Arco da Paradela

IPA.00005011
Portugal, Viseu, Tarouca, União das freguesias de Tarouca e Dálvares
 
Marco de couto medieval.
Número IPA Antigo: PT011820010007
 
Registo visualizado 114 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Estrutura  Político e administrativo  Estrutura de delimitação territorial  Marco  Marco de couto

Descrição

Arco de granito, apontado, apoiado em bases de secção rectangular e embasamento artificial horizontal.

Acessos

EN 226, para Mondim da Beira; na Praça José Fernandes, à direita para o lugar do Outeiro; depois da ponte românica, à direita, a 1 Km em caminho rural paralelo ao Rio Barosa

Protecção

Categoria: IIP - Imóvel de Interesse Público, Decreto n.º 39 521, DG, 1.ª série, n.º 21 de 30 janeiro 1954

Enquadramento

Rural, meia encosta, harmonizado, isolado, delimitado parcialmente por muro.

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Política e administrativa: marco de couto

Utilização Actual

Cultural e recreativa: marco histórico-cultural

Propriedade

Privada: pessoa singular

Afectação

Sem afectação

Época Construção

Séc. 12 / 13 (conjectural)

Arquitecto / Construtor / Autor

Desconhecido.

Cronologia

1175 - construção dos arcos (?) para sepultura de Diogo Aanes; 1201 - existência de documentação referindo este local; 1273 - referências toponímicas ao arco; 1354 - última paragem do Conde D. Pedro, que falecido em Lalim, ia a sepultar no Mosteiro de São João de Tarouca

Dados Técnicos

Estrutura autónoma.

Materiais

Granito.

Bibliografia

REAL, M. Guedes, Revista da Beira Alta, vol. 23, nº. IV, 1964; Grande Enciclopédia Portuguesa e Brasileira, vol. 30, s.l.; FERNANDES, A. de Almeida, As Dez Freguesias do Concelho de Tarouca: História e Toponímia, Braga, 1995

Documentação Gráfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Administrativa

IHRU: DGEMN/DSID, DGEMN/DSARH

Intervenção Realizada

1952 - Reconstrução; DGEMN: 1997 - consolidação estrutural, protecção da envolvente ( circulação automóvel ).

Observações

O topónimo de Paradela tem um sentido topográfico: uma subida difícil ao cimo da qual se pode descansar. *1: As informaçãos relativas ao Arco da Paradela são baseadas na tradição. Dos documentos encontrados pelos autores nenhum nos dá informação da construção do (ou dos) arco(s). A. de Almeida Fernandes refere um documento onde se lê "(...) falta o túmulo e todo o paramento cornijado que o sobrepujava (...)"; e que, segundo a tradição, existiram primitivamente 3 arcos, 2 dos quais desapareceram.

Autor e Data

João Carvalho 1997

Actualização

Lúcia Pessoa 1998
 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login