular assente em coluna do tipo balaústre, com guarda plena, dividida em painéis com a representação de cartelas; tem acesso por porta de verga reta e moldura simples. Sucede-se uma capela embutida no muro, à face, com acesso por arco de volta perfeita, revestido a talha pintada de branco e dourado. No lado da Epístola, a capela de São João Baptista, acedida por arco de cantaria sobre pilastras de arestas biseladas e com impostas ornadas por cordame, apresentando vestígios de policromia, protegido por teia de madeira pintada. Tem cobertura em abóbada de cruzaria de ogivas, com fecho decorado, descarregando em mísulas ornadas por motivos vegetalistas e retábulo de talha. Arco triunfal de volta perfeita, assente em impostas, semelhante ao da capela de São João Baptista e também com vestígios de policromia. Fronteira, a mesa de altar de madeira, estando ladeado pelas capelas retabulares dedicadas à Virgem. Capela-mor com as paredes e abóbada de cruzaria, apoiada em mísulas e com fecho de pedra lavrada, totalmente revestidas a azulejo de padrão policromos, de maçaroca. Na parede testeira, retábulo-mor de talha pintada, de corpo reto e três eixos definidos por quatro colunas torsas e ornadas por pâmpanos e por duas pilastras com os fustes decorados por acantos. Ao centro, tribuna de volta perfeita, que irrompe pelo remate, em falsa tabela retangular horizontal, flanqueada por quarteirões e aletas de acantos; possui trono expositivo de três degraus e o fundo ornado por reaproveitamentos de frisos de acantos. Cada uma dos eixos laterais possui nicho pouco profundo, assente em pilastras ornadas por acantos, com os fundos ostentando o mesmo elemento decorativo e contendo imaginária; rematam em frisos de acantos e querubins e, na base, surgem as portas de acesso à tribuna. Altar paralelepipédico, encimado por sacrário de talha com cobertura em cúpula e com as faces divididas por quarteirões. No lado da Epístola, nicho em arco afestoando. No pavimento, surge lápide armoriada, assinalando a sepultura de Lopo Dias Fayan.

Acessos

Louriceira, Rua da Igreja; Rua do Adro; Rua de São Vicente

Protecção

Categoria: IIP - Imóvel de Interesse Público, Decreto n.º 2/96, DR, 1.ª série-B, n.º 56 de 06 março 1996

Enquadramento

Urbano, isolado, implantado no centro da povoação e rodeado por vias públicas, de que se separa por um amplo adro fechado por murete em alvenaria rebocada e pintada de branco, com vários acessos. O adro forma um ligeiro declive, a que o templo se adapta, e está pavimentado a calçada, tendo várias árvores e um Cruzeiro paroquial, composto por plataforma de dois degraus, o superior de perfil boleado, onde assenta uma coluna cilíndrica e a cruz latina.

Descrição Complementar

A nave encontra-se revestida a AZULEJO de padrão policromo, formando quadrilobos, constituindo o padrão P-17-01049 (http://redeazulejo.fl.ul.pt/pesquisa-az/padrao.aspx?id=355). A capela-mor ostenta um padrão de maçaroca P-17-01068 (http://redeazulejo.fl.ul.pt/pesquisa-az/padrao.aspx?id=363). Na CAPELA DE SÃO MIGUEL, surge um pequeno retábulo pintado sobre tábua, a imitar embutidos de mármore, integrando uma tábua pintada com a representação do orago. Os RETÁBULOS COLATERAIS são semelhantes, cada um deles de talha pintada de marmoreados fingidos e de dourado, de corpo reto e um eixo definido por duas colunas torsas ornadas por pâmpanos, assentes em dados decorados por florões. A estrutura remara em friso de acantos e cornija. O do lado do Evangelho possui resplendor a enquadrar a imagem. No lado oposto, foi introduzido um nicho de volta perfeita e seguintes ornados por florões, protegido por porta envidraçada. Possuem altares em forma de urna, pintados de branco. Na capela-mor, o TÚMULO com lápide ostentando duas cartelas enroladas, a superior inscrevendo leão rompante, surgindo na base uma inscrição delida, onde se percebe ser o túmulo de Lopo Dias Fayan, fidalgo da Casa Real, datado de 1560.

