Igreja Paroquial de Cantanhede / Igreja de São Pedro

IPA.00004269
Portugal, Coimbra, Cantanhede, União das freguesias de Cantanhede e Pocariça
 
Igreja paroquial da segunda metade de quinhentos embora tenha perdido características com as reformas dos séc. 17, 18 e 19, aproxima-se dos esquemas nacionais de planta longitudinal do tempo, próximos do Maneirismo. O interior apresenta tipologia semelhante à da Igreja paroquial de Ançã. Imagem gótica de São Pedro; imagem da Senhora da Rosa da escola coimbrã. O portal é de um barroco sóbrio. A estrutura arquitectónica interior de meados do séc. 16, não desvirtuada pelas reformas posteriores, o retábulo da capela do Sacramento, obra de João de Ruão, e o da Misericórdia, que se lhe pode atribuir, o vasto espólio de escultura renascentista coimbrã que abriga, conferem-lhe especial valor patrimonial. O retábulo da Misericórdia é semelhante ao da capela da Varziela (060204001). A torre é de concepção semelhante à de Santa Cruz de Coimbra (demolida).
Número IPA Antigo: PT020602040004
 
Registo visualizado 725 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Edifício  Religioso  Templo  Igreja paroquial  

Descrição

Planta longitudinal composta por 3 naves com capelas laterais e cabeceira, capela-mor rectangular, capelas colaterais e coro. Interior/exterior não coincidentes, volumes articulados, horizontalidade na disposição das massas. Cobertura exterior diferenciada em telhado de 1, 2 e 3 águas. Fachada principal simples orientada a O., com portal *2 de vão rectangular ladeado por 2 colunas dóricas sobre pedestal, entablamento com friso ornamentado por rosetas e frontão ondulado interrompido, no meio do qual se abre alta janela central *3; lateralmente abrem-se 2 janelas e acima roseta quadrilobada. A torre encostada a N. da igreja na frontaria, de planta quadrada tem 3 registos e remate em cúpula de pedra rebocada com óculos ovais: registo inferior em alvenaria rebocada, está à altura das empenas da igreja, os restantes em cantaria aparelhada, possuindo o 2º 2 sineiras na face da frente e o 3º, 1 em cada parede. Interior de 3 naves separadas por arcadas dóricas de 5 arcos cada, com o coro de madeira ocupando o primeiro tramo. Os tectos das naves e capela-mor, são de madeira. Iluminam a igreja 3 janelas rectangulares com vidros coloridos na parede S., outras 3 na parede N. e 3 grandes janelas e óculo quadrilobado na frontaria; outras 2 janelas iluminam a capela-mor de planta rectangular com retábulo de madeira entalhada policromada com tela do Quo-Vadis na cobertura da boca do camarim *4. As colaterais são do mesmo tipo: têm arco redondo e abóbada de quartelas. No corpo da igreja 4 capelas, 2 de cada lado separadas pelas portas travessas. O frontal do altar é revestido a azulejos sevilhanos.

Acessos

Praça Marquês de Marialva

Protecção

Categoria: IIP - Imóvel de Interesse Público, Decreto nº 41 191, DG, 1ª série, n.º 162, de 18 julho 1957

Enquadramento

Urbano, adossado a E. a construções à altura do corpo da igreja. Situa-se num amplo largo de empedrado recente no centro da vila, a pouca distância dos Paços do Concelho, rodeado por edifícios de cerca de dois pisos, alguns dissonantes e área ajardinada.

Descrição Complementar

Nas capelas colaterais a da esquerda tem retábulo pétreo encostado à parede *5. A da direita tem retábulo de pedra policromada, repartido em 3 secções verticais com sacrário central e relevos laterais, perfeitamente integrado na composição arquitectónica, e arcos tumulares laterais com sacórfagos dos Meneses e estátuas de profetas, tendo no fecho do arco da entrada o brasão esquartelado da família *6. Nas capelas do corpo da igreja a da esquerda, da Senhora da Piedade e do Sagrado Coração de Jesus são do mesmo tipo; têm arco de entrada de volta perfeita sobre 2 colunas e abóbada de caixotões de cantaria e abrigam retábulos de talha; as da direita, são mais variadas. A 1.ª , dedicada a Santa Rita, tem entrada de arco redondo decorado e com brasão no fecho, abóbada pintada a fresco com grande círculo e palma ao centro, lápide comemorativa da fundação *7 na parede O. e retábulo de talha dourada ao fundo; é vedada por grade de ferro *8. Segue-se-lhe a capela da Misericórdia *9, com abóbada de arcos cruzados e retábulo pétreo com baixo-relevo central da Senhora da Misericórdia entre 4 colunas coríntias, 2 a cada lado;

