Conjunto dos Espigueiros do Soajo

IPA.00006169
Portugal, Viana do Castelo, Arcos de Valdevez, Soajo
 
Arquitectura agrícola, vernácula. Espigueiros integrados na categoria dos espigueiros estreitos e de paredes aprumadas, com o corpo inteiramente de pedra e com fendas verticais. Constituem uma das maiores concentrações do país, de espigueiros todos de pedra. Têm feição rude e arcaica, mas acabamento muito perfeitos, contrastando com a extrema rudeza das outras construções da aldeia. O pavimento dos espigueiros assentes em mós é de madeira e dos assentes em mesas é de lajes de pedra e a decoração, a nível de ornatos específicos, é bastante reduzida e pobre, resumindo-se aos remates dos telhados. Têm dimensões regulares o que indica certo equilíbrio na propriedade agrícola e a obediência a certos padrões de construção local. O aparecimento de uma ou duas portas suplementares na fachada lateral deve-se à divisão de partilhas, removendo-se então para tal alguns balaústres.
Número IPA Antigo: PT011601460021
 
Registo visualizado 572 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Conjunto arquitetónico  Estrutura  Armazenamento e logística  Espigueiro    

Descrição

Conjunto de 24 espigueiros inteiramente de pedra e de fendas verticais reunidos a esmo no cimo do penedo, adaptando-se aos seus desníveis e preferencialmente com o topo traseiro virado a SO. de onde vem a chuva. São formados por pés singelos de pedra afeiçoada, mais ou menos largos e com alturas variáveis, com ou sem sapata, conforme os desníveis do terreno, encimados por mós ou mesas de formatos vários. O esqueleto do corpo é todo de pedra bem aparelhado, com as colunas aos cantos mostrando já nas fachadas laterais o rasgo da 1ª fenda, por vezes outra coluna a meio nas mesmas condições; lintel do topo da frente linear, por vezes arqueado, e o detrás sempre linear. Paredes laterais e posterior com balaústres ou colunas, abrindo-se em peças de cantaria de forma paralelipípeda estreita e alta, pousadas directamente e à face, sobre as padieiras laterais e servindo de suporte aos lintéis do esqueleto, onde assentam as lajes da cobertura - os capeados de lousa - com juntas cobertas por meia-cana e, no vértice da sua ligação, o cúmio. Nos extremos, do telhado, erguem-se cruzes sobre peanhas. A porta, de madeira, abre-se no topo fronteiro, por vezes encimada por data gravada no lintel, e em alguns casos com 1 ou até mesmo 2 portas nas paredes laterais, às quais se tem acesso por 1 ou 2 pedras toscas encasteladas.

Acessos

Soajo, EN. 530. WGS84 (graus decimais) lat.: 41,872324; long.: -8,262325

Protecção

Categoria: IIP - Imóvel de Interesse Público, Decreto nº 8/83, DR, 1.ª série, n.º 19 de 24 janeiro 1983

Enquadramento

Rural, encosta, implantação harmónica. Erguem-se agrupados sobre um longo penedo de afloramentos graníticos, constituindo eiras naturais, sobranceiro à estrada que conduz à povoação e apenas parcialmente vedado por rede, visto que a altura do penedo se converte em defesa natural. Num desnível do penedo, virado visivelmente a N. existe torneira encimada por coroa naif, formada por pequenas pedras.

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Armazenamento e logística: espigueiro

Utilização Actual

Armazenamento e logística: espigueiro

Propriedade

Privada: pessoa singular

Afectação

Sem afectação

Época Construção

Séc. 18 / 19

Arquitecto / Construtor / Autor

Desconhecido.

Cronologia

1720 / 1762 / 1799 / 1882 / 1884 - Datas gravadas nos lintéis, aludindo à sua construção.

Dados Técnicos

Sistema estrutural de paredes portantes.

Materiais

Estrutura de granito; portas e alguns pavimentos de madeira; coberturas em lajes de granito.

Bibliografia

ALMEIDA, Carlos Alberto Ferreira de, Alto Minho, Lisboa 1987; DIAS, Jorge, OLIVEIRA, Ernesto Veiga, e GALHANO, Fernando, Os Espigueiros Portugueses, Porto, 1963; s.a., Breve Inventário Artístico do Concelho de Arcos de Valdevez, Biblioteca Municipal de Arcos de Valdevez, s.d.; .

Documentação Gráfica

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Administrativa

IHRU: DGEMN/DSID

Intervenção Realizada

Observações

Comparados com a maioria dos espigueiros estreitos dos outros tipos, os espigueiros do Soajo, e os do Lindoso, caracterizam-se pela sua grande largura e pequena altura. Os do Soajo têm larguras idênticas aos do Lindoso, mas frequentemente a altura da câmara é mais baixa uns 15 a 20 cm.

Autor e Data

Paula Noé 1992

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login