Solar da Família Vaz Osório / Casa Vaz

IPA.00005977
Portugal, Vila Real, Peso da Régua, União das freguesias de Peso da Régua e Godim
 
Arquitectura residencial, barroca. Solar de planta rectangular irregular, com o esquema comum das casas do Douro, conservando no piso térreo a adega e lagar e no segundo o andar nobre. Fachadas de dois pisos separados por friso, com pilastras toscanas nos cunhais e terminadas em duplo friso e cornija, sendo regularmente rasgadas por vãos rectilíneos de molduras simples. A fachada principal surge na face mais estreita do rectângulo, sendo rasgada no piso térreo por dois portais laterais e no segundo por quatro janelas de sacada, assente em mísulas, encimadas por friso e cornija e com guarda em ferro, centrando o brasão de família. A fachada lateral esquerda virada à estrada apresenta o mesmo esquema, mas com pequenos janelos e uma porta central no piso térreo; a fachada oposta, virada a uma viela é mais irregular, tendo pano rasgado por portal encimado por friso e cornija, entre janelas de peitoril. Acesso ao interior por portal descentrado, possuindo no andar nobre tectos entalhados. Solar construído no séc. 18, mas seguindo a tradição maneirista, de linhas sóbrias. Os vãos denotam essa simplicidade, sobretudo os do piso térreo, cujas molduras são simples, valorizando-se os do andar nobre com um friso e cornija superior e com as mísulas decoradas sustentando as sacadas, também elas inferiormente decoradas. A fachada virada a uma viela é mais simples e irregular, apenas parcialmente rematada em friso e cornija e com janelas de peitoril a enquadrar portal, correspondendo, possivelmente, a uma reforma do séc. 19 / 20.
Número IPA Antigo: PT011708070006
 
Registo visualizado 124 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Residencial senhorial  Casa nobre  Casa nobre  Tipo planta retangular

Descrição

Planta rectangular irregular, de massa simples com coberturas diferenciadas em telhados de quatro águas. Fachadas rebocadas e pintadas de branco, de um ou dois piso, separados por friso, com pilastras toscanas nos cunhais, e terminadas em duplo friso e cornija sobreposta por beirada simples, sendo rasgadas regularmente por vãos rectilíneos, com molduras simples. Fachada principal virada a O. com o piso térreo rasgado por dois portais laterais largos e, o andar nobre, por quatro janelas de sacada com a verga terminada em cornija, encimada por friso e cornija, com caixilharia de duas folhas e integrando bandeira, e com portadas de madeira, e a sacada assente em três mísulas decoradas, frontalmente dispostas a friso de cantaria e tendo inferiormente, no intervalo das mísulas, almofadas rectangulares; possuem guardas em ferro. Ao centro possui brasão de família, tendo nos topos friso e cornija recta. Fachada lateral esquerda, virada à estrada, com o piso térreo rasgado por cinco janelos quadrangulares, gradeados, e portal central, e o andar nobre rasgado por dez janelas de sacada iguais às da frontaria. Fachada lateral direita com o corpo mais avançado de um só piso, rasgado ao centro por portal de verga recta encimado por friso e cornija, enquadrado por quatro janelas de peitoril, as duas do lado direito com grades de ferro, formando losango envolvido por volutas estilizadas, pintadas de verde; nos restantes panos da fachada, terminados apenas em beirada simples abrem-se janelas de peitoril. Fachada posterior rasgada por portal central de verga recta. No INTERIOR conserva alguns tectos entalhados nas salas do andar nobre.

Acessos

Pêso da Régua, Rua Dr. Manuel de Arriaga, Largo Dr. Manuel Vieira de Matos, Rua da Boa Morte

Protecção

Categoria: IIP - Imóvel de Interesse Público, Decreto nº 45/93, DR, 1.ª série-B, n.º 280 de 30 de novembro de 1993

Enquadramento

Urbano, isolado, na zona alta do Pêso, numa encosta, assente num socalco exposto a N., adaptado ao declive acentuado do terreno. Integra-se num terreno de planta triangular, vedado por muro, formando junto à fachada principal pequeno jardim abandonado, acedido por portão central de ferro. Numa cota superior à fachada lateral direita, ergue-se a Igreja Paroquial (v. PT011708070037) e existia o Passeio Público, hoje um jardim; nas imediações, ergue-se ainda o antigo hospital da Misericórdia (v. PT011708070042).

