Igreja Paroquial de Entre-os-Rios / Igreja de São Miguel

IPA.00005315
Portugal, Porto, Penafiel, Eja
 
Igreja paroquial tardo-medieval e barroca de planta retangular composta por nave, capela-mor e sacristia adossada ao lado direito, com coberturas interiores diferenciadas em falsas abóbadas de berço, iluminada uniformemente na capela-mor, por janelas retilíneas rasgadas nas fachadas laterais, não tendo a nave qualquer ponto de iluminação natural. Fachada principal em empena, com os vãos rasgados em eixo composto por portal em arco abatido, assente em impostas salientes e de arestas biseladas, e por fresta. Fachadas rematadas em cornija, as laterais assentes em cachorrada, a esquerda com porta travessa em arco apontado e com impostas salientes. Interior com coro-alto, batistério e púlpito no lado do Evangelho. Arco triunfal em arco apontado, assente em impostas e formando três arquivoltas com frisos decorativos, flanqueado por retábulos colaterais dispostos em ângulo, de talha pintada, de inspiração clássica. Retábulo-mor de talha dourada, do estilo barroco nacional, de planta côncava e um eixo. Antiga igreja paroquial de provável construção tardo-românica, como se depreende da existência de portais antigos, mas em arco apontado. Ambos possuem impostas salientes e frisos fitomórficos, apontando para uma construção tardia, ideia reforçada pela existência de arestas biseladas no portal axial. O arco triunfal apresenta características similares, com frisos fitomórficos. No exterior, arcosólio com sepultura, podendo constituir o único elemento remanescente da construção românica. Possui campanário, de execução oitocentista. No interior, destaca-se a capela-mor com retábulo-mor de talha dourada e corpo de planta côncava, revelando na decoração das arquivoltas uma transição para o estilo barroco joanino, apontando para uma feitura em pleno séc. 18. Possui a tribuna ornada por caixotões de temática mariana, nada tendo a ver com o orago da igreja, sendo possível a sua vinda de qualquer outro edifício; a ideia de adaptação ao local pode ser reforçada pela existência de seis caixotões na cobertura que teriam pertencido ao retábulo, também eles com temática das litanias marianas. A cobertura da capela-mor é completada por caixotões pintados, ornados por acantos. Possui dois retábulos colaterais, o do Evangelho de execução mais antiga e de inspiração neoclássica, feito, provavelmente, no final do séc. 19, sendo o do lado oposto executado posteriormente e assemelhando-se à estrutura retabular oitocentista. A porta da sacristia está pintada com albarrada.
Número IPA Antigo: PT011311100010
 
Registo visualizado 685 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Religioso  Templo  Igreja paroquial  

