Capela de Santa Maria Madalena

IPA.00005942
Portugal, Vila Real, Vila Real, União das freguesias de São Tomé do Castelo e Justes
 
Arquitectura religiosa, maneirista. Capela de planta longitudinal, composta por nave com coro-alto, capela-mor e sacristia adossado ao alçado lateral direito. Fachada rematada em frontão triangular, rasgada por portal de verga recta com frontão. Alçados com cunhais apilastrados e remates em cornija, sendo o esquerdo rasgado por janelas em capialço e por porta travessa. Cobertura de madeira, a da nave em masseira e a da capela-mor em falsa abóbada de berço abatido. Existência de retábulo de talha dourada e policroma. Capela com capela-mor ligeiramente mais alta do que a nave e o frontão da fachada principal, com as cornijas inferiores separadas por friso, encontra-se elevado relativamente à cobertura. Portal principal ladeado por pilastras, encimadas por pináculos embebidos na estrutura murária, sendo estas separadas da moldura de cantaria que envolve o vão. Superiormente, surgem duas janelas que iluminam a zona do coro-alto. Existência de uma torre sineira, caso único nas capelas seiscentistas da região. Retábulo-mor e laterais de talha dourada e policroma, com decoração neoclássica. Cobertura da capela-mor ostenta pintura azul, onde surgem os Evangelistas adorando o Espírito Santo.
Número IPA Antigo: PT011714110019
 
Registo visualizado 137 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Religioso  Templo  Capela / Ermida  

Descrição

Planta longitudinal composta por nave e capela-mor, ambas rectangulares, com a mesma largura mas com a capela-mor mais alta, tendo adossado ao alçado lateral direito a torre sineira, no alinhamento da fachada principal, longa escada exterior com corrimão de granito, de acesso à torre e ao coro-alto por uma porta situada no patamar intermédio, e sacristia rectangular. Coberturas escalonadas, com telhados de duas águas na capela e uma na sacristia. Alçados rebocados e pintados de branco, com remates em cornija. Fachada principal, orientada, com pilastras nos cunhais e rematada por um frontão triangular, coroado por pináculos de bola sobre nos cunhais e cruz latina sobre plinto encurvado ao centro, ligeiramente mais elevada que a cobertura da nave. O portal, a que se acede por três degraus circulares, apresenta vão de verga recta, com moldura de cantaria, e frontão de volutas interoompido por concha sobre pilastras laterais com pináculos, que enquadram o vão. Ladeia-o, num plano superior, duas pequenas janelas de contorno rectangular. No tímpano do frontão, relógio circular. A torre sineira, também com pilastras nos cunhais, encimadospor fogareus, e com entablamento interligado ao da igreja, tem a ventana do sino coroada por cornija contracurvada, e é coberta por coruchéu piramidal. Alçado N. cego, excepto na zona da sacristia, que tem duas pequenas frestas horizontais, e, na fachada nascente, formando um pequeno ângulo com o muro da nave, uma janela com grade e uma porta de comunicação para o exterior. A torre sineira possui, neste alçado, um único registo, rasgado por uma ventana de volta perfeita. A fachada tardoz é cega, sendo rematada em empena na capela-mor e em meia-empena no da sacristia. Fachada S. apresenta uma porta travessa, de verga recta e uma janela em capialço, ambas com molduras de cantaria. Na zona da capela-mor, é iluminada por duas janelas rectangulares. No INTERIOR, a nave possui coro-alto feito com placa de betão armado e balaustrada de madeira, tendo dois retábulos laterais elevados por um degrau junto ao arco triunfal, em talha policroma ( branco, azul, amarelo e dourado ). O arco triunfal é elevado e de volta perfeita com restos de pinturas. A capela-mor, elevada através de dum degrau, possui um retábulo em talha do mesmo tipo. O pavimento é formado por lajeado granítico irregular e o tecto de madeira, em masseira com tirantes de madeira, na nave, e, na capela-mor, sob a forma de falsa abóbada de berço abatido, pintado de azul com a representação dos Apóstolos olhando para o centro onde está a representação do Espírito Santo sob a forma de pomba e o letreiro, datado de 1874: "VENI SANCTE SPIRITUS". A sacristia com acesso por porta na capela-mor, no lado da Epístola, apresenta uma divisória central, baixa, com uma porta ladeada por duas janelas. As paredes encontram-se com reboco e pintura branca.

Acessos

Justes, Rua das Fontes

Protecção

Categoria: IM - Interesse Municipal, Decreto nº 8/83, DR, 1.ª série, n.º 19 de 24 janeiro 1983

Enquadramento

Urbano. No centro da povoação, confinando com vias públicas, surgindo na fachada tardoz um pequeno largo. Encontra-se rodeado por edifícios de habitação muito descaracterizados.

Descrição Complementar

Retábulo-mor de talha dourada e policroma, com tribuna central de volta perfeita, contendo um trono, sendo ladeado por colunas de fuste liso, encimadas por urna. Lateralmente, duas portas de acesso ao trono, sobrepujadas por duas mísulas com imaginária. Os retábulos laterais são semelhantes, tendo nicho de volta perfeita, assentes em pilastras. O do lado do Evangelho tem um remate simples, em cornija e o da Epístola possui frontão interrompido e espaldar elevado, decorado com váriso elementos dourados.

Utilização Inicial

Religiosa: capela

Utilização Actual

Religiosa: capela

Propriedade

Privada: Igreja Católica

Afectação

Sem afectação

Época Construção

Séc. 17 (conjectural) / 19

Arquitecto / Construtor / Autor

Desconhecido.

Cronologia

Séc. 17 - construção do imóvel; séc. 19, início - execução das estruturas retabulares; 1874 - pintura do tecto da capela-mor; 1909 - data da colocação do relógio no frontão da fachada; 1980 - nesta data, existiam, no interior, um púlpito no lado do Evangelho, com acesso através do coro-alto, e uma mísula com baldaquino na parede fronteira; 1980, 6 Novembro - processo de eventual classificação.

Dados Técnicos

Paredes autoportantes.

Materiais

Estrutura e pavimento em granito. Tecto e altares em madeira. Coro-alto em betão armado.

Bibliografia

SOUSA, Fernando de, GONÇALVES, Silva, Memórias de Vila Real, vol. II, Vila Real, 1987, p. 465.

Documentação Gráfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Administrativa

IHRU: DGEMN/DSID

Intervenção Realizada

Comissão Fabriqueira / Junta de Freguesia / CM de Vila Real: 1991 - colocação de lajes de betão armado nas coberturas e pavimento do coro, telha tipo marselha, novos rebocos nos paramentos interiores e exteriores, avivamento da pintura do tecto da capela-mor.

Observações

Autor e Data

Isabel Sereno e Ricardo Teixeira 1994

Actualização

Paula Figueiredo 2001
 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login