Castro do Bom Sucesso

IPA.00004797
Portugal, Viseu, Mangualde, União das freguesias de Tavares (Chãs, Várzea e Travanca)
 
Aglomerado proto-urbano. Povoado proto-histórico. Povoado fortificado / castro. Os vestígios dos sistemas defensivos de casas circulares, de sepulturas, do troço de eixo viário e o espólio cerâmico e de artefactos encontrado indicam sucessivas ocupações desde a Época do Bronze à do Ferro.
Número IPA Antigo: PT021806030016
 
Registo visualizado 111 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Conjunto urbano  Aglomerado urbano  Povoado  Povoado proto-histórico  Povoado fortificado   

Descrição

No cume do Monte do Bom Sucesso um marco geodésico de 1ª ordem rodeado por amplo terreiro circular, irregular, murado, a que se tem acesso por larga escadaria em patamares, formando ampla curva de E. para S.. O muro apresenta materiais reaproveitados da destruída ermida de São Caetano (colunas, pináculos, mísulas, baldaquinos, tímpano). A SO. e O. vestígios de estruturas defensivas angulares e arqueadas. A N. e NE. extensa área de habitações de forma circular, com muros ou alicerces visíveis, e em todas as encostas há material arqueológico. A E. um troço de estrada romana de lajes graníticas com c. 50m, flanqueado à direita por muro baixo e à esquerda por pilares com pequenos nichos e cruzes que marcam o Calvário. Na encosta NE. a Ermida da Senhora do Bom Sucesso, de planta longitudinal, rectangular, simples, com Sacristia quadrangular adossada a N.. Massa horizontalizante, com coberturas independentes: capela com telhado a 2 águas e Sacristia com telhado a 3 águas. Fachada principal voltada a E., com embasamento não proeminente, flanqueada por cunhais de cantaria; portal elevado, a que se ascende por 3 degraus, em arco rebaixado de moldura estriada, ladeado de 2 janelas molduradas em arco rebaixado encimadas por pequena concha; remate em empena angular encimada por faixa de caixa-murária, de elevação. Fachada S.: embasamento não proeminente; pequena torre campanário adossada com escada e patamar à esq., abertura sineira simples em arco pleno, rematada por cornija e 2 coruchéus piramidais; 1 porta e 1 janela de molduras rectangulares; remate em cornija. Fachada O.: sem embasamento; 1 porta rectangular entaipada; remate em empena angular. Fachada N: com embasamento não proeminente à dir. corpo da Sacristia com 1 janela rectangular; pano do corpo da capela com 1 janela rectangular: No ângulo SE. do muro do adro uma cruz de pedra sobre plinto quadrangular. Interior de nave única coberta por tecto de madeira, iluminada pelos 4 vãos das paredes E., S. e N.. A O. o altar-mor com retábulo de talha dourada polícroma com colunas pseudo-salomónicas a ladear a imagem de Nossa Senhora do Bom Sucesso. A S. uma casa rectangular (armazém) e a SE., na encosta, junto à estrada de acesso, diversas infraestruturas de apoio aos visitantes e romeiros e um cruzeiro de pedra sobre plataforma de 2 degraus quadrangulares e plinto paralelepipédico de 2 registos.

Acessos

EM Chãs de Tavares - São João da Fresta, ao km 0,100 a N. de Chãs de Tavares, cortada à dir., 1km de estrada de terra até ao Santuário de Nossa Senhora do Bom Sucesso

Protecção

Categoria: MN - Monumento Nacional, Decreto n.º 67, DR, 1.ª série-B, n.º 301 de 31 dezembro 1997

Enquadramento

Rural. Monte com 765m de altitude, em declive suave para E. e íngreme para N., S. e O. caracterizado por grandes afloramentos graníticos, alguns pinheiros e arbustos rasteiros. Ermida a NE. em destaque, isolada, circundada por adro murado

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Não aplicável

Utilização Actual

Não aplicável

Propriedade

Pública: Municipal

Afectação

Época Construção

Idade do Bronze / Idade do Ferro

Arquitecto / Construtor / Autor

Não aplicável

Cronologia

Idade do Bronze - início da ocupação do Monte do Bom Sucesso; Idade do Ferro - última fase de ocupação; 1706 - reconstrução e ampliação da Ermida da Senhora do Bom Sucesso, com transferência do portal para a fachada E.; séc. 18, fins - destruição da Ermida de S. Caetano no cume do monte; 1914 - José Coelho e Leite de Vasconcelos visitam o castro, verificando a existência de muralhas, alicerces de habitações, arruamentos e diversos artefactos *1; 1938 - Um devoto agradecido mandou erguer uma pirâmide de alvenaria no cume do monte, ocasionando a destruição de sepulturas luso-romanas, revestidas de cerâmica e cobertas com imbrices, e de vários objectos arqueológicos, mandando colocar vários azulejos votivos no interior e exterior da Ermida. José Coelho recolhe algum espólio que junta à sua colecção particular *2; 1989 - a abertura de uma estrada até ao campo de futebol destruiu parcialmente a estação arqueológica, nomeadamente estruturas habitacionais e um eixo viário romano e dispersando inúmeros objectos e artefactos *3. O estudo e classificação do material recolhido foi efectuado pelo Serviço Regional de Arqueologia da zona centro; 1994, Março - Despacho do Ministro da Cultura para classificação do imóvel como MN.

Dados Técnicos

Elementos dominantes: paredes autoportantes e estruturas autónomas.

Materiais

Materiais dominantes: muros de alvenaria granítica irregular, rebocada nas fachadas E., S. e N. da Ermida; cunhais, molduras e pináculos de cantaria de granito; cobertura interna da Ermida de madeira e externa de telha.

Bibliografia

LEAL, Augusto Pinho, Portugal Antigo e Moderno, vol. IX, Lisboa, 1880, pp. 498-499; COELHO, José, Memórias de Viseu, Arredores, vol. I, Viseu, 1941; SILVA, Valentim da, Concelho de Mangualde (Antigo Concelho de Azurara da Beira), Porto, 1945; http://www.patrimoniocultural.pt/pt/patrimonio/patrimonio-imovel/pesquisa-do-patrimonio/classificado-ou-em-vias-de-classificacao/geral/view/70437 [consultado em 28 dezembro 2016].

Documentação Gráfica

Documentação Fotográfica

Documentação Administrativa

DGEMN: DSID

Intervenção Realizada

Observações

*1 - telhas de rebordo, cerâmica pré-romana, instrumentos de pedra, ferro e bronze: machados e mós. *2 - lâmina de ferro, asa de vaso cerâmico, castrejo e disco de cerâmica pré-romana, em forma de coroa. Um particular tinha em seu poder 2 machados de bronze: um machado de alvado e outro, menor, de aselhas. *3 - vestígios de cerâmica diversa decorada e lisa da Idade do Bronze e período Romano e pesos de tear.

Autor e Data

Lina Marques 1996

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login