Casa das Figuras / Edifício da Orquestra do Algarve

IPA.00006447
Portugal, Faro, Faro, União das freguesias de Faro (Sé e São Pedro)
 
Arquitectura de armazenamento, barroca, vernacular. Antigo armazém de quinta periurbana, de planta rectangular irregular, de eixo longitudinal, composta por dois corpos individualizados a S. por inflexão do alçado; piso único e cobertura em telhado, com fachada principal a E. rematada por frontão decorado com trabalhos de massa, figurando animais fantásticos numa alegoria aos continentes americano e africano. Notável fachada barroca com frontão decorado por figuras fantásticas afrontadas, em alvenaria, com paralelos com as do Celeiro de São Francisco (PT050805050005); as duas figuras fantásticas afrontadas, um macho e uma fêmea, e o indígnea abraçando os animais marinhos (provavelmente manatins, mamífero sirénio dos continentes americano e africano, conhecido por peixe-boi), ilustram a inscrição subjacente relativa a "BOIS MARINOS" e "MOSTROS DA AMERICA".
Número IPA Antigo: PT050805040009
 
Registo visualizado 540 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Armazenamento e logística  Armazém    

Descrição

Planta rectangular irregular, de eixo longitudinal, composta por dois corpos individualizados a S. por inflexão para N., formando ligeiro ângulo. Volume simples, massa disposta na horizontal, num único piso, com cobertura diferenciada em 2 telhados de 2 águas, apresentado a aba N., na zona do 1º pano da fachada, descentrada, chaminé cónica com respiradouro cerâmico rematado de pináculo boleado. Alçados de alvenaria argamassada, de pedra e tijolo, rebocados e pintados de branco. Fachada principal a E., de dois registos e pano único; no registo inferior rasgam-se dois vãos dispostos simetricamente em relação ao seu eixo central: à esquerda porta de verga recta, com molduras pétreas; à direita janela, de igual largura e idênticas molduras; remate em cornija moldurada com mísulas angulares decoradas com trabalhos em massa figurando asa de morcego estilizada; no 2º registo frontão contracurvado com tímpano decorado por trabalhos de massa, pintados em pigmentos terra de cor amarela, vermelha e verde, representando figuras marinhas e quimeras: definindo os limites do frontão, na base e de cada lado, um delfim de cauda enrolada a que se liga outra figura marinha estilizada, provavelmente uma foca ou manatim (BALDERRAMA, 1994); no vértice, nascendo de concheado invertido, que lhe serve de saia, busto de homem de raça africana, com cabeleira em cerâmica trepanada simulando carapinha, abraçando as focas ou manatins; no tímpano dois animais fantásticos, afrontados, um macho e uma fêmea; apresenta cada um cabeça de símio, munida de 2 cornos de boi, abundante cabeleira, cauda dupla, uma enrolada outra terminando em seta, corpo de réptil, com figuração de escamas, grande asa de morcego que nasce do dorso, patas curtas munidas de 3 garras e esporão; o animal da direita apresenta duas tetas; na base do frontão, friso saliente decorado por 7 cartelas rectangulares, de vários tamanhos, pintadas na mesma cor vermelha, com a inscrição "QOLEIN BOIS MARINOS ACAÇALANSADAASFERAS MOSTROS DA MERICA QOLEIN". Fachada S. de pano único, rasgado por 6 portas intervaladas por 5 janelas, dispondo-se os vãos a intervalos mais ou menos regulares, da esquerda para a direita: a (janela reentrante com peitoril de verga) - b (porta reentrante) - a - c (porta com molduras pétreas) - a - b - d (janela com molduras pétreas) - c - c - e (janela com molduras caiadas) - c. Fachada N. de 3 panos, definidos por 3 contrafortes de rampa; primeiro pano rasgado, junto ao 1º contraforte, por porta simples; 2º pano e 3º pano cegos. Remates das fachadas S. e N. em cornija moldurada e beirado saliente. Fachada O. cega, em empena.

Acessos

Junto à EN 125, à entrada da cidade.

Protecção

Categoria: IIP - Imóvel de Interesse Público, Decreto n.º 95/78, DR, 1.ª sére, n.º 210 de 12 setembro 1978 (fachada setecentista) *1

Enquadramento

Urbano, isolado, a E. do conjunto da Horta do Ourives (v. PT050805040015), ao qual pertencia, formando uma única propriedade, e do qual se encontra separada pela EN 125 e rotunda; a envolvente foi sendo ao longo dos anos completamente descaracterizada pela crescente urbanização da área periurbana, outrora rural; a fachada principal abre para passeio calcetado e zona de relvado que se constituem como elemento separador da EN.; fachada S. aberta para área ajardinada na qual subsiste a antiga nora da propriedade, delimitada por muro de alvenaria; fachada N. aberta para via de acesso a parque de estacionamento e espaço comercial; fachada posterior aberta para via de circulação, tendo como elemento separador passeio calcetado.

