Pelourinho de Rossão

IPA.00004285
Portugal, Viseu, Castro Daire, Gosende
 
Pelourinho quatrocentista sem remate, pelo que não pode ser alvo de classificação tipológica, com fuste quadrangular de arestas chanfradas, de pequenas dimensões, encimado por capitel cúbico.
Número IPA Antigo: PT021803090006
 
Registo visualizado 96 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Estrutura  Judicial  Pelourinho  Jurisdição monástica  Sem remate

Descrição

Estrutura em cantaria de granito, composta por soco circular de bordos boleados, com cerca de 1m de diâmetro, assente sobre afloramento granítico e de onde despponta a coluna de secção quadrangular, de arestas chanfradas. O desfazer dos chanfros na parte inferior forma a base com quatro faces. Superiormente e de idêntico afeiçoamento destaca-se o remate, formado pela parte terminal do fuste, concordante com a base, mas de maior altura, de secção quadrada. Ao cimo do referido remate cavidade semiesférica, aberta no centro da pedra.

Acessos

EN 2, ao Km 131,2 para EN 321; ao Km 53,1 para Rossão, por EM 1126, a 3,8 Km; a 350 m na aldeia no seguimento da Rua da Carreira. WGS84 (graus decimais) lat.: 40.986077; long.: -7.935364 (à freguesia)

Protecção

Categoria: IIP - Imóvel de Interesse Público, Decreto n.º 23 122, DG, 1.ª série, n.º 231 de 11 outubro 1933

Enquadramento

Urbano, em superfície plana, isolado, destacado. Encontra-se num jardim de casa particular, cercado por muro que o separa da via pública. O pelourinho encontra-se em zona urbana de características tradicionais, com casas típicas da região, algumas cobertas de colmo, em arruamentos primitivos. A plataforma circular poderá ter sido uma mó de moinho.

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Judicial: pelourinho

Utilização Actual

Cultural e recreativa: marco histórico-cultural

Propriedade

Pública: estatal

Afectação

Autarquia local, Artº 3º, Dec. nº 23 122, 11 Outubro 1933

Época Construção

Séc. 15 (conjectural)

Arquitecto / Construtor / Autor

Desconhecido.

Cronologia

Séc. 12 - era honra de Egas Moniz, tendo sido doada ao Mosteiro de Salzedas; séc. 15 - criação do concelho e provável construção do pelourinho.

Dados Técnicos

Sistema estrutural autónomo.

Materiais

Estrutura em cantaria de granito.

Bibliografia

CHAVES, Luis, Os Pelourinhos - Elementos para o seu Catálogo Geral, Lisboa, 1939; CORREIA, Alberto, ALVES, Alexandre, VAZ, João Inês, Castro Daire, Castro Daire, 1995; MALAFAIA, E.B. de Ataíde, Pelourinhos Portugueses - tentâmen de inventário geral, Lisboa, Imprensa Nacional - Casa da Moeda, 1997; REAL, Mário Guedes, Revista Beira Alta, Vol XXIV, nº. 3, 1965; SOUSA, Júlio Rocha e, Pelourinhos do Distrito de Viseu, Viseu, 1998.

Documentação Gráfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Administrativa

Intervenção Realizada

Nada a assinalar.

Observações

Autor e Data

João Carvalho 1997

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login