Castelo de Alva

IPA.00000477
Portugal, Bragança, Freixo de Espada à Cinta, Poiares
 
Arquitectura militar, medieval. Castelo implantado num cabeço pouco elevado situado na borda de plataforma rodeada por linha de água, constituído por uma pequena cerca de planta ovalada, deixando no seu perimetro exterior próximo a única igreja existente, delimitando-se junto da porta principal um largo de onde arrancam os principais eixos de saída da vila que estruturam a formação do primeiro arrabalde no exterior e depois a continuação da expansão urbana. O tipo de implantação e de organização do povoado revela um padrão semelhante aos de Freixo de Espada à Cinta (v. PT010404020002), Urros e Mós (v. PT010409130005). Relativamente aos castelos de Freixo de Espada à Cinta e Urros, com os quais possui afinidades, o de Alva, tal como o de Freixo, possui a antiga igreja Paroquial dedicada a Santa Maria no largo desenvolvido fronteiro à porta principal da cerca. Alva constituia uma das várias comunidades há muito instaladas na região que, na segunda metade do séc. 12, por via de uma nova proximidade e aliança com o rei de Portugal, expressa pela concessão do foral, se integram no pleno reordenador da Monarquia.
Número IPA Antigo: PT010404060006
 
Registo visualizado 262 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Militar  Castelo    

Descrição

Sobre a colina de implantação, são ainda observáveis as ruínas dos panos de muralha da antiga cerca da vila, de planta ovalada, com paramentos de xisto, desenvolvendo-se no seu exterior, junto à porta principal, largo de onde arrancavam os principais eixos de saída da povoação e onde existem também vestígios da antiga igreja paroquial, de planta longitudinal composta e irregular.

Acessos

Saindo de Freixo de Espada-à-Cinta pela EN 221; 2 km. depois vira-se à esquerda para a EN 325-1, percorrendo-se 5 km. e vira-se à esquerda seguindo por EM, durante mais cerca de 5 km., até ao cruzamento Curral do António, virando-se para EN até ao cruzamento para Ligares (Quinta de Santiago), chegando-se a Quinta de Alva

Protecção

Categoria: IIP - Imóvel de Interesse Público, Decreto nº 40 361, DG, 1.ª série, n.º 228 de 20 outubro 1955

Enquadramento

Rural, situado numa colina que se destaca na paisagem dominando o Douro, onde predominam campos de cultivo e olival. A própria colina é coberta por vegetação e oliveiras.

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Militar: castelo

Utilização Actual

Cultural e recreativa: marco histórico-cultural

Propriedade

Pública: estatal

Afectação

Sem afectação

Época Construção

Séc. 12

Arquitecto / Construtor / Autor

Desconhecido.

Cronologia

1212, Junho - durante a invasão leonesa, surge pela primeira vez referida juntamente com Freixo de Espada à Cinta e Urros; 1236, anterior - ocupação de Alva pelos leoneses com o acordo dos habitantes; pouco depois, D. Sancho II faz doação deste lugar ao concelho de Freixo "como sua aldeia", mandando expulsar os que aí moravam quando os leoneses se apoderaram dela; 1258 - nas Inquirições refere-se que D. Sancho tinha dado esta povoação por termo à vila de Freixo; durante o reinado de D. Dinis, o concelho de Alva pedia ao rei "para aumentar a sua povoação com 400 moradores"; 1311 - carta do rei recusando o pedido, devido à oposição que o concelho de Freixo fizera; 1527 - 1532 - a aldeia de Alva já não é referida no Numeramento, levando-nos a concluir que já não existia no séc. 16; séc. 17, anos 30 - António Coelho Gasco, juiz de fora, dos orfãos e capitão-mor na vila fe Freixo, descreve o estado de abandono em que a encontrou no "Antiquario", discurso apresentado em homenagem à visita do arcebispo de Braga D. Rodrigo da Cunha; séc. 17, final - o Pe. Carvalho da Costa refere na Corografia Portuguesa que, no limite do lugar de Poiares, termo da vila de Freixo, estava a Ermida de Nossa Senhora de Alva e, "& junto a ella hum arruínado Castello com suas muralhas, aonde antigamente esteve fundada a Villa de Alva", lembrando que D. Sancho II a privou dos privilégios de vila, "dando-a por Aldea do termo a Freixo e que depois de todo se despovoou, & arruínou, ficando sómente a barca, que ainda navega no rio com o nome de Alva, & a referida Ermida de Santa Maria, que tem annexo hum beneficio simples do Padorado Real".

Dados Técnicos

Sistema estrutural de paredes portantes.

Materiais

Estrutura de xisto.

Bibliografia

LIMA, Alexandra Cerveira Pinto S. [coord.], Terras do Côa / da Malcata ao Reboredo. Os Valores do Côa, Maia, 1998; TEIXEIRA, Manuel, Freixo de Espada-à-Cinta e os seus antigos privilégios, Brigantia, vol. VII, n.º 1 / 2, Bragança, 1987.

Documentação Gráfica

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Administrativa

Intervenção Realizada

Observações

Autor e Data

Ernesto Jana 1994 / Marisa Costa 2001

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login