Utilização Inicial

Religiosa: igreja paroquial

Utilização Actual

Religiosa: igreja paroquial

Propriedade

Privada: Igreja Católica (Diocese de Coimbra)

Afectação

Sem afectação

Época Construção

Séc. 16 / 17 / 18 / 19

Arquitecto / Construtor / Autor

ARQUITECTOS / ESCULTORES: João de Ruão (capela do Sacramento ou dos Meneses ,1547 e retábulo da Misericórdia atr.); Mestre Tomé Velho (retábulo da igreja); Mestres José Carvalho (obra de remodelação da capela-mor no séc. 18); José da Cruz: grade de ferro; ARQUITECTO: António José Ferreira Jr.(plantas e apontamentos de restauro geral e melhoramento do séc. 19); António Gil Neto (obras de restauro do séc.19).

Cronologia

Séc. 11, 2.ª metade - data provável da construção da 1.ª igreja de Cantanhede no lugar da actual, depois de 1064, ao tempo do repovoamento do vale do Mondego por D. Sesnando (DIAS, 1983); séc. 16, meados - grande remodelação da igreja, aproximadamente da forma e tamanho actuais (DIAS, 1983); 1590 - pagamentos ao Mestre Tomé Velho pelo trabalho no retábulo da igreja, no valor de 36 000 reais (hoje desaparecido, imagens talves dispersas por altares secundários ou outras igrejas; 1693 - data do portal e provavelmente dos 2 primeiros registos da torre; 1719 - fundação da capela de Santa Rita por Matias Coutinho e sua mulher, D. Rosa de Santa Maria e D. Jerónima Ribeiro, tia daquele; na sua construção rasgou-se a parede da igreja, encontrando-se um túmulo de pedra entre 2 pedras com inscrições góticas (FRAGOSO, 1960); 1721 - data da fundação da capela da Senhora da Rosa, por Pedro Viegas de Tentúgal, retirada do culto aquando da grande reforma do séc.19, convertendo-se em casa de arrumos (FRAGOSO, 1960); 1722 - data da grade de ferro da Capela de Matias Coutinho; 1796 - remodelação da capela-mor (DIAS, 1983); 1890 / 95 - grandes obras de reparação por iniciativa da junta de paróquia; 1898 - levantada a última parte da torre (FRAGOSO, 1960).

Dados Técnicos

Estrutura mista

Materiais

Alvenaria de pedra (paredes); granito (colunas da nave); cantaria aparelhada (registos superiores da torre e cunhais, molduras dos vãos); pedra de Ançã (retábulos das capelas colaterais e da Misericórdia); tijoleira e pedra (pavimento); madeira (estrutura da cobertura e tectos da nave e coro).

Bibliografia

BORGES, Nelson Correia, Coimbra e Região, Lisboa, 1987; CORREIA, Vergílio e GONÇALVES, A. Nogueira, Inventário Artístico de Portugal. Distrito de Coimbra, Lisboa, 1952; DIAS, Pedro, " A empreitada do retábulo-mor da Igreja Matriz de Cantanhede", in Actas do VI Simpósio Luso-Espanhol da História da Arte, Viseu, 1991, pp.35-37; DIAS, Pedro e PEREIRA, João Victor G. da Silva, Cantanhede. A Terra e as Suas Gentes, Cantanhede, 1983; FRAGOSO, Viriato de Sá, Cantanhede. Subsídios Para a Sua História, Coimbra, 1960; http://www.patrimoniocultural.pt/pt/patrimonio/patrimonio-imovel/pesquisa-do-patrimonio/classificado-ou-em-vias-de-classificacao/geral/view/74426 [consultado em 11 agosto 2016].

