Gruta do Poço Velho

IPA.00006050
Portugal, Lisboa, Cascais, União das freguesias de Cascais e Estoril
 
Arquitectura funerária. Grutas utilizadas pelo homem essencialmente como necrópole durante o Neolítico final e o Calcolítico.
Número IPA Antigo: PT031105030002
 
Registo visualizado 572 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Conjunto arquitetónico  Estrutura  Funerário  Gruta artificial    

Descrição

Duas grutas com cerca de 60 m de extensão máxima orientadas no sentido NO - SU., com várias galerias comunicantes entre si atingindo algumas salas 60 cm de altura. Possui um pequeno lago salgado que liga a um sifão.

Acessos

Rua Carlos Ribeiro / Largo das Grutas. WGS84 (graus decimais) lat.: 38,700458; long.: -9,421362

Protecção

Categoria: IIP - Imóvel de Interesse Público, Decreto n.º 47 508, DG, 1.ª série, n.º 20 de 24 janeiro 1967

Enquadramento

Urbano. Situam-se no Centro da Vila de Cascais, junto ao jardim do Visconde da Luz, com entrada protegida por construção de alvenaria rebocada.

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Funerária: gruta artificial

Utilização Actual

Cultural e recreativa: marco histórico-cultural

Propriedade

Afectação

Época Construção

Arquitecto / Construtor / Autor

Cronologia

1879 - campanha arqueológica por Carlos Ribeiro; 28 Set. 1880 - visitadas pelos membros do IX Congrés Internacional d' Anthropologie et Archéologie Préhistóriques; 1945 - a sua conservação foi entregue à Junta de Turismo; 1946 - nova campanha de escavações, dirigidas por Afonso do Paço

Dados Técnicos

Materiais

Calcário

Bibliografia

PEREIRA, Félix Alves, As grutas de Cascais, O Archeologo Portugues, vol. 21, Lisboa, 1916, p. 195 - 200; PAÇO, Afonso de, As Grutas do Poço Velho ou de Cascais in Comunicações dos Serviços Geológicos de Portugal, vol. 22, Lisboa, 1941; PAÇO, Afonso de, BARTHOLO, Maria de Loures, BRANDÃO, Augusto, Novos Achados Arqueológicos das Grutas de Cascais in Actas de Memórias do I Congresso Nacional de Arqueologia, vol. 1, Lisboa, 1959, p. 147 - 159; s.a., Roteiros da Arqueologia Portuguesa. 1 - Lisboa e Arredores, s.l., 1986; ALMEIDA, José António Ferreira de, Tesouros Artísticos de Portugal, Lisboa 1988.

Documentação Gráfica

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Administrativa

Intervenção Realizada

1946 / 1947 - trabalhos de limpeza sob direcção do Engº. Abreu Nunes; instalação eléctrica para fins turísticos.

Observações

Existe um projecto de abertura ao público com "Quadros" da Necrópole. Do espólio ali recolhido e agora no Museu dos Condes de Castro Guimarães, podemos salientar cilindros de calcário (ídolos), placas de xisto, elementos de adorno e utensilagem lítica variada. Encontraram-se igualmente vestígios de ocupação do Neolítico antigo e bronze. Foram escavadas no calcário ao longo do Hanteriviano e do Cretácico por um curso de água subterrâneo ou devido à acção erosiva do mar.

Autor e Data

Paula Noé 1991

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login