Utilização Inicial

Religiosa: igreja paroquial

Utilização Actual

Religiosa: igreja paroquial

Propriedade

Privada: Igreja Católica (Diocese de Santarém)

Afectação

Sem afetação

Época Construção

Séc. 12 / 16 / 17 / 20

Arquitecto / Construtor / Autor

EMPREITEIRO: Agostinho F. Quinos e Filhos, Lda. (1991); Maximiano Monteiro Mendes, Lda. (1992); Proconstrói (1992).

Cronologia

1151 - provável construção de um primitivo templo no local; 1532 - construção da igreja patrocinada por Vicente Alves e Maria Eanes, sua mulher (SIPA: txt.00709839); 1560 - sepultura de Lopo Dias Fayan na capela-mor; séc. 17 - remodelação da igreja, com a reconstrução da fachada principal, da torre sineira e da capela de São Miguel; colocação do revestimento azulejar e feitura do púlpito; séc. 17, final - feitura das estruturas retabulares; 1758, 03 abril - nas Memórias Paroquiais, assinadas pelo pároco, José Luís, surge referida a igreja como estando no meio da povoação, dedicada a Nossa Senhora da Conceição, com três nave e cinco altares, o mor, com o Santíssimo, o do Santo Nome de Jesus, São Sebastião, Nossa Senhora do Rosário e Santo António; tem mais duas capelas mistas à igreja, a de São João Batista e a de São Miguel; tem as Irmandades do Santíssimo e de Nossa Senhora da Conceição; o pároco é cura, apresentado pela população, tendo de renda 50$000; séc. 19 - séc. 20 - construção do coro-alto e ampliação da igreja em altura.

Dados Técnicos

Sistema estrutural de paredes portantes.

Materiais

Estrutura em alvenaria rebocada e pintada; modinaturas, colunas, capitéis, mísulas, pavimento, púlpito, cunhais em cantaria de granito; pavimento do batistério e capela de São Miguel em tijoleira; teto, guarda-vento, teia, portas, caixilharias e mobiliário de madeira; revestimento e painéis de azulejo tradicional; retábulos de talha pintada; cobertura em telha cerâmica.

Bibliografia

SEQUEIRA, Gustavo de Matos - Inventário Artístico de Portugal - Distrito de Santarém. Lisboa: Academia Nacional de Belas-Artes, 1954; http://www.patrimoniocultural.pt/pt/patrimonio/patrimonio-imovel/pesquisa-do-patrimonio/classificado-ou-em-vias-de-classificacao/geral/view/74763 [consultado em 1 agosto 2016].

Documentação Gráfica

IHRU: DGEMN/DREMLisboa

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID, SIPA; Diocese de Santarém: Comissão Diocesana para os Bens Culturais

Documentação Administrativa

IHRU: PT DGEMN:DSARH -010/008-0002, PT DGEMN:DSIS-001/014-004-2092/16; DGLAB/TT: Memórias Paroquiais, vol. 21, n.º 144, fls. 1267 - 1270)

Intervenção Realizada

Séc. 20, década 60 - obras na zona envolvente; DGEMN / PROPRIETÁRIO: 1991 / 1992 - substituição geral das coberturas da igreja e anexos: levantamento e apeamento do telhado e do madeiramento da nave; reconstrução do telhado com lajes pré-fabricadas, reassentamento do telhado e reconstrução do beirado; obras levadas a cabo por Agostinho F. Quinos e Filhos, Lda.; 1992 - execução de novo teto em madeira na nave e reparação das pinturas das fachadas e portas pela firma Proconstrói; substituição da instalação elétrica por Maximiano Monteiro Mendes, Lda.; PROPRIETÁRIO: 1997 - pavimentação do adro a calçada e zona envolvente do imóvel.

Observações

Autor e Data

Paula Figueiredo 2015 (no âmbito da parceria IHRU / Diocese de Santarém)

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login