Núcleo urbano de Vila Nova de Cerveira / Núcleo intramuros de Vila Nova de Cerveira

IPA.00006172
Portugal, Viana do Castelo, Vila Nova de Cerveira, União das freguesias de Vila Nova de Cerveira e Lovelhe
 
Núcleo urbano sede municipal. Vila situada em margem fluvial na fronteira do Minho. Vila medieval com castelo e cerca urbana. Estruturação polinuclear em função de dois eixos principais orientados E. - O., com quarteirões irregulares, de edifícios de planta rectangular, de um ou dois pisos, com vãos rectos.
Número IPA Antigo: PT011610150010
 
Registo visualizado 498 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Conjunto urbano  Aglomerado urbano  Vila  Vila medieval  Vila fortificada  Régia (D. Dinis)

Descrição

ESTRUTURA URBANÍSTICA: aglomerado estruturado em função do dispositivo militar, ocupando o ponto mais alto do outeiro, com traçado condicionado pela topografia. Recinto de planta ovalada, de exíguas dimensões, organizado pelo pólo administrativo, constituído pela Casa da Câmara e pelo Pelourinho, em pequeno largo rectangular, lajeado, formado por cruzamento de arruamentos no ponto mais alto do povoado, ladeado a O. pela cisterna. Espaço religioso, contíguo, constituído pela Igreja da Misericórdia, em ruela estreita, sendo este o volume mais destacado (v. PT011610150011). Acesso marcado pela porta da Senhora da Ajuda, a E. *1, partindo do pequeno largo fronteiro os eixos estruturantes, de traçado relativamente rectilíneo, com pavimentos lajeados e calcetados, sendo os dois longitudinais com orientação, sensivelmente E. - O., ligados por eixos secundários transversais, orientados N. - S., apresentando perfil arqueado, formando quarteirões irregulares *2. Edifícios morfologicamente notáveis constituindo pontos marcantes: Casa da Câmara, Igreja da Misericórdia e restaurante da Pousada. ESPAÇO CONSTRUÍDO: tipo arquitectónico dominante relacionado com casas em cantaria sem revestimento, ou em alvenaria irregular, podendo apresentar-se rebocada e caiada, com vãos e cunhais em cantaria, tendo cobertura em telhado de duas e quatro águas com telha de aba e canudo. A nível formal são, genericamente, de planta rectangular, de um ou dois pisos, sendo o acesso ao piso superior efectuado por escadas interiores, com vãos de verga recta, sem moldura. As excepções correspondem aos edifícios morfologicamente notáveis, com cunhais em pilastras toscanas, rematados com cornija saliente e podendo ter portal de perfil curvo ou encimado por frontão curvo interrompido, rematado lateralmente por urnas.

Acessos

A28; EN13; Avenida da Liberdade

Protecção

Inclui Pelourinho de Vila Nova de Cerveira (v. PT011610150001) / Castelo de Vila Nova de Cerveira (v. PT011610150002) / Igreja da Misericórdia de Vila Nossa de Cerveira (v. PT011610150011)

Enquadramento

Implantado em margem fluvial. Localiza-se Entre Douro e Minho, na sub-região do Minho-Lima e pertence à unidade de paisagem do Vale do Minho. Situado em local estratégico do território português, na margem esquerda do rio Minho, na fronteira com Espanha. Povoado intramuros de um castelo, ocupando a coroa de um pequeno outeiro que margina o Rio Minho, com um posicionamento destacado neste trecho do amplo vale do rio, dominado a E. pelo volume da Serra de Arga. Vila Nova de Cerveira é sede de município, subdividido em 11 freguesias, e está delimitado a NE. pelo município de Valença, a E. por Paredes de Coura, a SE. por Ponte de Lima, a SO. por Caminha e a NO. por Espanha.

Descrição Complementar

O largo ajardinado que ladeia a Casa da Câmara, a O., onde se implanta a cisterna, é um novo arranjo deste espaço, constituído a partir do recente projecto de remodelação. Pontualmente surgem edifícios morfologicamente distintos, de estrutura metálica ou betonada, rebocada e caiada, com telhados de uma e duas águas chapeados e envidraçados, com portas e janelas em alumínio, envidraçados, correspondendo aos edifícios construídos de raiz aquando das obras de remodelação do recinto. Em alguns edifícios o projecto global de recuperação assumiu a sua manutenção com o carácter de ruína. Os edifícios morfologicamente notáveis tem a sua supremacia funcional sublinhada por portais encimados por coroa real fechada sobre escudo da Casa Real. Edifício em posição confrontante com a Casa da Câmara apresenta porta de arco quebrado, chanfrado. Cartela, ladeada por aletas, com data 1582 em edifício defronte da Igreja. Edifício contíguo à Casa da Câmara tem adossado, na frontaria, um cruzeiro de secção quadrangular com chanfro, de plinto rematado por cornija e apresentando na face frontal pequeno nicho desnudo, conservando orifícios, nos braços, para os ferros.