Descrição

Planta retangular composta por nave, capela-mor, sacristia adossada ao lado direito, e anexo adossado à fachada posterior, formando a casa da tribuna, de volumes articulados e escalonados com coberturas diferenciadas em telhados de duas águas no templo e de três na sacristia. Fachadas em cantaria de granito aparente, em aparelho isódomo, rematadas em cornija na fachada principal e frisos nas demais, assentes em cachorrada. Fachada principal virada a O., rematada em empena tendo cruz latina sobre plinto paralelepipédico, no vértice; está rasgada por portal em arco apontado, assente em impostas salientes e de arestas biseladas, encimado por fresta; o portal está protegido por duas folhas de madeira pintada de verde. No lado esquerdo, um campanário rasgado por ventana de volta perfeita, rematado em cornija e cruz sobre dado, flanqueada por pináculos piramidais com bola; tem acesso por escadas na face posterior, adossadas ao muro da fachada lateral. Fachada lateral esquerda marcada pelas escadas da sineira, que ligam a porta dintelada, de acesso ao coro-alto; tem porta travessa em arco apontado assente em impostas salientes e formando três arquivoltas, as interiores em toro, sendo a exterior decorada, criando uma moldura com motivos fitomórficos e friso denteado; possui arestas biseladas e está protegido por duas folhas de madeira pintadas de verde. O corpo da capela-mor possui porta de verga reta e duas folhas de madeira, e duas janelas retilíneas, possuindo duas mísulas de cantaria, denotando a existência de um corpo adossado; possui arcosólio de volta perfeita, contendo sepultura. O anexo posterior possui pequena janela quadrangular. Fachada lateral direita com duas janelas na capela-mor, tendo o corpo adossado da sacristia, com acesso por escadas de cantaria e porta de verga reta, na face O. e janela na oposta. Fachada posterior em empena reta, rasgada por duas janelas retilíneas, sendo visível a empena do arco triunfal, encimada por cruz latina; a fachada ostenta mísulas salientes, denotando o adossamento de uma estrutura. INTERIOR com paredes rebocadas e pintadas de branco, a nave com cobertura em falsa abóbada de berço abatido de madeira pintada de creme, assente em friso de madeira pintada de vermelho, e pavimento em soalho. Coro-alto de madeira com guarda em falsa balaustrada, tudo pintado de vermelho, tendo acesso por porta de verga reta no lado do Evangelho. O portal axial tem perfil em arco abatido interno. No sub-coro, no lado do Evangelho, estrutura em alvenaria rebocada e pintada de branco, formando o batistério, onde surge a pia batismal, em cantaria de granito, composta por pequeno pé cilíndrico, assente em base em toro, e por taça facetada, tendo uma das faces bastante degradada. Ainda no mesmo lado, o púlpito quadrangular com bacia em cantaria de granito assente em mísula e guarda plena de madeira pintada de azul e vermelho, com as faces ornadas por motivos fitomórficos e sem acesso. Arco triunfal de volta perfeita, assente em duplas impostas salientes e de duas arquivoltas, as interiores em toro e as exteriores formando três frisos fitomórficos. Está ladeado por duas capelas retabulares colaterais, dispostas em ângulo, dedicadas ao Sagrado Coração de Jesus (Evangelho) e Nossa Senhora das Graças (Epístola). Capela-mor com cobertura em falsa abóbada de berço, em caixotões e pavimento em soalho; as janelas estão encimadas por sanefas de madeira pintada de vermelho e dourado, formando frisos, o inferior recortado. Sobre supedâneo de cantaria, o retábulo-mor, de talha dourada, corpo de planta côncava e de um eixo definido por quatro colunas torsas, ornadas por pâmpanos, assentes em plintos paralelepipédicos decorados por acantos, e por quarteirões internos, com mísulas adossadas e tendo, na base as portas de acesso à tribuna, pintadas com anjos segurando turíbulos; os elementos estruturais prolongam-se em três arquivoltas ornadas por folhagem e pontuadas por querubins, formando aduelas salientes. Ao centro, tribuna de volta perfeita, contendo trono expositivo de três degraus, com o fundo dourado, formando apainelados de acantos e um central, contendo resplendor e as iniciais "AM", com cobertura de caixotões de acantos e símbolos marianos, como a oliveira, estrela, fonte, a lua e o cedro. Altar encimado por sacrário embutido na estrutura, rodeado por acantos e com a porta ornada por cruz latina envolvida por sudário e rodeada por motivos vegetalistas. Mesa de altar e ambão paralelepipédicos, em cantaria. No lado da Epístola, porta de verga reta, de acesso à sacristia com folha de madeira pintada com albarrada.

Acessos

Eja, Na EN 108 que liga Eja a Abol de Cima. WGS84 (graus decimais) lat.: 41,083307; long.: -8,299051

Protecção

Categoria: MN - Monumento Nacional, Decreto n.º 14 425, DG, 1.ª série, n.º 228 de 15 outubro 1927

Enquadramento

Rural, isolado, implantado no topo de uma elevação, assente em afloramento rochoso, que cria uma plataforma natural, formando um pequeno adro murado a alvenaria de granito no lado direito e na zona frontal, pontuado por árvores e enquadrado, na fachada posterior, por canteiros de flores e arbustos. Tem acesso ao portal axial por escadaria, composta por degraus em granito, dispostos em leque. As encostas envolventes estão transformadas em terras de cultivo. A S., numa relação muito próxima à igreja, a antiga Casa Paroquial. A SO., a Capela de Nossa Senhora da Cividade (v. PT011311100111).

