Chafariz dos Canos

IPA.00006347
Portugal, Lisboa, Torres Vedras, União das freguesias de Torres Vedras (São Pedro, Santiago, Santa Maria do Castelo e São Miguel) e Matacães
 
Arquitectura infraestrutural, gótica. Chafariz gótico restaurado, de espaldar, terreiro plano, e pavilhão de planta semicircular e abobadado. Conserva do séc. 16 os típicos merlões chanfrados e do 18 as bicas em cano.
Número IPA Antigo: PT031113150006
 
Registo visualizado 991 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Estrutura  Hidráulica de elevação, extração e distribuição  Chafariz / Fonte  Chafariz / Fonte  Tipo nicho

Descrição

Chafariz de espaldar plano coroado por merlões chanfrados e com uma abertura em arco no lado direito. Sensivelmente ao centro, pavilhão semicircular, de 5 faces, separadas por colunas adossadas na caixa murária e com armas de Portugal em escudos primitivos. Cada uma é aberta por arco quebrado apoiado em coluna e colunelos com capitéis de folhagem. Os 3 arcos centrais são encimados por lápides. Cimalha sobre cachorros, platibanda com gárgulas, superiormente com torsal e rematada por merlões chanfrados, tendo no prolongamento das colunas, coruchéus de remate cónico torso. Interior com abóbada artesoada, tanque rectangular e 2 bicas.

Acessos

Rua Cândido dos Reis. WGS84 (graus decimais) lat.: 39,093292; long.: -9,258301

Protecção

Categoria: MN - Monumento Nacional, Decreto de 16-06-1910, DG, 1.ª série, n.º 136 de 23 junho 1910 *1

Enquadramento

Urbano. Insere-se no Centro Histórico de Torres Vedras, tendo adossado na fachada posterior várias habitações, algumas delas destoantes. Tem à frente alguns canteiros ajardinados e pilares que o separam da entrada.

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Hidráulica: chafariz

Utilização Actual

Hidráulica: chafariz

Propriedade

Pública: municipal

Afectação

Sem afectação

Época Construção

Séc. 13 / 14

Arquitecto / Construtor / Autor

Cronologia

1331 - Referido pela primeira vez em documento; 1561 - reconstrução por D. Maria, filha de D. Manuel, segundo inscrição sob o arco central; 1613, 7 Jun. - documento refere canos da fonte principal muito danificados; 1831 - reparado segundo notícia dada pelo Corregedor Inácio Pedro Quintela Emanuz que colocou 2 lápides, em latim, sobre os arcos laterais; fez-se ainda, no terreno fronteiro, tanque para animais, rodeando-se-o por marcos, a fim de impedir a aproximação dos carros; c. 1966 - desmanchou-se tanque fronteiro e os golfinhos de pedra foram transferidos para uma taça no castelo; 2004 - campanha de escavações, promovida pela Câmara de Torres Vedras e dirigidas pelos arqueólogos Isabel Luna e Guilherme Cardoso põe a descoberto a muralha medieval da cidade que conduzia às portas da corredoura e, se julga er sido, construída no início do séc.XV e que vai enquadrar este chafariz

Dados Técnicos

Estrutura de cantaria e alvenaria rebocada.

Materiais

Calcário e argamassa

Bibliografia

TORRES, Manuel Agostinho Madeira, Descripção Histórica e Económica da Villa e Termo de Torres Vedras, Coimbra, 1861; VIEIRA, Julio, Torres Vedras Antiga e Moderna, Torres Vedras, 1926; AZEVEDO, Carlos de, FERRÃO, Julieta, GUSMÃO, Adriano de, Monumentos e Edifícios Notáveis do Distrito de Lisboa, Lisboa, 1963; PINTO, João, Ainda o Chafariz dos Canos, Badaladas, 29 Out. 1966; ALMEIDA, José António Ferreira de, Tesouros Artísticos de Portugal, Porto, 1988; CHAVES, Luís, Chafarizes de Lisboa, Lisboa, s. d.; Torres Vedras, Passado e Presente, vol. I, Torres Vedras, 1996.

Documentação Gráfica

IHRU: DGEMN/DRML

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Administrativa

IHRU: DGEMN/DSID

Intervenção Realizada

1958 - Trabalhos de conservação: rebocos em paredes; levantamento da calçada e execução de sondagens, refechamento de juntas das cantarias e consertos; CMTorres Vedras: 2001 - beneficiação de rebocos; 2005 - conclusão das obras de beneficiação

Observações

*1 - abrangido pelo Plano de Pormenor de Salvaguarda do Centro Centro Histórico de Torres Vedras. Era alimentado pelas águas conduzidas pelo Aqueduto, também classificado. Visto que os escudetes laterais das armas estão já de pé, devem ser posteriores a 1436. A nova urbanização que está a surgir na zona envolente ao chafariz puseram a descoberto vestígios da antiga muralha da vila medieval de Torres Vedras, que se encontra salvaguardada, será feita recuperação e rotecção em caixa de vidro com iluminação e uma passagem pedonal para que o local possa ser visitado

Autor e Data

Paula Noé 1991

Actualização

Ana Rosa 2002
 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login