Capela de Nossa Senhora da Conceição

IPA.00005830
Portugal, Vila Real, Vila Pouca de Aguiar, Vila Pouca de Aguiar
 
Arquitectura religiosa, rococó. Capela de planta longitudinal simples e de espaço único, interiormente iluminado pelos vãos axiais e com tecto de madeira, de perfil curvo. Fachada principal terminada em frontão interrompido por cruz, com cunhais apilastrados e rasgada por portal de verga recta, ladeado por pilastras suportando frontão sem retorno e entrecortado por brasão, enquadrado por vãos. Interior com coro-alto, acedido pela casa, vãos laterais e, sobre o supedâneo, retábulo-mor rococó, de talha pintada a marmoreado fingido e dourado, de planta côncava e um eixo. Capela privada da segunda metade do séc. 18, adossada a antiga casa nobre, actualmente muito descaracterizada. Fachada principal revelando algum cuidado decorativo, com o portal de moldura em bisel encimado por entablamento, com zona central relevada, e frontão interrompido por brasão envolto com concheados, enrolamentos e elementos fitomórficos, que se repetem ladeando as pilastras e sobre as moldura dos vãos. No interior, o retábulo-mor constitui uma interpretação regional dos retábulos da Oficina de André Soares. Apresenta o recurso exagerado no uso do concheados, as pilastras e colunas definidoras do eixo não são da ordem coríntia e o ático, em espaldar, é recortado lateralmente; as mísulas que ladeiam o nicho central têm forma pouco comum. Os vãos, frisos e cornijas do interior foram pintados a marmoreados fingidos das cores do retábulo-mor.
Número IPA Antigo: PT011713140005
 
Registo visualizado 116 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Religioso  Templo  Capela / Ermida  

Descrição

Planta longitudinal de nave única, massa simples e cobertura já sem telhado, mas que era de duas águas. Fachada principal rebocada e pintada de branco, com pilastras toscanas nos cunhais, sobrepujadas por urnas assentes em plintos paralelepipédicos e pequenos acrotérios, e terminada em frontão interrompido por cruz latina de cantaria, com os braços quadrangulares terminados em botão, sobre globo. Portal de verga recta, com moldura em bisel, enquadrado por pilastras toscanas suportando frontão sem retorno e entrecortado, por brasão de família, envolvido por concheados e elementos fitomórficos, com pingente fitomórfico inferior e com elmo; as pilastras são, superiormente, ladeadas por motivo vegetalista recortado. O frontão do portal é enquadrado por dois vãos, no topo superior curvos e no inferior facetados, com molduras coroadas por cornija curva com volutas centrais encimadas por elemento fitomórfico. Fachada lateral direita em cantaria de aparelho irregular, apresentando vestígios de remate em beirado simples e integrando, sensivelmente a meio, mísula. INTERIOR de espaço único, com as paredes rebocadas e pintadas, faixa formando silhar fingido de azulejos, policromo, e resto do tecto de madeira, de perfil curvo, assente em friso e cornija pintada a marmoreados fingidos, o primeiro a rosa e o segundo a azul. Do antigo coro-alto, de madeira, subsiste apenas a guarda, também de madeira, formando quadrícula em losango, o qual era inicialmente acedido por porta de verga recta, do lado do Evangelho. Lateralmente, junto ao supedâneo e com degrau colocado perpendicularmente ao mesmo, abre-se em cada um dos lados, vão alto rectilíneo, com moldura pintada a marmoreado fingido a azul. Sobre o supedâneo acedido por dois degraus, dispõe-se o retábulo-mor, em talha pintada a marmoreado fingido a rosa, verde, branco, e dourado, de planta côncava e um eixo, definido por quatro pilastras, de fuste almofadado sobreposto, por elemento fitomórfico superior, nas exteriores, e por pingente fitomórfico e florão central, nas interiores, com capitéis ornados de acantos, e por duas colunas centrais, com fuste igualmente decorado por elementos vegetalistas, concheados e cartela, e de capitéis de inspiração coríntia; assentam em altos plintos galbados decorados com concheados e motivos fitomórficos; ao centro, abre-se nicho em arco recortado, com moldura acompanhando o seu perfil, com enrolamentos nas zonas salientes, acanto na chave e ladeado por rocalhas, sendo interiormente pintado com flores e albergando imaginária; na zona inferior da moldura evoluem duas mísulas ornadas de concheados sustentando imaginária; na base do nicho, existe apainelado recortado, decorado com cartelas e concheados; ático de espaldar curvo, adaptado ao perfil da cobertura, terminado em cornija, recortado lateralmente, e ornado de cartela, concheados, e, ao centro, sol. Altar paralelepipédico com frontal pintado a imitar brocado e com sanefa. Junto ao retábulo, do lado da Epístola, surge pequeno nicho de alfaias, em arco de volta perfeita, moldurado e com vestígios de policromia rosa e verde.