Descrição Complementar

Retábulo colateral do Evangelho de talha pintada de branco e dourado, de planta reta e um eixo definido por duas colunas coríntias, com o terço inferior marcado por folhagem, assentes em plintos paralelepipédicos, ornados por motivos fitomórficos, e isentas da estrutura; estão encimadas por urnas. Ao centro, nicho contracurvado, com moldura saliente e fundo pintado, tendo falsos seguintes de acantos e ladeado por duas mísulas de onde se dependuram folhas. A estrutura remata em espaldar recortado, emoldurado por friso e encimado por acantos vazados; no espaldar, coração inflamado, rodeado por resplendor. Altar em forma de urna, ornado por rosetão e folhagem, encimado por sacrário embutido na estrutura, com a porta ornada por cálice e ladeado por painéis de acantos. O retábulo colateral da Epístola é de talha pintada de branco e dourado, de planta reta e um eixo definido por duas colunas coríntias, assentes em plintos paralelepipédicos, ornados por motivos fitomórficos, e isentas da estrutura; estão encimadas por urnas. Ao centro, nicho contracurvado, com moldura saliente e fundo pintado de azul, tendo falsos seguintes de acantos e ladeado por duas mísulas. A estrutura remata em espaldar recortado, emoldurado por friso, contendo rosetão rodeado por resplendor. Altar em forma de urna, ornado por rosetão, encimado por apainelado de rosetões. O teto da capela-mor é em caixotões, pintados de cinza e branco, com molduras pintadas de vermelho, tendo folhagem dourada nos ângulos; formam decoração de acantos dispostos de forma simética; junto ao retábulo-mor, surgem seis acantos de talha dourada, com molduras salientes e o centro ornado por acantos, que centram elemento alusivo à Virgem, surgindo o espelho, palmeiras, a escada, a torre, rosas e o poço.

Utilização Inicial

Religiosa: igreja paroquial

Utilização Actual

Religiosa: igreja *1

Propriedade

Privada: Igreja Católica (Diocese do Porto)

Afectação

Sem afetação

Época Construção

Séc. 13 (conjectural) / 15 (conjectural) / 18

Arquitecto / Construtor / Autor

Desconhecido.

Cronologia

Séc. 11 - edificação de uma primeira igreja; séc. 14 - provável construção; séc. 15 - possível remodelação do edifício; 1592, 18 janeiro - primeiro registo de óbito na paróquia; 05 outubro - primeiro registo de batismo na paróquia; 1604, 26 janeiro - primeiro registo de casamento na paróquia; séc. 18 - feitura do retábulo-mor; 1758, 18 abril - nas Memórias Paroquiais, assinadas pelo pároco Bernardo António da Fonseca Sequeira, é referido que a paróquia é dedicada a São Miguel Arcanjo e tem o altar-mor com o Santíssimo; no altar colateral do Evangelho, São Caetano e, no oposto, o Menino Deus; o pároco é abade apresentado alternativamente pelo bispo do Porto e pelos religiosos do Mosteiro de Paço de Sousa, e a paróquia tem de rendimento 15$000; tem a Capela de Nossa Senhora da Cividade, pertencente aos fregueses; séc. 19 - colocação do retábulo colateral do Evangelho e do púlpito; execução do campanário e coro-alto; séc. 20 - colocação do lambril de azulejos; feitura do retábulo colateral da Epístola; 1994 - a igreja tem, nesta data, a nave percorrida por lambril de azulejos monócromos a azul, industriais, de produção recente, teto curvo em madeira, pintado de azul, possuindo coro-alto de madeira com balaustrada simples também de madeira pintada de azul; 2007, 23 outubro - proposta da DRCNorte relativa à fixação de Zona Especial de Proteção; 12 dezembro - parecer favorável do Conselho Consultivo do IGESPAR à proposta de fixação de Zona Especial de Proteção.

Dados Técnicos

Sistema estrutural de paredes portantes.

