Praça do Comércio - Edifícios pombalinos na ala Nordeste / Café Martinho da Arcada

IPA.00005955
Portugal, Lisboa, Lisboa, Santa Maria Maior
 
Arquitectura política e administrativa. Café que acompanhou e marcou uma época culturalmente muito decisiva para a estruturação da modernidade em Portugal, o Martinho da Arcada, tenta, ainda hoje, manter viva essas características, permitindo evocar os valores que o tornaram conhecido.
Número IPA Antigo: PT031106190159
 
Registo visualizado 508 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Político e administrativo central  Ministério    

Descrição

Planta rectangular. 4 portas, ladeadas por 4 pilastras duplas, emolduradas em cantaria e coroadas por entablamento que serve de pedra de peito a 4 janelas que se abrem na prumada das portas, de verga curva e emolduradas a cantaria. INTERIOR: encontra-se dividido em dois espaços distintos- café e restaurante. O café tem entrada pelo 1º vão da fachada S. Um balcão corrido em L divide a zona de serviço da zona das mesas. Tanto o balcão como o tecto são revestidos a madeira e as paredes a azulejo branco. Do lado direito da entrada encontra-se uma porta de madeira de vão rectangular que separa a zona de café da sala de rerfeições. O acesso ao restaurante é feito pelo 4º vão. Este espaço caracteriza-se pelo seu tecto branco estucado dividido por 2 arcos abatidos em que as arestas e os vãos das portas são revestidos a madeira, sendo que do lado do restaurante a porta de separação da zona do café é ladeada por espelhos e encimada por pinhas. No lado oposto da sala encontram-se as instalações sanitárias, copa, vestiário de pessoal e garrafeira. Em anexo estão as cozinhas, dispensa e câmara frigorífica.

Acessos

Rua da Prata, n.º 2 - 8; Praça do Comércio (ala N.)

Protecção

Categoria: IIP - Imóvel de Interesse Público, Decreto n.º 45/93, DR, 1.ª série-B, n.º 280 de 30 novembro 1993 (Café Martinho da Arcada) *1 / Incluído na classificação da Praça do Comércio (v. IPA.00006491), na classificação da Lisboa Pombalina (v. IPA.00005966) e na Zona de Proteção do Castelo de São Jorge e restos das cercas de Lisboa (v. IPA.00003128)

Enquadramento

Urbano. Implantação harmónica sob as arcadas da praça, no lado direito da ala N.

Descrição Complementar

Sobre o balcão corrido do café e na parede oposta à entrada encontra-se um painel de azulejos rectangular figurando uma cena de cozinha de finais do séc.18 . Este painel encontrava-se na zona de cozinha sendo somente visto pelos funcionários.

Utilização Inicial

Política e administrativa: ministério

Utilização Actual

Política e administrativa: ministério / Comercial: estabelecimento de restauração

Propriedade

Pública: estatal

Afectação

Sociedade Ldª. (Sócia maioritária Albertina Mourão)

Época Construção

Séc. 18 (conjectural)

Arquitecto / Construtor / Autor

ARQUITETOS: Aguiar Ferreira (1999-2003); Filipa Vedes (1988-1990); Raúl Hestnes Ferreira (1988-1990). EMPREITEIRO: Engil - Sociedade de Construções Civis, S.A. (1999-2003). ENGENHEIROS: António Prazeres (1999-2003); Fonseca Pereira (1999-2003); Mário Timóteo (1999-2003).

