Edifício na Rua do Infante D. Henrique, n.º 77 a 79

IPA.00005568
Portugal, Porto, Porto, União das freguesias de Cedofeita, Santo Ildefonso, Sé, Miragaia, São Nicolau e Vitória
 
Arquitectura civil pública, arte nova e neoclássica. Restaurante integrado num edifício, conjugando harmoniosamente na decoração estilo neoclássico e Arte Nova. Conserva na decoração do espaço interior os elementos originais como sejam: a "boiserie" e os lambrins identificados com o movimento Arte Nova. Os candeeiros de tecto apesar de bem enquadrados não pertencem ao primitivo restaurante mas são oriundos da casa de modas Mattos & Serpa Pinto na R. Sá da Bandeira.
Número IPA Antigo: PT011312130066
 
Registo visualizado 387 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Residencial multifamiliar  Edifício  Edifício residencial e comercial  

Descrição

Este espaço insere-se ao nível do r/c de um edifício de seis pisos do início do século. A fachada principal voltada a N., confronta com a Rua do Infante D. Henrique, através de uma "devanture" em ferro fundido e vidro.

Acessos

São Nicolau, Rua do Infante D. Henrique, nºs. 77 a 79

Protecção

Categoria: IIP - Imóvel de Interesse Público, Decreto nº 29/84, DR, 1ª série, n.º 145 de 25 junho 1984

Enquadramento

Urbano. Flanqueado pelas construções que definem a Rua Infante D. Henrique, insere-se ao nível do r/c e volta-se para a Praça do Infante D. Henrique. Situa-se em pleno centro histórico.

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Residencial: edifício

Utilização Actual

Serviços: banco / Devoluto

Propriedade

Privada: pessoa colectiva

Afectação

Época Construção

Séc. 19 (conjectural)

Arquitecto / Construtor / Autor

Cronologia

1894 - Fundação do Restaurante "Comercial" sob a iniciativa do espanhol Manuel Recarey Antelo (mestre de cozinha); séc. 20, finais da década de sessenta - Pertence à sociedade Mira gerida pelo industrial e financeiro Fernando Maia que transforma o restaurante para pastelaria e casa de chá introduzindo um Pub na cave (exploração entregue a Rui Laranjeira); 1982 - Projecto de Remodelação do Restaurante Comercial da autoria do Arqtº. António Menéres.

Dados Técnicos

Paredes autoportantes de granito.

Materiais

Paredes estucadas decoradas com lambris em carvalho americano e espelhos lapidados. Portas de vai-vem e montra em carvalho americano. Tectos em estuque trabalhados.

Bibliografia

IPPAR, Património Arquitectónico e Arqueológico Classificado, volume II, Lisboa, 1993; MENERES, António, Memória Descritiva do Projecto de Remodelação, Porto, 1982; Porto a Património Mundial, Câmara Municipal do Porto, Porto, 1993; QUARESMA, Maria Clementina de Carvalho, Inventário Artístico de Portugal. Cidade do Porto, Lisboa, 1995.

Documentação Gráfica

CMP (5483 / 83)

Documentação Fotográfica

DGPC: DGEMN:DSID

Documentação Administrativa

CMP (5483 / 83); IPPAR (83 / 25 - 12 (28))

Intervenção Realizada

Séc. 20, finais da década de sessenta - Transformação do restaurante em pastelaria e casa de chá introduzindo um Pub na cave; 1983 - remodelação do restaurante comercial com adaptação a agência bancária.

Observações

Quando este restaurante foi fundado a actual Rua tinha o nome de R. Nova dos Ingleses. Segundo Maria Clementina Quaresma, foi só em 1907 que Manuel Recarey Antelo resolveu fazer grandes obras no edifício onde residia com o objectivo de para ali transferir o Restaurante que possuia na mesma rua, próximo da Feitoria Inglesa. Anos mais tarde, por herança, toma posse do imóvel Manuel Recarey, sobrinho do anterior que, beneficiando-o, deu novo impulso ao Restaurante. Este situado em plena zona comercial da época em que foi fundado, deve a sua fama ao "requinte e boa mesa". Segundo a memória dos portuenses por este lugar passaram muitas personagens ligadas ao mundo das artes, letras e política.

Autor e Data

Isabel Sereno 1994

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login