Pelourinho de Zebreira

IPA.00000569
Portugal, Castelo Branco, Idanha-a-Nova, União das freguesias de Zebreira e Segura
 
Pelourinho seiscentista, de bloco prismático, com soco quadrangular de quatro degraus, com fuste octogonal, com remate em bloco, ostentando elementos heráldicos, encimado por pináculo piramidal e grimpa. Apresenta afinidades com o pelourinho de Vila Velha de Rodão (v. PT020511040001). Base da coluna anelada e fuselada na parte superior. Possui as armas dos Senhores de Vila Flor. O remate tem as arestas boleadas.
Número IPA Antigo: PT020505170008
 
Registo visualizado 280 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Estrutura  Judicial  Pelourinho  Jurisdição senhorial  Tipo bloco

Descrição

Estrutura em cantaria de granito, composto por soco quadrangular de quatro degraus, delimitados por quatro frades piramidais. Coluna com base octogonal anelada e fuselada na parte superior, tendo a data de 1686 epigrafada. Fuste octogonal de superfície plana, com capitel de secção quadrangular anelado, com remate em peça cúbica, apresentado quatro escudos com quadrifólio no lado S., esfera armilar estilizada no lado E., e armas dos Condes de Vila Flor nos lados N. e O. (um braço armado de cutelo e escudo esquartelado com dois leões e dois braços armados de cutelo). O remate é encimado por pirâmide de base quadrada com moldura triangular e decorada com meias esferas nos ângulos, sustentando catavento em ferro com bandeirola.

Acessos

Largo da Praça. WGS84 (graus decimais) lat.: 39,844980; long.: -7,071245

Protecção

Categoria: IIP - Imóvel de Interesse Público, Decreto n.º 23 122, DG n.º 231 de 11 outubro 1933

Enquadramento

Urbano, destacado, em superfície quase plana. Isolado na zona central de um espaço delimitado por edifícios rústicos, abastados e descaracterizados e na proximidade da antiga casa da câmara, igualmente descaracterizada *1.

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Judicial: pelourinho

Utilização Actual

Cultural e recreativa: marco histórico-cultural

Propriedade

Pública: estatal

Afectação

Autarquia local, Artº 3º, Dec. nº 23 122, 11 Outubro 1933

Época Construção

Séc. 17 (conjectural)

Arquitecto / Construtor / Autor

Desconhecido.

Cronologia

Séc. 13 - repovoamento promovido pelos Templários; séc. 16 - referências à existência de um castelo, talvez medieval; 1640 / 1646 - construção de fortaleza no sítio do Castelo, por ordem de D. João IV, cujo traçado é atribuído a João Nunes Tinoco (Hormigo, 1983); 1663 - levantamento planimétrico da fortaleza (Serviços de Fortificações e Obras do Exército) *2; 1680 - elevação à categoria de vila e doação a Cristóvão Manuel de Vilhena, segundo Conde de Vila Flor; 1686 - edificação do pelourinho, documentada por inscrição; 1762 - conquistada pelo exército espanhol, a fortaleza foi desenhada por militar espanhol anónimo (Arquivo Histórico Militar); 1833 ou 1855 - extinção do concelho.

Dados Técnicos

Sistema estrutural autónomo.

Materiais

Estrutura em cantaria de granito; grimpa em ferro.

Bibliografia

ALMEIDA, João de, Roteiro dos Monumentos Militares Portugueses, Lisboa, 1948; ALMEIDA, José António Ferreira de, dir., Tesouros Artísticos de Portugal, Lisboa, 1980; ANTUNES, António Rodrigues, Subsídios para a Monografia da Zebreira: Terra da Raia, Estudos Arqueológicos, Históricos e Etnográficos, Zebreira, 1987; AZEVEDO, Correia de, Terras com Foral ou Pelourinhos das Províncias do Minho, Trás-Os-Montes e Beiras, Porto, 1967; CARDOSO, Nuno Catarino, Pelourinhos das Beiras, Lisboa, 1936; CARDOSO, Nuno Catarino, Pelourinhos das Beiras, Lisboa, 1936; DIAS, Jaime Lopes, Pelourinhos e Forcas do Distrito de Castelo Branco, V.N. de Famalicão, 1935; Forte de São Pedro da Zebreira, in Comunicações das 1ªs Jornadas Regionais sobre Monumentos Militares, Castelo Branco, 1983; HORMIGO, José Joaquim M., Plantas de Povoações da Beira Baixa (séc. XVIII), Lisboa, 1980; LEAL, Pinho, Portugal Antigo e Moderno, Lisboa, 1873; MALAFAIA, E.B. de Ataíde, Pelourinhos Portugueses - tentâmen de inventário geral, Lisboa, Imprensa Nacional - Casa da Moeda, 1997; SALVADO, António, Elementos para um Inventário Artístico do Distrito de Castelo Branco, Castelo Branco,1976; SOUSA, Júlio Rocha e, Pelourinhos do Distrito de Castelo Branco, Viseu, 2000; http://www.patrimoniocultural.pt/pt/patrimonio/patrimonio-imovel/pesquisa-do-patrimonio/classificado-ou-em-vias-de-classificacao/geral/view/72310 [consultado em 14 outubro 2016].

Documentação Gráfica

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Administrativa

IHRU: DGEMN/DSID

Intervenção Realizada

Nada a assinalar.

Observações

*1 - a torre do relógio resultou da transformação da antiga cadeia. *2 - subsistem escassos vestígios da fortaleza.

Autor e Data

Margarida Conceição 1993

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login