Acessos

Vila Pouca de Aguiar, Lugar de Cidadelhe, Rua Central

Protecção

Categoria: IIP - Imóvel de Interesse Público, Decreto nº 28/82, DR, 1.ª série, n.º 47 de 26 fevereiro 1982 (retábulo-mor) *1

Enquadramento

Peri-urbano, num dos extremos do povoado, formando frente de rua, adossado à casa de que fazia parte, em cantaria aparente e com as juntas pintadas de preto, possuindo parte da fachada lateral direita com estreito espaço separador de outra construção, mas adossando-se no topo da nave, desse mesmo lado, uma outra construção, em alvenaria de pedra. O portal principal é precedido por três degraus e patamar quadrado em lajeado de granito.

Descrição Complementar

Brasão com escudo partido, com o primeiro esquartelado, tendo no I e IV com cinco escudetes, postos em sautor, e no II e e III com um leão, armado e lampassaso, e o segundo com as armas dos Machados, de vermelho, com cinco machados de prata, encabados de ouro.

Utilização Inicial

Religiosa: capela

Utilização Actual

Devoluto

Propriedade

Privada: pessoa singular

Afectação

Sem afectação

Época Construção

Séc. 18 (conjectural)

Arquitecto / Construtor / Autor

Desconhecido.

Cronologia

1758, 4 Março - a capela, com invocação de Nossa Senhora da Conceição e de propriedade privada, é referida nas Memórias Paroquiais, pelo pároco da freguesia de Vila Pouca de Aguiar; 1760 / 1770 - provável feitura do retábulo-mor, segundo Drª Natália Ferreira Alves; 1964 - a capela ainda possuía teia na nave; 1980, década - deixou de ter as celebrações do mês de Maria.

Dados Técnicos

Paredes autoportantes.

Materiais

Estrutura de cantaria, rebocada e pintada; pilastras, molduras dos vãos, frisos, cornijas, as do interior com vestígios de policromia, e pia de água benta em cantaria de granito; grades de ferro; porta de madeira; resto do tecto em madeira; retábulo-mor em talha pintada a marmoreado fingido; pavimento em granito.

Bibliografia

LEAL, Augusto Soares de Azevedo Barbosa de Pinho, Portugal Antigo e Moderno, Lisboa, 1886; Património Arquitectónico e Arqueológico Classificado, vol. III, Lisboa, 1993; CAPELA, José Viriato, BORRALHEIRO, Rogério, MATOS, Henrique, As Freguesias do Distrito de Vila Real nas Memórias Paroquiais de 1758. Memórias, História e Património, Braga, 2006.

Documentação Gráfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DREMN, DGEMN/DSID

Documentação Administrativa

IAN/TT: Dicionário Geográfico de Portugal, vol. 40, p. 1493

Intervenção Realizada

Observações

*1 - DOF: Altar de talha dourada existente na capela situada na aldeia de Cidadelhe.

Autor e Data

Isabel Sereno 1994 / Paula Noé 2007

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login