Palácio Fialho / Palácio da Quinta de Santo Antóno do Alto / Colégio de Nossa Senhora do Alto

IPA.00004484
Portugal, Faro, Faro, União das freguesias de Faro (Sé e São Pedro)
 
Arquitectura residencial, do séc. 20. Palacete suburbano de características burguesas, simetria compositiva das fachadas, eixo da fachada principal saliente e com tratamento mais distinto. Jardins à francesa e à inglesa, com escultura decoratiba, amplos terraços de balaustrada e varandim, horta e pomar. O tratamento mais grandioso do átrio e da escadaria de acesso ao andar nobre. Pinturas murais de temática alegórica e mitológica no interior.
Número IPA Antigo: PT050805050116
 
Registo visualizado 344 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Residencial unifamiliar  Casa  Palacete  

Descrição

Planta rectangular simples, massa disposta na horizontal com cobertura diferenciada em telhados de 4 águas duplas de tipo mardeliano. O edifício dispõe-se em quatro pisos correspondentes a cave, piso térreo, andar nobre e mansarda. Fachadas delimitadas por socos, frisos divisórios dos pisos, cimalhas, cunhais e pilastras. Fachada principal voltada a E., com três panos: o central antecedido por patamar com escadaria, com três vãos por piso, no térreo duas janelas e uma porta com arcos de volta perfeita, esta última ladeada por dois pares de colunas jónicas, no andar nobre duas janelas de verga curva com o parapeito gradeado e ao centro uma porta-janela com arco de volta perfeita, balcão gradeado, ladeado por dois pares de colunas coríntias rematadas por entablamento com frontão triangular e acrotérios no eixo das colunas, remate em balaustrada com acrotérios nos limites do corpo central; corpos laterais idênticos com três vãos por piso, janelas de verga curva com parapeito gradeado no piso térreo e no andar nobre, com arco de volta perfeita nas mansardas. Fachadas laterais idênticas, ladeadas por muro de cantaria com balaustrada, com cinco corpos, repetindo-se o mesmo desenho de molduras dos vãos no piso térreo e no andar nobre, isto é, com verga curva e parapeito gradeado e nas mansardas arcos de volta perfeita; o corpo central com três vãos por piso, portas no piso térreo, portas-janelas com balcão comum suportado por modilhões no andar nobre e janelas de peito nas mansardas; os corpos intermédios com um vão por piso e os corpos extremos com dois vãos por piso. Fachada posterior também ladeada por muro, o desenho das molduras dos vãos é idêntico ao das fachadas laterais, com três corpos, o central recuado, com três vãos no 1º e 2º pisos, na mansarda dois óculos elípticos, nos corpos laterais dois vãos por piso, registando-se no 2º piso mais uma fresta vertical entre as janelas, nas mansardas janelas de peito com arcos de volta perfeita. INTERIOR: o portal principal dá acesso a imponente átrio revestido de mármore com duas colunas clássicas com capitéis compósitos que antecedem a escadaria com três lances, sendo o 3º suportado ao nível do piso térreo por uma pilastra de cada lado, com embasamento e remate duplo em arco de volta perfeita e abatido; cobertura da escadaria da cúpula com trabalhos de estuque e pinturas murais a têmpera de temática alegórica; diversas salas com pinturas murais a têmpera nas coberturas de temática mitológica; numa das salas, pintura a têmpera no remate do frontão sobre a porta têmpera.

Acessos

Rua de Berlim

Protecção

Categoria: MIP - Monumento de Interesse Público / ZEP, Portaria, n.º 740-EF/2012, DR, 2.ª série, n.º 252, de 31 dezembro 2012

Enquadramento

Rural, isolado. Ergue-se nas traseiras da Ermida de Santo António do Alto (v. PT050805050068), no meio de uma quinta murada, rodeada por vastos jardins e zonas agrícolas com acesso por ampla escadaria abalaustrada.

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Residencial: casa

Utilização Actual

Educativa: colégio

Propriedade

Privada: Igreja Católica

Afectação

Sem afectação

Época Construção

Séc. 20

Arquitecto / Construtor / Autor

ARQUITECTO: Joaquim Manuel Norte Júnior

Cronologia

1913 - projeto de construção; 1915 - início da construção sob encomenda de um dos maiores industriais algarvios, João António Júdice Fialho; 1925 - conclusão do edifício; desta época são as pinturas murais a têmpera do interior; 1960, c. de - adquirido pela Diocese do Algarve; 1999, 09 novembro - Proposta de classificação pela CM de Faro; 2004, 21 julho - Proposta de abertura do processo de classificação pelo IPPAR/DRFaro; 2004, 07 setembro - Despacho de abertura do processo de classificação do Presidente do IPPAR; 2007, 23 novembro - Proposta da DRCAlgarve para a classificação como IIP - Imóvel de Interesse Público e de ZEP; 2008, 11 junho - Parecer favorável à classificação e à ZEP pelo Conselho Consultivo do IGESPAR; 2012, 13 de fevereiro - publicado no DR, nº 31, 2ª série, o Anúncio n.º 3034/2012 de Projeto de decisão relativo à fixação da ZEP.

Dados Técnicos

Paredes autoportantes

Materiais

Alvenaria rebocada, cantaria calcária, mármores, estuques, madeiras, ferro; cobertura provávelmente em ardósia

Bibliografia

LAMEIRA, Francisco Ildefonso C., Faro - Edificações Notáveis, Faro, 1995; MELLO, Magno Moraes, Pintura do Concelho de Faro: Inventário, CMF, GGRP, Faro, 2000; ROSA, J. A. Pinheiro e, Monumentos e Edifícios Notáveis do Concelho de Faro, Faro, 1984.

Documentação Gráfica

CMF

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Administrativa

Intervenção Realizada

Observações

Autor e Data

Francisco Lameira 1996

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login