Igreja Paroquial de Escariz / Igreja de Santo André

IPA.00005609
Portugal, Aveiro, Arouca, Escariz
 
Igreja paroquial construída no início do séc. 18, de planta poligonal composta por nave única, capela-mor e sacristia adossada ao lado esquerdo, cunhais com pilastras e pináculos, janelas em esbarro, púlpito com bacia de pedra moldurada apoiada em mísula decorada, arcos retabulares com pilastras e arco de faces riscadas em almofada; reforma neoclássica da fachada principal com vãos rectangulares de verga curva e cornija pouco saliente num portal com padieira decorada ao meio por pedra saliente com almofada encimado por janela do coro ligados por cantaria trapezoidal almofadada e tendo torre sineira de dois registos com coruchéu ao lado esquerdo; reforma ecléctica do arco triunfal com pilastras e arco moldurado com pedra saliente decorada com acanto no fecho. A nave está antecedida por vestíbulo com volumes e coberturas diferenciadas correspondendo o primeiro à fachada principal e ao coro alto e o segundo tendo resultado da obra de ampliação da nave concluída em 1999, tendo sido ainda acrescentado do lado um alpendre sobre colunas.
Número IPA Antigo: PT010104090030
 
Registo visualizado 326 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Religioso  Templo  Igreja paroquial  

Descrição

Planta poligonal composta por nave única constituída por dois corpos e capela-mor, volumetricamente distintos, com coberturas diferenciadas em telhados de 2 águas tendo adossado do lado N. sacristia e alpendre de cobertura indiferenciada em telhado de 3 águas e, à esquerda, ligeiramente recuada em relação ao plano da frontaria, torre sineira quadrangular coberta com coruchéu em pirâmide. Fachada principal com embasamento, flanqueada por pilastras, com portal único encimado por janela do coro em vãos rectangulares de verga curva e cornija pouco saliente sendo a do portal decorada ao meio por pedra saliente com almofada; os dois vãos estão ligados por cantaria trapezoidal almofadada; a janela tem as caixilharias recuadas albergando no vão aberto imagem em pedra de Santo André; na empena, friso, cornija e ático moldurado em ângulo, pináculos de remate piramidal sobre os cunhais e cruz florenciada no vértice. A empena do segundo corpo da nave tem remate com friso, cornija e cruz florenciada no vértice, elevando-se acima da do corpo da fachada principal. Torre sineira de dois registos com embasamento e pilastras nos ângulos sobrepostas de friso e cornija; no registo inferior, fresta rectangular deitada sobre o embasamento; no superior, um único vão de arco redondo em cada face; pináculos de remate piramidal nos ângulos e coruchéu piramidal coroada por cata-vento com esfera armilar em ferro. Fachadas laterais com embasamento, pilastras nos ângulos sobrepostas de pináculos piramidais, cimalha com friso e cornija de cantaria e cruz florenciada nos vértices da empena. N a fachada lateral esquerda, do lado N., no registo inferior da torre sineira, escadaria de acesso a porta rectangular simples encimada por pequena pedra com data de 1799 inscrita, seguindo-se alpendre corrido suportado por verga recta com cornija, sobre quatro colunas toscanas, que tem continuidade na cimalha do corpo da sacristia, o qual mostra o cunhal cortado com os ângulos revestidos por pilastras e janela rectangular simples; sob o alpendre, porta travessa rectangular simples e janela de esbarro; N fachada lateral direita, do lado S., o ângulo formado pelos 1º e 2º corpos da nave, este mais largo e alto, está marcado por pilastra coroada por pináculo piramidal existindo sobre a linha média três janelas rectangulares de esbarro, duas na nave e uma na capela-mor. Na fachada posterior, dois postigos quadrilobados colocados acima da linha média e pináculos com esferas coroam as pilastras dos ângulos. Interior com coro-alto sobre duas pilastras e duas colunas encimadas por verga recta e cornija de cantaria e resguardado por balaustrada de madeira; pavimentos de madeira e lambril de azulejos de tapete industriais; púlpito com escada de cantaria colocado do lado da Epístola com bacia de pedra moldurada apoiada em mísula decorada e parapeito de madeira entalhada e dourada; dois arcos retabulares opostos nos flancos com pilastras e arco de faces riscadas em almofada; arco triunfal com pilastras e arco moldurado com pedra saliente decorada com acanto no fecho. Retábulos e sanefa do arco triunfal de talha, branco e ouro. Coberturas internas de caixotões em madeira.

Acessos

Escariz

Protecção

Inexistente

Enquadramento

Rural, isolado. Implanta-se numa zona de vale no interior de recinto murado e pavimentado com paralelos pequenos de granito. Limita a N. e a E. com EM, a O. com cemitério paroquial e a S. com campos. Integrada no muro do adro tem cruz dos Passos de faces almofadadas sobre pedestal moldurado.

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Religiosa: igreja paroquial

Utilização Actual

Religiosa: igreja paroquial

Propriedade

Privada: Igreja Católica (Diocese do Porto - Arciprestado de Arouca - Vale de Cambra)

Afectação

Sem afetação

Época Construção

Séc. 18 / 19

Arquitecto / Construtor / Autor

Desconhecido.

Cronologia

Séc. 18, inícios - reconstrução na origem do edifício actual visível nos arcos retabulares dos flancos, na bacia do púlpito e as janelas em esbarro; 1758, 22 abril - nas Memórias Paroquiais surge referida a Igreja, dedicada a Santo André, com quatro altares, o do Santíssimo, o de Nossa Senhora do Rosário, o de Nossa Senhora do Carmo e o do Santo Nome de Jesus; o pároco é reitor, apresentado pelas religiosas do Mosteiro de São Bento da Avé Maria, do Porto, que recebe a renda certa de 50$000, e o pároco a renda de 23$000; 1799 - data inscrita na torre datando a construção de nova frontaria e da torre sineira; séc. 19 - construção de novo arco triunfal e da porta travessa da esquerda.

Dados Técnicos

Sistema estrutural de paredes portantes.

Materiais

Granito (cantarias), telha de aba e canudo, azulejos, madeira (portas, caixilhos, retábulos, pavimentos e coberturas internas).

Bibliografia

BRANDÃO, Domingos de Pinho e LOUREIRO Olímpia, Maria da Cunha - Arouca - Notas Monográficas 1. Porto: Centro de Estudos D. Domingos de Pinho Brandão, 1991, pp- 157-165; GONÇALVES, António Nogueira - Inventário Artístico de Portugal - XI, Distrito de Aveiro, Zona de Nordeste. Lisboa: Academia Nacional de Belas-Artes, 1991, pp. 101-102; PEREIRA, Virgílio - Cancioneiro de Arouca. Porto: Junta da Província do Douro Litoral, 1959, p. 92 - 93.

Documentação Gráfica

DGPC: DGEMN/DSID

Documentação Fotográfica

DGPC: DGEMN/DSID

Documentação Administrativa

DGLAB/TT: Memórias Paroquiais, vol. 14, n. º 52, fls. 383 - 388

Intervenção Realizada

PROPRIETÁRIO: 1999 - reforma geral com ampliação da nave em largura e altura em toda a sua extensão menos na zona do coro-alto (diferenciando-a assim em dois corpos) remoção dos azulejos da fachada principal e da torre sineira, construção de alpendre do lado N., de coberturas externas e internas, de pavimentos no interior e no adro, restauro dos retábulos.

Observações

Autor e Data

Paulo Dordio 1999

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login