Utilização Inicial

Não aplicável

Utilização Actual

Não aplicável

Propriedade

Não aplicável

Afectação

Não aplicável

Época Construção

Séc. 13 / 16 / 17

Arquitecto / Construtor / Autor

Cronologia

Séc. 13, inícios - fundação da povoação de Vila Nova de Cerveira; 1321, 1 Outubro - atribuição de carta de foral a Vila Nova de Cerveira por D. Dinis; 1424 - D. João I doa o termo de Vila Nova de Cerveira a Rodrigo Álvares Pereira; 1512, 20 Outubro - outorga de foral novo a Vila Nova de Cerveira por D. Manuel; 1547 - construção do pelourinho; séc. 16, finais - fundação da Santa Casa da Misericórdia de Vila Nova de Cerveira; 1621 - colocação de um altar na casa contígua à Casa da Câmara, pela Santa Casa da Misericórdia, com a abertura de nicho para albergar a imagem do Senhor Ecce Homo; séc. 17, meados - construção de sacristia da Igreja da Misericórdia; 1650 - construção da Capela da Senhora da Ajuda sobre a porta da Vila; 1658 - demolição da sacristia e sala anexa da Igreja da Misericórdia, para instalação de bateria no Castelo; 1772 - remodelação da capela do Senhor Ecce Homo; séc. 18 - construção de plataforma para instalação de bateria na muralha virada a O.; 1814 - remodelação da Igreja da Misericórdia; 1875, 22 Março - autorização municipal para apeamento de muros do Castelo; 1970, década - remodelação do recinto do Castelo para instalação de Pousada; 2013, 28 janeiro - criação da União das Freguesias de Vila Nova de Cerveira e Lovelhe, por agregação das mesmas, pela Lei n.º 11-A/2013, DR, 1.ª série, n.º 19.

Dados Técnicos

Não aplicável

Materiais

Não aplicável

Bibliografia

ALMEIDA, Carlos Alberto Ferreira de, Alto Minho, Lisboa, 1987, p. 157 - 159; ALMEIDA, José António Ferreira de (org.), Tesouros Artísticos de Portugal, Lisboa, 1976, p. 577; ARMAS, Duarte de, Livro das Fortalezas, Lisboa, INAPA, 1990; COSTA, Carvalho da, Corografia Portuguesa, Tomo I, p.216, Lisboa, 1706; DIOGO, José Leal, Para a História de Vila Nova de Cerveira. IV Roteiro de Vila Nova de Cerveira, Vila Nova de Cerveira, 1983, p. 31 - 37; DIONÍSIO, Santana (dir.), Guia de Portugal. IV Entre Douro e Minho - II Minho, Lisboa, s.d., p. 1064; ROCHA, J. Marques, V. N. de Cerveira de ontem e de hoje, Braga, 1994, p. 35 - 44; SAMPAIO, Francisco, Alto Minho. Roteiro Turístico - Viana do Castelo, Viana do Castelo, 1990, p. 68; VIEIRA, José Augusto, O Minho Pittoresco, 1, Lisboa, 1886, p. 150 - 152;.

Documentação Gráfica

DGOTDU: Arquivo Histórico (Anteplano de Urbanização de Vila Nova de Cerveira, Arq. José Miranda de Vasconcelos, 1948; Anteplano de Urbanização de Vila Nova de Cerveira - Variante, Arq. José Miranda de Vasconcelos, 1957)

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID; DGEMN/DREMN

Documentação Administrativa

IHRU: DGEMN/DSARH (Anteplano de Urbanização de Vila Nova de Cerveira, DSARH-005-3393/02); DGOTDU: Arquivo Histórico (Anteplano de Urbanização de Vila Nova de Cerveira, Arq. José Miranda de Vasconcelos, 1948; Anteplano de Urbanização de Vila Nova de Cerveira - Variante, Arq. José Miranda de Vasconcelos, 1957)

Intervenção Realizada

1970, década - obras para instalação da Pousada.

Observações

*1 - No extremo oposto conserva-se a porta que dava para o rio; *2 - Estes quatro quarteirões albergam 29 quartos, com terraços e pátios interiores.

Autor e Data

Alexandra Lima / Paulo Amaral 1998

Actualização

Anouk Costa, Cláudia Morgado, Rita Vale 2010
 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login