Descrição Complementar

O brasão de família da fachada principal possui escudo esquartelado, tendo no I quartel as armas dos Pintos, de prata, com cinco crescentes de vermelho, postos em sautor; no II as dos Rebelos, de azul, com três faixas de ouro, cada faixa carregada de uma flor-de-lis de vermelho, e tendo as três flores-de-liz alinhadas em banda; no III as dos Guedes, de azul, com cinco flores-de-lis de ouro, postas em sautor; e no IV as de Vaz, de vermelho, com um castelo de prata assente sobre ondas de prata e de azul. Timbre dos Pintos, com um leopardo de prata saindo de coronel. O escudo é seguro por quatro puttis e envolvido por paquife relevado.

Utilização Inicial

Residencial: casa nobre

Utilização Actual

Devoluto

Propriedade

Privada: pessoa colectiva

Afectação

Sem afectação

Época Construção

Séc. 18

Arquitecto / Construtor / Autor

Desconhecido.

Cronologia

Séc. 18 - Construção do solar por José Vaz Pinto Guedes, capitão-mor de Pêso da Régua e Penaguião; 1764, 3 Agosto - carta régia nomeando-o cavaleiro da Ordem de Cristo; o solar e propriedade permaneceram na família; séc. 19 / 20 - provável reforma, nomeadamente na fachada lateral direita; séc. 20, 1ª metade - por legado de Artur Vaz Osório, o solar passou a pertencer a sua sobrinha D. Dulce Vaz Osório de Morais Gomes, casada com José Nogueira Gomes; obras de remodelação interior e alterações na fachada S.; 1973 - aquisição do solar pelo Instituto do Vinho do Porto para instalação do Museu Regional do Vinho do Porto; 1978 - a casa continuava devoluta e a degradar-se, perdendo-se todo o recheio de notável raridade, a riqueza dos seus tectos e peças de mobiliário; 19 Maio - em reunião geral, a Câmara deliberou chamar a atenção ao Instituto do Vinho do Porto para a urgente necessidade de obras de restauro da casa, considerando mesmo que deviam ser feitas até à próxima vindima; 26 Junho - ofício do presidente da Câmara António Renato Cardoso dos Santos Aguiar pedindo com a possível urgência a visita de um técnico da Secretaria de Estado da Cultura para constatar "in loco" a realidade da casa; Julho - informa-se que, devido ao imóvel não ser classificado, o Ministério da Cultura não podia obrigar o Instituto do Vinho do Porto a realizar as obras que impedissem a si ruína total; 1980 - despacho da Secretaria de Estado da Cultura determinando a classificação como imóvel de interesse público do Solar da Família Vaz Osório; 1981 - fotografia desta data ainda documenta a existência de um corpo adossado à fachada lateral esquerda e posterior, ainda que já muito arruinado, com o segundo piso em materiais mais ligeiros, revestido a placas de xisto formando escama.

Dados Técnicos

Sistema estrutural de paredes portantes.

Materiais

Estrutura em alvenaria de xisto rebocada e pintada; pilastras, frisos e cornijas, molduras dos vãos, bacias das sacadas e brasão em cantaria de granito; caixilharia e portadas de madeira; vidros simples; grades e guardas em ferro forjado; pavimentos e tectos do andar nobre em madeira; cobertura de telha.

Bibliografia

TÓRO, Bandeira de, O Concelho de Pêso da Régua, Edição do Jornal Ilhstrado "A Hora", 1946; Guia de Portugal, V, II, 5º volume, Coimbra, 1988; PIRES, Joaquim, Nossos Tectos, in, Jornal Arrais, 27 de Fevereiro de 1980; idem, Casa dos Tectos, 28 de Fevereiro de 1980; AZEVEDO, Correia de, Brasões e Casas Brasonadas do Douro, Gráfica de Lamego, Lamego, 1984; http://www.patrimoniocultural.pt/pt/patrimonio/patrimonio-imovel/pesquisa-do-patrimonio/classificado-ou-em-vias-de-classificacao/geral/view/74056 [consultado em 11 janeiro 2017].

Documentação Gráfica

IPPAR: 78 / 3 (79)

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID, SIPA; IPPAR: 78 / 3 (79);

Documentação Administrativa

IHRU: DGEMN:DSMN-001-0617/12; IPPAR: 78 / 3 (79)

Intervenção Realizada

Observações

Autor e Data

Isabel Sereno 1994 / Paula Noé 2009

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login