Solar dos Condes de Prime / Casa do Cimo da Vila / Casa dos Ernestos / Conservatório Regional de Música

IPA.00004299
Portugal, Viseu, Viseu, União das freguesias de Viseu
 
Arquitectura residencial, barroca. Solar de planta rectangular, de disposição horizontal, com sentido frontal da composição, tendo 2 andares, sendo as fachadas articuladas por pilastras lisas. Andar nobre superior avaliado pela concepção das janelas. Escadaria interior. Azulejaria barroca e rococó decora a zona palaciana. Capela-mor com azulejo e talha joaninos.
Número IPA Antigo: PT021823240013
 
Registo visualizado 770 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Residencial senhorial  Casa nobre  Casa nobre  Tipo planta retangular

Descrição

Planta longitudinal composta de volumes articulados com acentuada disposição horizontalista das massas e sentido frontal da composição. Edifício formado por dois corpos laterais ligados por pilastras lisas, a que se lhe junta, a S. corpo, de capela privativa, com cobertura a 2 águas. Fachada principal orientada a O., de 2 pisos e 2 corpos ligados entre si por pilastras graníticas, cada um com sua entrada emoldurada, igualmente em granito, encimadas com brasões de armas dos Teixeiras de Carvalho, e frontões interrompidos. Coroando a heráldica, surgem frontões triangulares. No 1º e 2º pisos, dispõem-se 8 janelas de guilhotina rectangulares de moldura granítica e avental, sendo de maiores dimensões as do 2º piso. A capela apresenta portal de moldura granítica e frontão triangular, com beiral saliente e janela de moldura granítica, de decoração mais elaborada, que se liga ao frontão do pórtico. Sobre a cornija, corpo triangular, ladeado por dois fogaréus e encimado por cruz. Alçado N. é cego e o S. incaracterístico. Interior com átrio de entrada a que se lhe segue escadaria revestida a azulejo. À esquerda deste, divisões comunicantes entre si, uma delas com tecto de madeira pintado. À direita, acesso à capela. A escadaria forma patamar subdividindo-se em duas laterais de acesso ao 2º piso, igualmente revestidas a azulejos. Este possui três divisões, uma delas azulejada e um salão central sobre o átrio de tectos estucados. Salão de Baile revestido a damasco amarelo. Divisões incaracterísticas para as traseiras. Capela com falsa abóbada a pleno centro, decorada com trompe l'oeil, povoadas de figuras angélicas e das 3 Virtudes Tealogais, enquadrando a representação da Apoteose de Santo António, e altar-mor de talha dourada, com muros laterais e de entrada revestidos a azulejo. Coro-alto e dois balcões laterais.

Acessos

Rua dos Andrades, n.º 23 a 31. WGS84 (graus decimais) lat.: 40,656973, long.: -7,911884

Protecção

Categoria: IIP - Imóvel de Interesse Público, Decreto n.º 95/78, DR, 1.ª série, n.º 210 de 12 setembro 1978

Enquadramento

Urbano em terreno plano, destacado, localiza-se em via de circulação pedestre, tendo adossado a S. edifício e fazendo gaveto a N., com pequena rua.

Descrição Complementar

Retábulo da capela tem, nos flancos, pares de colunas salomónicas, com coroas de flores, que servem para enquadrar peanhas, a central protegida por sanefa de cortinas. Sobre a arquitrave, surgem 2 serafins, que erguem o olhar para uma glória solar, sobrepujada por sanefa. Azulejos azul e branco revestem a totalidade das superfícies parietais, interrompidas pelas tribunas.

Utilização Inicial

Residencial: casa nobre

Utilização Actual

Educativa: conservatório

Propriedade

Pública: municipal

Afectação

Sem afectação

Época Construção

Séc. 18

Arquitecto / Construtor / Autor

ENTALHADORES: João Correia da Silva e Manuel Madeira de Santa Comba Dão (1754).

Cronologia

Séc. 18, 1ª metade - mandada construir por José Teixeira de Carvalho, fidalgo da Casa Real e cavaleiro professo da Ordem de Cristo; seu neto Ernesto Teixeira de Carvalho, casou com Maria Tomásia da Rocha Velho, tendo, como neta, Maria da Glória Teixeira de Carvalho Sampaio da Rocha Velho, casada com o Barão de Prime; 1748 - construção da capela; 1750 - feitura dos azulejos numa oficina de Lisboa; 1754 - feitura do retábulo; 1895 / 1896 / 1898 - foi nesta casa recebida a Rainha D. Amélia.

Dados Técnicos

Paredes autoportantes (casa) e estrutura mista (capela).

Materiais

Granito, alvenaria e cantaria, revestimento de reboco; madeira, azulejos.

Bibliografia

MOREIRA, F. de Almeida, Imagens de Viseu, Porto, 1938; Guia de Portugal, Dir. Raul Proença, 2ª. ed., vol. III Beira - II - Beira Baixa e Beira Alta, Lisboa; AZEVEDO, Correia de, Arte Monumental Portuguesa, vol. IV, Porto, 1975; Tesouros Artísticos de Portugal, Dir. José António Ferreira de Almeida, Lisboa, 1980; LEAL, Augusto Soares d'Azevedo Barbosa de Pinho, Portugal Antigo e Moderno Dicionário, vol. XII, Lisboa, 1980; AZEVEDO, Carlos de, Solares Portugueses, Lisboa, 1988; http://www.patrimoniocultural.pt/pt/patrimonio/patrimonio-imovel/pesquisa-do-patrimonio/classificado-ou-em-vias-de-classificacao/geral/view/73767 [consultado em 2 janeiro 2017].

Documentação Gráfica

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Administrativa

IHRU: DGEMN/DSID

Intervenção Realizada

CMV (com o apoio do IPPAR): 2000 - recuperação dos azulejos da capela e sacristia.

Observações

*1 - capela dedicada a Santo António.

Autor e Data

João Carvalho 1996

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login