Capela de Nossa Senhora da Consolação

IPA.00005662
Portugal, Faro, Tavira, União das freguesias de Tavira (Santa Maria e Santiago)
 
Arquitectura religiosa, maneirista, chã. Ermida de planta longitudinal, de nave única, evidenciando a simplicidade e austeridade da estrutura chã, de execução vernacular. No interior retábulo-mor maneirista, inspirado em modelos arquitetónicos serlianos, integrando pintura de temática mariana, painéis de azulejo, de tapete, seiscentistas e altar lateral com tela setecentista figurando Cristo com a Cruz, proveniente de um Passo da via-sacra.
Número IPA Antigo: PT050814060029
 
Registo visualizado 184 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Religioso  Templo  Capela / Ermida  

Descrição

Planta rectangular, massa simples disposta na vertical, cobertura em telhado de duas águas e campanário de um sino. Fachada principal delimitada por cunhais de cantaria e empena triangular com friso de massa e cruz de ferro; portal de verga recta ladeado por duas pequenas frestas.

Acessos

Rua da Liberdade

Protecção

Categoria: MIP - Monumento de Interesse Público, Portaria n.º 200/2013, DR, 2.ª série, n.º 71 de 11 abril 2013 / Incluído na Zona Especial de Proteção das Muralhas do Castelo (v. PT050814060002)

Enquadramento

Urbano, adossado, constituindo frente de rua.

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Religiosa: capela

Utilização Actual

Religiosa: capela

Propriedade

Privada: Igreja Católica (Diocese do Algarve)

Afectação

Sem afectação

Época Construção

Séc. 17 / 20

Arquitecto / Construtor / Autor

PINTOR: João Rodrigues Antino, atr. (retábulo)

Cronologia

1648 - criação da Confraria de Nossa Senhora da Consolação e construção do templo; a Confraria destinava-se acolher os condenados da cadeia que ficava fronteira à capela; Séc. 20, inícios - destruição da sacristia, casas do ermitão e de um dos Passos do Senhor anexos à Ermida; Séc. 20 - substituição do portal; 1983, 28 novembro - Proposta de classificação pela CM de Tavira; 2000, 13 junho - Nova proposta de classificação pela CM de Tavira; 2006, 08 outubro - Proposta de abertura do processo de classificação pelo IPPAR/DRFaro; 2000, 16 outubro - Despacho de abertura do processo de classificação pelo Vice-Presidente do IPPAR; 2007, 23 novembro - Proposta da DRCAlgarve para a classificação como IIP - Imóvel de Interesse Público e o não estabelecimento de ZEP por estar Incluído na Zona Especial de Proteção das Muralhas do Castelo (v. PT050814060002); 2008, 11 junho - Parecer favorável à classificação e ao não estabelecimento de ZEP pelo Conselho Consultivo do IGESPAR; 2011, 11 abril - Despacho de Homologação de classificação como IIP - Imóvel de Interesse Público, pelo Secretário de Estado da Cultura; 2012, 24 outubro - Anúncio n.º 13619/2012 publicado no DR, 2.ª série, n.º 206, de projeto de decisão de classificação como MIP.

Dados Técnicos

Paredes autoportantes

Materiais

Alvenaria mista, rebocada e caiada; cobertura em telha de canudo, cantaria, porta em madeira, gradeamentos de ferro nas frestas.

Bibliografia

VASCONCELOS, Damião Augusto de Brito, Notícias Históricas de Tavira 1242-1840, Tavira, 1989; ANICA, Arnaldo Casimiro, Tabira e o seu Termo, Memorando Histórico, Tavira, 1993; LAMEIRA, Francisco Ildefonso C., Inventário Artístico do Algarve. A Talha e a Imaginária, vol.4, Faro, 1993; IDEM, Roteiro das Igrejas de Tavira, Monografias 5, 1996; SERRÂO, Vítor, A Cripto-História de Arte, Lisboa, Livros Horizonte, 2001.

Documentação Gráfica

CMT

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Administrativa

IHRU: DGEMN/DSARH

Intervenção Realizada

Observações

EM ESTUDO

Autor e Data

Francisco Lameira 1997

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login