Cronologia

1778 - notícias da existência de uma loja de bebidas, sorvetes e gelo vindo da Serra de Montejunto; 1782 - atribuição do nome "Café da Neve" ao estabelecimento; 1782 - 1784 - o espaço funciona como bilheteira da carreira de seges que partia para Belém; 1784 - era proprietário o italiano Domenico Mignani; 1795 - no espaço funciona o "Café do Comércio", embora já constituísse ponto de encontro entre jacobinos e liberais é, sobretudo a partir desta data, que se acentua a sua tradição como local de encontro e reunião de intelectuais, artistas, altos funcionários do Estado e comerciantes; 1810 - o Intendente Pina Manique manda encerrar o estabelecimento por ser local frequentado por jacobinos; 1820 - Simão Fernandes reabre o café com o nome "Café da Neve" voltando à sua atividade inicial, os sorvetes; 1824 - Anselmo José Melo passa a proprietário e dá-lhe o nome de "Café da Arcada do Terreiro do Paço"; 1829 - nas mãos de Martinho Bartolomeu Rodrigues (neto do neveiro de D. José), o café assume o nome do proprietário tornando-se "Café Martinho"; 1845 - o proprietário abre outro café na zona do antigo Largo Camões (agora Largo D. João da Câmara ao Rossio); o café situado nas arcadas da Praça do Comércio ganha o nome pelo qual é conhecido hoje, "Martinho da Arcada"; 1925 - o café pertence a uma sociedade, Moura e Simões, Lda; 1985 - o mobiliário interior é classificado como Património Concelhio pelo seu interesse cultural; 1988 - é adquirido por um grupo económico; nas comemorações do centenário de Fernando Pessoa, a Associação Pessoana do Martinho da Arcada promove concurso público para remodelação do café, sendo vencedor o Arquiteto Hestnes Ferreira; 1989 - o café reabre com um ambiente restaurado; desde então, António de Sousa é o responsável pelo estabelecimento, e em conjunto com a Associação Pessoana do Martinho da Arcada, desenvolve atividades de âmbito cultural; 2006, 22 agosto - parecer da DRCLisboa para definição de Zona Especial de Proteção conjunta do castelo de São Jorge e restos das cercas de Lisboa, Baixa Pombalina e imóveis classificados na sua área envolvente; 2011, 10 outubro - o Conselho Nacional de Cultura propõe o arquivamento de definição de Zona Especial de Proteção; 18 outubro - Despacho do diretor do IGESPAR a concordar com o parecer e a pedir novas definições de Zona Especial de Proteção.

Dados Técnicos

Sistemas estruturais

Materiais

Alvenaria, cantaria, azulejos, madeira, vidro.

Bibliografia

AA.VV. - Guia da Arquitetura de Lisboa, 1948-2013. Lisboa: A+A Books, 2013, p. 49; FERREIRA - Manuel Aguiar - «Intervenções na Praça do Comércio». Monumentos. Lisboa: Direção-Geral dos Edifícios e Monumentos Nacionais, 2004, n.º 21, pp. 182-183; «Martinho da Arcada Regressa aos Anos 30». Expresso. Lisboa: 23 Abril 1988; «Vária». Monumentos, Lisboa: Direção-Geral dos Edifícios e Monumentos Nacionais, 1999-2003, n.º 10 e n.º 12 a n.º 13 e n.º 15 a n.º 19.

Documentação Gráfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Administrativa

IHRU: DGEMN/DSID; IGESPAR: IPPAR

Intervenção Realizada

DGEMN: 1993 - obras de remodelação, beneficiação de canalização, esgostos e instalação eléctrica; 1999 / 2000 / 2001 / 2002/ 2003 - remodelação das instalações do Conselho Superior de Obras Públicas, com feitura de novos gabinetes e zonas de apoio, com substituição parcial da cobertura, conforme projecto do arquitecto Aguiar Ferreira e dos engenheiros Mário Timóteo, António Prazeres e Fonseca Pereira, obra levada a cabo pela Engil - Sociedade de Construções Civis, S.A.; 2003 - beneficiação do equipamento do bar e aquisição de mobiliário para diversas salas.

Observações

*1 - DOF: Café Martinho da Arcada, o próprio estabelecimento em si, na sua globalidade exterior e interior.

Autor e Data

João Silva 1992 / Luísa Castro-Caldas 2003

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login