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Armazenamento e logística: armazém

Utilização Actual

Cultural e recreativa: associação cultural e recreativa

Propriedade

Pública: municipal

Afectação

Sem afectação

Época Construção

Séc. 18 / 21

Arquitecto / Construtor / Autor

Desconhecido

Cronologia

Séc. 18 - época provável da construção do imóvel que servia de armazém ao solar da Horta dos Ourives (v. Pt050805040015) ; 2002 - até esta data o imóvel encontrava-se muito degradado e vandalizado com grafittis nos alçados e molduras de vãos, rail estradal diante da fachada principal, constituindo-se como único elemento separador com a EN 125 *2.

Dados Técnicos

Estrutura mista, contrafortada, em alvenaria argamassada, de pedra e tijolo, rebocada e caiada; telhados assentes directamente no vigamento de madeira.

Materiais

Cantaria, alvenaria, tijolo, madeira, telha, trabalhos de massa, cerâmica, ferro.

Bibliografia

AAVV, Grande Enciclopédia Portuguesa e Brasileira; ALVA, Alejandro, Casa das Figuras - Relatório de Inspecção Visual, ICCROM / DREMS, 1994; ROSA, José António Pinheiro e SANTOS, António Serrano, Monumentos e edifícios Notáveis do Concelho de Faro, Faro, 1984.

Documentação Gráfica

IHRU: DGEMN / DREMS

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN / DSID / DIBA

Documentação Administrativa

IHRU: DGEMN / DSID

Intervenção Realizada

DGEMN: 1994 - obras de recuperação exterior; 1995 - obras de recuperação do interior; caiação das paredes exteriores.

Observações

*1- DOF....Fachada setecentista de um edifício situado à entrada de Faro (estrada Lagos-Faro) conhecido por Casa das Figuras; *2 - Antes das obras de reabilitação e reutilização o parqueamento automóvel era indiscriminado junto a todos os alçados; a fachada S. abria para terreno baldio; existia uma construção de apoio a unidade hidráulica a N. e tanque de planta rectangular, de alvenaria mista a O.; do contraforte NO. partia, em direcção a O., muro de alvenaria, delimitador da propriedade e existia adossado à esquerda da fachada principal pequeno murete; a aba N. do telhado apresentava duas chaminés cónicas; os alçados apresentavam a seguinte fenestração: no alçado N., 5 frestas rasgadas assimetricamente junto ao remate: no 1º pano, fresta quadrada, ligeiramente descentrada, protegida com duas barras de ferro dispostas em cruz; à sua direita duas frestas idênticas, a da esquerda jacente, semi-entaipadas, rasgadas um nível um pouco superior; no pano central duas frestas jacentes, com os vãos resguardados por tijolos, rasgadas a níveis ligeiramente diferentes; no alçado S. intercalavam-se várias portas e janelas, todas elas entaipadas, e frestas jacentes, resguardadas por duas barras de ferro horizontais, com a seguinte disposição, da esquerda para a direita: a (janela simples) - b (porta com molduras pétreas) - c (fresta) - b - c - d (porta simples) - e (janela com molduras pétreas) - b - b - e - b. INTERIOR: organizava-se em quatro fogos, dois em cada corpo: os fogos do corpo O. compartimentavam-se em dois espaços, através de paredes divisórias, sendo os do 1º fogo inter-comunicantes através de porta simples; este fogo apresentava ainda na parede O. uma porta entaipada e na parede E. mangedoura, apresentando este sala o pavimento desnivelado vencido por degrau; o 2º fogo apresentava três mangedouras, na parede O. e em ambos os lados da parede divisória, sendo esta interrompida, junto à parede S., por porta entaipada, de verga curva; estes dois fogos apresentavam paredes caiadas com lambril pintado a cor cinza, no 2º separado por cornija simples de perfil recto; pavimentos de cimento e cobertura em duas águas, de ripado e vigas de madeira; mangedoras de cimento sobre bases de alvenaria fortemente rebocadas. Os fogos do corpo E. compartimentavam-se o 1º, maior, em duas salas independentes cuja parede divisória coincide com a inflexão do imóvel a S.; cada sala compartimentava-se em quatro espaços simétricos, através de duas paredes divisórias dispostas em ângulo recto, intercomunicando por portas simples; cada sala apresentava no canto NO. chaminé assente em cantareira e paredes caiadas; vestígios de lambril pintado a cor cinza e lambril de cor amarela na sala com chaminé a E.; o 2º fogo constituía um único espaço.

Autor e Data

João Neto 1991 / Rosário Gordalina 2002 e 2008

Actualização

Rosário Gordalina 2008
 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login