Pelourinho de Manique do Intendente

IPA.00005849
Portugal, Lisboa, Azambuja, União das freguesias de Manique do Intendente, Vila Nova de São Pedro e Maçussa
 
Arquitectura político-administrativa e judicial, setecentista. Pelourinho de bloco prismático com soco hexagonal de cinco degraus, onde assenta base paralelepipédica e fuste liso com capitel simples e ferros de sujeição com decoração zoomórfica, rematado por bloco e pequena pirâmide. Pelourinho bastante tardio, com dupla base de faces emolduradas, com coluna de inspiração toscana, ornada por vários anéis. O remate apresenta as faces estriadas.
Número IPA Antigo: PT031103050002
 
Registo visualizado 229 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Estrutura  Judicial  Pelourinho  Jurisdição senhorial  Tipo bloco

Descrição

Estrutura em cantaria de calcário, composta por soco hexagonal de cinco degraus escalonados, onde assenta coluna de alta base, também hexagonal, e com as faces decoradas por molduras e os cantos recortados. A coluna, de inspiração toscana, tem fuste galbado dividido a 1/3 por moldura simples, capitel bojudo sobreposto por várias molduras facetadas e remate em pináculo estriado. Ferros de sujeição com quatro braços, com os extremos decorados com elementos zoomórficos.

Acessos

Praça dos Imperadores - Manique do Intendente. WGS84 (graus decimais) lat.: 39.220679; long.: -8.891231

Protecção

Categoria: IIP - Imóvel de Interesse Público, Decreto nº 23 122, DG, 1.ª série, n.º 231 de 11 outubro 1933

Enquadramento

Urbano. Ergue-se no largo central da povoação e à frente do antigo Palácio de Manique do Intendente ( v. PT031103050008 ).

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Judicial: pelourinho

Utilização Actual

Cultural e recreativa: marco histórico-cultural

Propriedade

Pública: estatal

Afectação

Autarquia local, Artº 3º, Dec. nº 23 122, 11 Outubro 1933

Época Construção

Séc. 18

Arquitecto / Construtor / Autor

Desconhecido.

Cronologia

Séc. 18 - a povoação denominava-se Arrifana ou São Pedro de Arrifana; 1758, 02 Abril - nas Memórias Paroquiais, assinadas pelo pároco Vicente Coelho da Silva, é referido que a povoação tem 33 vizinhos; 1791 - a povoação é elevada a vila e senhorio do Intendente Diogo Inácio de Pina Manique, na sequência do qual foi construído o pelourinho; 1801, 10 Abril - concessão do título de Barão de Manique a Pedro António de Pina Manique Nogueira de Matos de Andrade, filho do anterior, pela rainha D. Maria I; 1805, 30 Junho - falecimento de Diogo Inácio de Pina Manique; 1818, 06 Fevereiro - o mesmo recebe o título de Visconde de Manique; séc. 19 - numa compilação de informação para Memórias Paroquiais é referido que a povoação é cabeça de baronia e viscondado, em honra de Diogo Inácio de Pina Manique, chanceler-mor do Reino.

Dados Técnicos

Sistema estrutural autónomo.

Materiais

Estrutura em cantaria de calcário; ferros de sujeição em ferro.

Bibliografia

CHAVES, Luís, Os Pelourinhos, Lisboa, 1938; DGEMN, Boletim nº 123, s.l., 1966; MALAFAIA, E.B. de Ataíde, Pelourinhos Portugueses - tentâmen de inventário geral, Lisboa, Imprensa Nacional - Casa da Moeda, 1997.

Documentação Gráfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Administrativa

DGARQ/TT: Memórias Paroquiais (vol. 5, n.º 12, fl. 621-626, vol. 42, n.º 162, fl. 83)

Intervenção Realizada

Nada a assinalar.

Observações

Autor e Data

Paula Noé 1991

Actualização

Aquilino Raimundo 2012
 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login