Pelourinho de Fráguas

IPA.00004215
Portugal, Viseu, Vila Nova de Paiva, União das freguesias de Vila Nova de Paiva, Alhais e Fráguas
 
Pelourinho quinhentista, de bloco prismático, com soco quadrangular de três degraus, onde assenta fuste quadrangular de arestas chanfradas, formando octógono, rematado por cubo e pequenos remates angulares e bola central. Cada um dos cantos do remate corresponde a um dos pontos cardeais, apresentando decoração antropomórfica semelhante aos pelourinhos de Zêzere, de Ferreira de Aves (v. PT021817040003) e de Vila Cova à Coelheira (v. PT021822060005).
Número IPA Antigo: PT021822020003
 
Registo visualizado 80 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Estrutura  Judicial  Pelourinho  Jurisdição régia  Tipo bloco

Descrição

Estrutura em cantaria de granito de grão grosso, composta por soco quadrangular de três degraus sem arestas e sem rebordo. Coluna monolítica de base quadrada e fuste octogonal, correspondendo cada uma das faces a um dos ângulos desta que se esbatem em chanfro dando origem às outras quatro faces alternadas da vara poliédrica. Remate de secção quadrada, estreitando inferiormente em tronco de pirâmide pela chanfradura. Na cava quadrangular esculturas de oito rostos humanos *1, um em cada linha medial e um em cada ângulo. Sobre cada esquina, um cubo ou merlão rectilíneo. Ao centro, como coroamento, uma esfera achatada apoiada em bloco cilíndrico eleva-se acima do nível dos cubos cantonais.

Acessos

EN 323, ao Km 95,7, para a povoação de Fráguas, no Largo do Pelourinho e Rua do Cabo. WGS84 (graus decimais) lat.: 40,837913; long.: -7,770598

Protecção

Categoria: IIP - Imóvel de Interesse Público, Decreto n.º 23 122, DG, 1.ª série, n.º 231 de 11 outubro 1933

Enquadramento

Urbano, a meia encosta, implantando-se isolado, em superfície plana, em largo, junto ao lado exterior do adro da Igreja destacado.

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Judicial: pelourinho

Utilização Actual

Cultural e recreativa: marco histórico-cultural

Propriedade

Pública: estatal

Afectação

Autarquia local, Artº 3º, Dec. nº 23 122, 11 Outubro 1933

Época Construção

Séc. 16

Arquitecto / Construtor / Autor

Desconhecido.

Cronologia

1128 - local conhecido por Frávegas ou "Couto" de Fávreguas na concessão de couto, por D. Teresa; 1514, 16 Julho - foi-lhe concedido foral novo por D. Manuel, onde a povoação é denominada Fráguas; construção do pelourinho; 1758, 12 Maio - nas Memórias Paroquiais, assinadas pelo pároco Manuel de Almeida Barreto, é referido que a povoação, com 82 fogos, é dam Coroa, tendo juiz ordinário e Câmara, sujeiros à Comarca de Lamego; 1895 - extinção do concelho; 1898 - restaurado concelho com o nome de Vila Nova de Paiva.

Dados Técnicos

Sistema estrutural autónomo.

Materiais

Estrutura em cantaria de granito.

Bibliografia

AZEVEDO, Correia de, Terras com Foral ou Pelourinho das Províncias do Minho, Trás-os-Montes e Alto Douro e Beiras, Porto, 1967; CD Portugal Século XXI - Distrito de Viseu, CD II, 2001; GAMA, C. Manuel Fonseca da, Terras do Alto Paiva, Memória histórico-geográfica e etnográfica do Concelho de Vila Nova de Paiva, Lamego, 1940; MALAFAIA. E.B. de Ataíde, Pelourinos de Portugal - tentâmen de inventário geral, Lisboa, Imprensa Nacional - Casa da Moeda, 1997; REAL, M. Guedes, Revista da Beira Alta, vol XVI, nº.s I e II, 1957; SOUSA, Júlio Rocha e, Pelourinhos do Distrito de Viseu, Viseu, 1998.

Documentação Gráfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Administrativa

IHRU: DGEMN/DSID; DGARQ/TT: Memórias Paroquiais (vol. 16, n.º 146, fl. 925-932)

Intervenção Realizada

Nada a assinalar.

Observações

*1 - segundo a tradição, as oito cabeças representam os elementos da família do conde Aleixo Guerra (ou Figueiredo), queimados por dar guarida a D. António, prior do Crato.

Autor e Data

João Carvalho 1997

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login