Pelourinho do Porto

IPA.00005552
Portugal, Porto, Porto, União das freguesias de Cedofeita, Santo Ildefonso, Sé, Miragaia, São Nicolau e Vitória
 
Arquitectura comemorativa, do séc. 20. Memória de pelourinho de bloco prismático, com soco quadrangular de sete degraus, onde assenta uma base galbada e coluna torsa, com capitel coríntio, possuindo ferros de sujeição ornados por elementos fitomórficos, tendo, no remate elementos heráldicos
Número IPA Antigo: PT011312140018
 
Registo visualizado 464 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Estrutura  Comemorativo  Memória de pelourinho    

Descrição

Estrutura em cantaria de granito, composta por soco quadrangular, com centro convexo, composto por sete degraus, tendo em cada ângulo, três pináculos sobre pedestais. Sobre este, assenta base com dois níveis diferentes e coluna torsa com friso de flores em baixo e a cerca de 1/3 e cordão de botões ao longo da hélice; capitel coríntio, com ferros de sujeição, decorados com elementos fitomórficos, e encimado por remate de quatro faces côncavas com as armas da cidade sobrepujadas por coroa fechada.

Acessos

Terreiro da Sé. WGS84 (graus decimais) lat.: 41.142574; long.: -8.611962

Protecção

Categoria: IIP - Imóvel de Interesse Público, Decreto nº 23 122, DG, 1ª série, n.º 231 de 11 outubro 1933

Enquadramento

Urbano, isolado, implantação harmónica. Situa-se no Terreiro da Sé, junto à Sé do Porto (v. PT011312140001) e Casa do Cabido e do Paço Episcopal (v. PT011312140007).

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Comemorativa: memória de pelourinho

Utilização Actual

Comemorativa: memória de pelourinho

Propriedade

Pública: estatal

Afectação

Autarquia local, Art. 3º, Dec. 23 122, 11 Outubro 1933

Época Construção

Séc. 20

Arquitecto / Construtor / Autor

Desconhecido.

Cronologia

1583 - criação do Tribunal da Relação do Porto; 1706 - a povoação tem assento em Cortes no primeiro banco, governada pelos Sousa, Condes de Miranda e Marqueses de Arronches, com 300$000 de ordenado e outros tantos de propina; tem um chanceler desembargador, um juiz da Coroa desembargador, 8 desembargadores dos agravos, um corregedor do crime desembargador, com dois escrivães, 2 porteiros, um procurador da Coroa, 3 ouvidores do crime, 8 desembargadores extravagantes, um contador, um escrivão das despesas da Relação, um tesoureiro, todos nomeados pelo Governador; os demais oficiais da alfândega e câmara são nomeados pelo rei, como um guarda-mor, um distribuidor, um solicitador da justiça, 2 meirinhos, com 2 escrivães e 3 guardas; tem 1 escrivão dos agravos, 3 das pelações cíveis, 3 das apelações crimes, um escrivão da Coroa, um corregedor da Comarca, que serve de provedor, um escrivão da Provedoria e 3 da Correição, um contador, distribuidor, um inquiridor, meirinho, porteiro, solicitador dos resíduos, caminheiro, juiz de fora, 8 tabeliães, 6 inquiridores, que também são dos órfãos, contadores; tem juiz dos órfãos, contador, distribuidor, 2 repartidores, 2 avaliadores e 3 porteiros; tem 4 vereadores, de que é presidente o juiz de fora, um procurador, um síndico, um escrivão; tem tribunal da Alfândega; séc. 18 - construção do pelourinho, de que subsiste um desenho, tendo servido de base para a construção da actual estrutura; 1940 - Conclusão das obras de demolição de velhas construções e arruamentos existentes frente à Sé e Paço Episcopal, feitas com o objectivo de desafogar estes dois edifícios monumentais da cidade e criar o terreiro da Sé; 1945 - após o seu lajeamento foi aí colocado o pelourinho, mandado executar pela Câmara Municipal do Porto.

Dados Técnicos

Sistema estrutural autónomo.

Materiais

Estrutura em cantaria de granito.; cruz em metal.

Bibliografia

COSTA, António Carvalho da (Padre), Corografia Portugueza, vol. I, Lisboa, Valentim da Costa Deslandes, 1706; DIONÍSIO, Santana, Guia de Portugal, vol. 4, Tomo I, Coimbra, 1985; MALAFAIA, E.B. de Ataíde, Pelourinhos Portugueses - tentâmen de inventário geral, Lisboa, Imprensa Nacional - Casa da Moeda, 1997; QUARESMA, Maria Clemente de Carvalho, Inventário Artístico de Portugal - Cidade do Porto, Lisboa, 1995.

Documentação Gráfica

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Administrativa

Intervenção Realizada

DGEMN: 1932 / 1933 / 1934 / 1935 / 1936 - trabalhos de demolição de construções e arruamentos, com o objectivo de criar o Terreiro da Sé e desafogar a Sé Catedral e o Paço Episcopal, na sequência da intervenção que a mesma realizou na Sé Catedral (restauros e consolidação estrutural).

Observações

Autor e Data

Isabel Sereno e Miguel Leão 1994

Actualização

Paula Noé 1997
 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login