Materiais

Estrutura em cantaria de granito aparente no exterior; granito nos muros de retenção, escadas e pavimento da envolvente, em modinaturas; granito rebocado em paredes interiores; pedra no pavimento interior; saibro no pavimento da envolvente; PVC em ripas da estrutura da cobertura; cartão asfáltico em sub-telha da cobertura; chapa de zinco nos algerozes; chumbo em rufos da cobertura; ferro nas grades e ferragens; latão nas ferragens; telha cerâmica de canudo na cobertura; vidro simples e temperado nas janelas; azulejos no lambril; madeira na estrutura e forro da cobertura, caixilharias, retábulos, estrutura e revestimento de pavimentos interiores, rodapés e tetos.

Bibliografia

CAPELA, José Viriato, MATOS, Henrique e BORRALHEIRO, Rogério, As freguesias do Distrito do Porto nas Memórias Paroquiais de 1758 - Memórias, História e Património, Braga, Universidade do Minho, 2000; IPPAR, Património Arquitectónico e Arqueológico Classificado, Lisboa, 1993; Monumentos n.º 20, Lisboa, 2004; http://www.rotadoromanico.com/vPT/Monumentos/Monumentos/Paginas/IgrejadeSaoMigueldeEntreosRios.aspx?galeria=Fotografias®iao=Penafiel&monumento=Igreja%20de%20S%c3%a3o%20Miguel%20de%20Entre-os-Rios&categoria=&TabNumber=0&valor=/vPT/Monumentos/Monumentos/Paginas/IgrejadeSaoMigueldeEntreosRios.aspx&guid={9734C041-0FF3-457C-A24E-EC833E0E1806} , 15 julho 2012.

Documentação Gráfica

(IPPAR) 89 / 3 (57)

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID, DGEMN/DREMN, SIPA; Diocese do Porto: Secretariado Diocesano de Liturgia

Documentação Administrativa

IHRU: DGEMN/DSID, DGEMN/DREMN; (IPPAR) 89 / 3 (57); DGLAB/ADPorto: Paróquia de Entre-os-Rios

Intervenção Realizada

1939 - aprovação do orçamento para obras de conservação e restauro, que implicaram a colocação de nova cobertura, limpeza de rebocos, substituição de janelas recentes por frestas e reforma do pavimento; PROPRIETÁRIO: 1964 - obras de restauro; 1980 - limpeza da vegetação da zona envolvente; 1981 - reparação de coberturas e carpintarias; 1982 - obras de conservação diversas; reparações diversas; 2003 / 2004 - obras de conservação das coberturas, paramentos e vãos exteriores: reparação da estrutura, aplicação de forro e subtelha e substituição da telha; tratamento de juntas e limpeza do granito dos paramentos; substituição das caixilharias dos janelões da capela-mor e reparação dos madeiramentos dos restantes vãos; 2005 - conservação do teto em caixotões da capela-mor, do retábulo-mor e da porta da capela-mor; 2007 - conclusão dos trabalhos de arranjo do espaço exterior, designadamente os pavimentos, a drenagem de águas pluviais, a iluminação, os limites do adro e a criação de acessibilidade a pessoas de mobilidade condicionada.

Observações

*1 - A Rota do Românico do Vale do Sousa inclui 19 imóveis: Igreja de Gândara (v. PT011311040009), Igreja de São Gens de Boelhe (v. PT011311020008), Igreja de Abragão (v. PT011311010015), Memorial da Ermida (v. PT011311150005), Capela da Senhora do Vale (v. PT011310080004), Igreja de São Pedro de Ferreira (v. PT011309050001), Ponte de Espindo (v. PT011305130009), Ponte de Vilela (v. PT011305020008), Igreja de Aveleda (v. PT011305020004), Torre de Vilar (v. PT011305260005), Igreja de Santa Maria de Airães (v. PT011303020007), Igreja Matriz de Unhão (v. PT011303280004), Igreja de São Vicente de Sousa (v. PT011303260008), Igreja Velha de São Mamede de Vila Verde (v. PT011303330020), Igreja de Paço de Sousa (v. PT011311220003), Igreja de Cete (v. PT011310080001), Igreja Matriz de Meinedo (v. PT011305130002) e Mosteiro de Pombeiro (v. PT011303150001).

Autor e Data

Isabel Sereno 1994 / Paula Noé 1998

Actualização

Paula Figueiredo 2012 (no âmbito da parceria IHRU / Diocese do Porto)
 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login