Igreja Paroquial de São Julião de Montenegro / Igreja de São Julião

IPA.00000529
Portugal, Vila Real, Chaves, União das freguesias das Eiras, São Julião de Montenegro e Cela
 
Arquitectura religiosa, românica. As relações com o românico orensano revelam-se nos capitéis do arco cruzeiro - escultura animalesca e volumosa - e no portal norte (ALMEIDA 1986: 104). Conserva pintura directa sobre a pedra, realçando a escultura do arco cruzeiro.
Número IPA Antigo: PT011703320019
 
Registo visualizado 346 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Religioso  Templo  Igreja paroquial  

Descrição

Planta longitudinal composta de três volumes justapostos: nave de planta rectangular com telhado de duas águas; cabeceira rectangular, mais estreita e baixa, com telhado de duas águas; sacristia de planta rectangular, adossada ao flanco S. da cabeceira, pé direito mais baixo, coberta com telhado de uma só água. Fachada axial moderna (1855) com portal rectangular simples e óculo sobreposto, encimada por campanário de dupla ventana com remate em cruz e dois pináculos laterais. Fachada lateral S. com três vãos de iluminação: na nave, fresta de arco perfeito; na sacristia, pequena janela quadrangular; na cabeceira, fresta de arco contracurvado. Consolas e lacrimal a meia altura da parede da nave denunciando pórtico lateral desaparecido. Cachorrada da nave e da cabeceira com decoração zoomórfica, antropomórfica ou de rolos. Na cabeceira decoração de rosetas nas pedras entre cachorros. Cornija decorada com laços e bolas. Na sacristia cornija lisa. Fachada posterior da cabeceira com fresta românica de volta perfeita entaipada. Fachada lateral N. com três vãos: na cabeceira, janela rectangular; na nave, porta com duas arquivoltas lisas e tímpano com cruz vazada, sobreposta por fresta rematada com pedra decorada com motivos zoomórficos. Cachorrada com decoração zoomórfica, antropomórfica ou de rolos, e cornija decorada com laços. Arco cruzeiro quebrado, decorado com uma banda de bolas entre dois toros, e uma banda externa de enxaquetado. Apoia-se em meias-colunas com capitéis de escultura animalesca volumosa. Impostas com entrelaces de duas fitas. Arcossólio na parede S. da nave albergando uma tampa de sepultura com a cruz de Cristo, encontrada enterrada no adro. Pinturas a fresco de ambos os lados da parede do arco cruzeiro, no topo E. das paredes laterais da nave e por trás retábulo do altar-mor representação de Santo António e pequenos fragmentos de um conjunto que cobriria toda a parede fundeira da ousia. No exterior conservam-se duas pias baptismais em granito, uma de contorno octagonal e outra, românica, de contorno circular com decoração de encordoado na zona inferior.

Acessos

São Julião de Montenegro, Rua do Cemitério

Protecção

Categoria: MIP - Monumento de Interesse Público, Portaria n.º 740-EH/2012, DR, 2.ª série, n.º 252, de 31 dezembro 2012 / ZEP, Portaria n.º 310/2014, DR, 2.ª série, n.º 92 de 14 maio 2014

Enquadramento

Urbano, no centro da aldeia. Adro elevado confinando com caminhos públicos e a O. com uma casa particular.

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Religiosa: igreja paroquial

Utilização Actual

Religiosa: igreja paroquial

Propriedade

Privada: Igreja Católica (Diocese de Vila Real)

Afectação

Sem afectação

Época Construção

Séc. 13 (conjectural)

Arquitecto / Construtor / Autor

Desconhecido.

Cronologia

Séc. 13 - época provável de construção da igreja; séc. 15 / 16 - feitura das pinturas murais; 1855 - remodelação da fachada principal que aboliu a estrutura românica; 1976, 22 outubro - proposta de classificação elaborada pelo Instituto de José de Figueiredo; 1977, 11 abril - parecer da Junta Nacional de Educação a propor a classificação como Imóvel de Interesse Público; 15 abril - despacho de homologação do processo de classificação do Secretário de Estado da Investigação Científica; 1990, 21 junho - parecer do Conselho Consultivo do IPPC a propor a manutenção da proposta de classificação como Imóvel de Interesse Público; 20 agosto - despacho de homologação à classificação como Imóvel de Interesse Público da Secretária de Estado da Cultura; 2006, 21 agosto - proposta de definição de Zona Especial de Proteção da DRPorto; 20 dezembro - parecer favorável à proposta de definição de Zona Especial de Proteção do Conselho Consultivo; 2013, 6 maio - publicação do projeto de decisão relativo à fixação da zona especial de proteção da igreja de São Julião, em Anúncio n.º 163/2013, DR n.º 86, 2.ª série; 2014, 02 junho 2014 - declaração de retificação n.º 558/2014, DR, 2.ª série, n.º 105.

Dados Técnicos

Sistema estrutural de paredes portantes.

Materiais

Estrutura em cantaria de granito aparente; pavimento em lajeado em granito; pinturas murias; retábulo-mor em talha dourada; tecto de madeira; cobertura em telha marselha e de meia-cana.

Bibliografia

ALMEIDA, Carlos A. Ferreira de, O Românico, in História da Arte em Portugal, Lisboa, 1986, vol. 3, p. 104; ALMEIDA, José António Ferreira de (org.), Tesouros Artísticos de Portugal, Lisboa, 1976, p. 534; Fundação Calouste Gulbenkian, Guia de Portugal, Lisboa, 1987, vol. 5, Tomo I, p.447.

Documentação Gráfica

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DREMN; Arquivo " Mural da História "

Documentação Administrativa

IHRU: DGEMN/DREMN

Intervenção Realizada

1983 - Restauro dos frescos por uma brigada do Instituto José Figueiredo; 1985 - Apeamento da parede lateral da nave que ameaçava ruir, revisão geral do telhado, arranjo do arco tumular vazio, dentro da Igreja, aproveitando a pedra tumular com as insígnias da ordem de Cristo, encontrada enterrada no adro, aparecimento do 3º marco miliário sob o altar-mor (Obras realizadas pela Comissão fabriqueira).

Observações

*1- Alguns elementos do portal principal românico encontram-se no Museu Municipal de Chaves. *2- Sob o altar-mor foi encontrado um marco miliário romano.

Autor e Data

Isabel Sereno e Ricardo Teixeira 1994

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login