Armazém Frigorífico do Peixe

IPA.00005570
Portugal, Porto, Porto, União das freguesias de Lordelo do Ouro e Massarelos
 
Arquitectura de armazenamento, modernista. Edifício modernista, marcado pelos movimento racionalista. Grandes superfícies planas,curvas e envidraçadas. Contraponto entre formas puras com elementos decorativos expressos em frisos, platibandas, molduras e até trabalhos de baixo-relevo. Os baixos-relevo que ladeiam um dos portões voltado para o rio são alusivos ao pescador.
Número IPA Antigo: PT011312070044
 
Registo visualizado 1736 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Armazenamento e logística  Armazém    

Descrição

Planta rectangular. O edifício desenvolve-se em quatro pisos para a Avenida D. Pedro V e em três para a Alameda Basílio Teles. Volumes articulados, segundo coberturas em telhado e em terraço diferenciadas. O embasamento do imóvel é marcado fundamentalmente por grandes vãos: a entrada principal na esquina e dois grandes portões de entrada de mercadorias. Estes vãos são marcados ora por platibandas, ora por frisos, ora por superfícies decoradas com baixos relevos, ora por lâminas verticais. Sobre um dos portões de serviço, grandes superfícies envidraçadas. A esquina de planta curva, desenvolve-se no sentido vertical por uma sucessão de varandas. A fachada voltada para a Av. D. Pedro V, mais fechada apresenta rasgos horizontais.

Acessos

Gaveto da Alameda Basílio Teles e Rua D. Pedro V

Protecção

Categoria: IIP - Imóvel de Interesse Público, Decreto n º 129/77, DR, 1ª série, n.º 226 de 29 setembro 1977

Enquadramento

Urbano. Implanta-se junto ao Cais de Massarelos, na frente urbana voltada para o Rio Douro. A fachada principal volta-se para o rio. Constitui o edifício de remate a E. da Avenida D. Pedro V. Faz gaveto também da Alameda Basílio Teles com a Rua F. Massarelos.

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Armazenamento e logística: armazém

Utilização Actual

Cultural e recreativa: associação culturais e recreativa

Propriedade

Pública: municipal

Afectação

Sem afectação

Época Construção

Séc. 20

Arquitecto / Construtor / Autor

ARQUITECTO: Januário Godinho; ENGENHEIRO DE ESTRUTURAS: Correia de Araújo

Cronologia

1933/1934 - projecto do edifício; 1935, 19 Janeiro - inauguração do edifício; 1961 - é vendido pela câmara municipal à Firma Cimentos Leiria; 1975 - é determinada a classificação e na altura era propriedade de António Champalimaud, residente na R. do Sacramento à Lapa, nº 36 - 1º, Lisboa.

Dados Técnicos

Estrutura autónoma

Materiais

Paredes de alvenaria de tijolo rebocado pelo lado exterior e interior; Paredes interiores rebocadas com acabamento a areado fino e estanhado; Tectos com acabamento a areado fino e estuque; Pavimentos revestidos a betonilha; Caixilharias de ferro e madeira; Portão em chapa de ferro ondulado.

Bibliografia

IPPAR, Património Arquitectónico e Arqueológico Classificado, Vol. II, Lisboa, 1993.

Documentação Gráfica

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Administrativa

Intervenção Realizada

Observações

Por notícias da Imprensa da época, sabe-se que o edifício foi uma obra contestada pela linguagem arquitectónica, constituindo na altura uma obra polémica. Quando o edifício foi construído era propriedade da C. M. e destinava-se a frigorífico do Peixe, da sua organização constavam os seguintes espaços: salas de preparação e escolha do peixe, grande hall destinado à lota, salas frigoríficas, salas de secretaria e administração, duas habitações destinadas a funcionários deste Serviço e túnel de entrada de mercadoria, ligando as salas de escolha e preparação do peixe e um embarcadouro no rio.

Autor e Data

Isabel Sereno 1994

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login