Igreja Paroquial de Nossa Senhora de Guadalupe / Igreja de Nossa Senhora de Guadalupe

IPA.00004361
Portugal, Évora, Évora, União das freguesias de Nossa Senhora da Tourega e Nossa Senhora de Guadalupe
 
Arquitectura religiosa, maneirista. Igreja paroquial de características marcadamente rurais: nave única, nártex (desaparecido) e sacristia.
Número IPA Antigo: PT040705160100
 
Registo visualizado 198 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Religioso  Templo  Igreja paroquial  

Descrição

Planta longitudinal, composta, com nave única e sacristia; volumes articulados verticalmente, com alguma alternância conferida pelo campanário e pelas construções anexas. Cobertura em telhado de duas águas. Fachada principal orientada a S. Fachadas laterais suportadas por contrafortes, fenestração regular, conferida por janelas de alisares direitos. INTERIOR: espaço dividido em três tramos, com capela-mor, de pé direito bastante elevado; a cobertura da nave, em abóbada de berço, encontra-se revestida de pinturas murais, representando figuras de santos, avulsas, dispostas em painéis redondos e quadrangulares. A capela-mor, de planta quadrangular, apresenta como principal motivo de interesse o "retábulo fingido" do altar, representando cenas da vida da Virgem de Guadalupe; a cobertura, em abóbada de berço, é também coberta pinturas murais. A sacristia, de planta rectangular com cobertura em abóbada de meio-canhão é totalmente revestida de pinturas murais ( tecto e alçados ).

Acessos

EN 114 Évora - São Matias, a c. de 12 Km da cidade de Évora

Protecção

Inexistente

Enquadramento

Rural, flanqueada por algumas habitações populares - eventualmente, antigas casas de romeiros - mas de frontaria desadornada e em destaque.

Descrição Complementar

PINTURAS MURAIS: no retábulo fingido do altar-mor, trompe l'oeil a imitar um retábulo em madeira pintada; cobertura do altar-mor, em meia-laranja, inteiramente revestida de pinturas, divididas em painéis quadrangulares por ingénuas molduras de brutesco, tendo como tema central a Virgem de Guadalupe e representando cenas do Antigo Testamento. Sacristia igualmente adornada de pinturas a fresco, representando santos em cartelas ovais emolduradas de flores e grinaldas, com destaque para duas sereias que ladeiam a janela - também ela decorada com os mesmos elementos florais - e que mais não são do que a ampliação dos elementos de grotesco tradicionais; os pormenores arquitectónicos ( juntas da abóbada, enxalsos da janela, molduras ) são igualmente decorados a fresco. Tecto da nave preenchido pela figuração dos doze apóstolos, em caixotões que alternam o formato cilíndrico e quadrangular, dispostos de forma hierática ( fundos neutros, vagamente paisagísticos, atitudes convencionais ). As pinturas são maioritariamente executadas a fresco, embora com retoques a seco e repintes posteriores.

Utilização Inicial

Religiosa: igreja paroquial

Utilização Actual

Religiosa: igreja paroquial

Propriedade

Privada: Igreja Católica (Diocese de Évora)

Afectação

Sem afectação

Época Construção

Séc. 17

Arquitecto / Construtor / Autor

PINTOR: José de Escobar

Cronologia

1608 - fundação; transferência da imagem da padroeira para a capela-mor; 1612, 30 de Agosto - visitação por parte do arcebispo D.João de Melo; 1612, 8 de Setembro - celebração da primeira missa; 1639 - execução das pinturas da sacristia; séc. 17 - execução de todo o programa iconográfico; 1941, 15 de Fevereiro - na sequência dos prejuízos causados por um ciclone, a imaginária e alfaias religiosas foram retiradas do edifício e guardadas em depósitos da Câmara; a igreja é desafecta ao culto; década de sessenta: obras de recuperação por parte da Câmara de Évora; 1964 - reabertura ao culto.

Dados Técnicos

Paredes portantes reforçadas por contrafortes em silharia, travada por tectos em abóbadas

Materiais

Alvenaria mista de pedra e tijolo rebocada e caiada; silharia de granito nos contrafortes; alisares de vãos em cantaria; pintura mural nos alçados e coberturas; tijoleira no piso.

Bibliografia

ESPANCA, Túlio, Inventário Artístico de Portugal - Distrito de Évora, vol.8, Lisboa, 1966; ESPANCA, Património Artístico do Concelho de Évora, Évora, 1957; SERRÃO, Vitor, A Pintura Proto-Barroca em Portugal ( texto policopiado - dissertação de Doutoramento em História da Arte, Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra ), Coimbra, 1992.

Documentação Gráfica

CME

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Administrativa

CME

Intervenção Realizada

CME: década de sessenta - obras de consolidação estrutural e remoção de algumas casas adossadas; CME: 1997-1998 - obras de saneamento e instalação de casas de banho.

Observações

EM ESTUDO

Autor e Data

Paula Amendoeira 1998

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login