Documentação Gráfica

IHRU: DGEMN/DSID, DGEMN/DREMC

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID, DGEMN/DREMC

Documentação Administrativa

IHRU: DGEMN/DREMC

Intervenção Realizada

1960 - Reparação capela da Misericórdia; caixilhos e vitrais; rebocos exteriores. 1961 - Pavimentação; consolidação paredes da nave; instalação eléctrica. 1962 - Reparação rebocos interiores. 1974 - Vedação do átrio lateral; instalação eléctrica. 1981 - Reparação rebocos, telhados e pinturas. 1982 - apeamento e reconstrução do tecto; escovagem e pintura final das paredes; pintura de janelas e portas; revisão telhados. 1991 - reparação rebocos e telhados; caiação das paredes interiores da igreja; DGEMN: 2001 - obras de beneficiação de toda a cobertura, reparação das fachadas com pinturas gerais de paredes, portas e caixilharias exteriores, limpeza e tratamento de cantarias; 2002 - obras no interior, de conservação e reparação do tecto de madeira da nave, da estrutura e soalho de madeira do coro, de reboco e pintura, levantamento de alcatifas, da capela-mor e laterais, reparação do pavimento lajeado e ampliação da base do altar, beneficiação de 3 arrumos laterais; instalação elevtrica e nova iluminação; 2003 - eliminação do canteiro sobrelevado junto à fachada S.

Observações

*2 - Portal datado de 1693 no friso. *3 - No pedimento da janela existe pedra com a inscrição: JUNTAS DE 1890 A 95. *4 - O retábulo é setecentista, mas a tela está assinada e datada por Saúl de Almeida, Coimbra, 1932. *5 - Retábulo de revivalismo neo-renascença feito em 1945 pelo escultor conimbricense João Machado Jr. *6 - Capela executada por João de Ruão para albergar os restos mortais dos Meneses e datada de 1547 nas pilastras dos arcos tumulares. Aparece dedicada ao Santíssimo Sacramento. O túmulo de D. João de Meneses tem a seguinte inscrição: ESTA SEPVLTVRA HE DE DOM IOAM DE MENESES / SOTO MAIOR E DE DONA MARGARIDA DA SILVA / SVA MOLHER A QVAL FALECEO A 27 DIAS DE NO/VEMBRO DE 1546 (leitura de CORREIA e GONÇALVES, 1952). Os Meneses foram donatários da vila de Cantanhede, tendo sido feito 1º conde de Cantanhede, D. Pedro de Meneses, por carta de D. Afonso V de 1479; o 3.º conde , D. António Luís de Meneses, teve o título de 1.º marquês de Marialva. *7 - Capela fundada em 1719 (FRAGOSO, 1960). *8 - A grade está assinada e datada na tarja superior, onde se pode ler: AVRO 1722.PELAS ALMAS PATER.N.A.M. SANTA RITA ORA PRO NOBIS.SANTE DAI GENETRIS.ORA.PRO NOBIS JOSEPH. DA CRVS FES (leitura de CORREIA e GONÇALVES, 1952). *9 - Foi instituída por D. Tomás Ribeiro, cónego da Sé de Goa, em 1554, como se pode ler nas duas lápides ali existentes, no altar e na parede. Altar: DEBAIXO.DESTE.ALTAR.E ESCABELO. IAZ / TOMAS.RIBEIRO.CONEGO. DA.SEE.DE / GOA.O.Q(VA)L.FALECEO.AOS. 16.DIAS.DO.MES. / DE.IUNHO.DO.ANO.DE.1554.AS / .I.0.HORAS.DA.NOITE (leitura de CORREIA e GONÇALVES, 1952). Parede: ESTA CAPELA DA MI(SERICORDI)A MANDOV FA / ZER TOMAS RIBEIRO CONEGO NA SEE / DE GVOA PARA SEPVLTAR SEV CORPO / EM A QVAL CAPELA SE AM DE DIZER POR / SVA ALMA PARA SEMPRE E DOS SEVS QVE ELLE / HE OBRIGADO 4 MISSAS CADA SOMANA S / SEGVNDA E QVINTA E SESTA E SABBADO PLLOS / RENDIMENTOS DE SVA FAZENDA QVE PARA ISSO DEIXOV COMO SE VERA POR O SEV / TESTAMENTO QVE ESTA NO CARTORIO DA SEE DE COIMBRA. CVIA ALMA / REQVIESCAT IN / PACE 1554 (leitura de CORREIA e GONÇALVES, 1952). Do recheio destaca-se: imagem de São Pedro, do orago, em calcário policromado, gótica, Santo António, São Sebastião, Santa Luzia, Calvário, tudo do séc. 15; Senhora da Rosa, dos lapidários renascentistas de Coimbra, de tamanho natural, meados séc. 16; grade de ferro da capela de Matias Coutinho, de José Cruz, 1722.

Autor e Data

Margarida Alçada 1984 / João Cravo 1993 / Francisco Jesus 1998

Actualização

Lúcia Pessoa 2005
 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login