Pelourinho de Tabuaço

IPA.00004214
Portugal, Viseu, Tabuaço, Tabuaço
 
Memória de pelourinho novecentista, sem remate e com soco quadrangular de três degraus e fuste octogonal com capitel possuindo a mesma secção. Segue uma estrutura diversa da seguida nos que se encontravam na área do concelho, uma vez que os seus fustes e capitel apresentam superfícies planas prismáticas octogonais, ao contrário dos restantes, cujos fustes, sendo de superfície plana, se chanfram pouco depois da base para voltarem à forma anterior no topo, junto ao capitel. A maioria dos capitéis dos pelourinhos da área territorial de Tabuaço apresenta a forma bulbosa ou em tabuleiro, o que não sucedia com este, em forma de roca delimitada por molduras curvas e boleadas.
Número IPA Antigo: PT011819140006
 
Registo visualizado 320 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Estrutura  Comemorativo  Memória de pelourinho    

Descrição

Estrutura em cantaria de granito, composta por soco quadrangular de três degraus, onde repousa plinto quadrado, com molduras côncavas na base e bordo superior boleado, partindo desde o fuste prismático, octogonal, liso, rematado com pequeno anel oitavado, sucedendo-lhe o capitel, repetindo um prisma, octogonal, delimitado por molduras côncavas na base e no topo, e coroado por pirâmide muito pouco pronunciada. Uma das faces do capitel apresenta pequena cartela, pontuada por pequenos furos postos em cruz, e quatro acantonados.

Acessos

Em Tabuaço, na Praceta dos Pelourinhos, no Jardim Conde Ferreira. WGS84 (graus decimais) lat.: 41.116452; long.: -7.567681

Protecção

Categoria: IIP - Imóvel de Interesse Público, Decreto n.º 23 122, DG, 1.ª série, n.º 231 de 11 outubro 1933

Enquadramento

Urbano, a meia encosta, isolado, separado por via pública em todos os alçados, implantado em jardim público, com a Antiga Escola Primária Conde Ferreira (v. PT011819140070), a E., e, nas proximidades, a Igreja Matriz de Tabuaço (v. PT011819140020), a NE., e os Edifícios da Escola Macedo Pinto (v. PT011819140071) e da Câmara Municipal de Tabuaço (v. PT011819140025), a SO.. À volta do pelourinho, lajes de granito revestidas por painéis de azulejo, representando os restantes pelourinhos da área do concelho de Tabuaço, como Arcos (v. PT011819020002), Chavães (v. PT011819040003), Granja do Tedo (v. PT011819060004), Sendim (v. PT011819130005) e Valença do Douro (v. PT011819080052).

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Comemorativa: memória de pelourinho

Utilização Actual

Comemorativa: memória de pelourinho

Propriedade

Pública: estatal

Afectação

Autarquia local, Art.º 3º, Dec. n.º 23 122, 11 Outubro 1933

Época Construção

Séc. 16 / 17 / 21

Arquitecto / Construtor / Autor

Desconhecido.

Cronologia

Séc. 15 - época da provável elevação da povoação de Tabuaço a sede de pequeno concelho, uninominal, por iniciativa dos Senhores de Leomil, continuando, no entanto, e até ao séc. 18, anexa, ao nível eclesiástico, à Reitoria e Colegiada de Santa Maria de Barcos que apresentava o cura, depois vigário de Tabuaço; séc. 16 - provável construção do pelourinho; 1527 - o Cadastro da População do Reino regista a existência do concelho de "Tavoaço", constituído por 41 fogos, e nele "não haa outro lugar nem quymta e tem este lugar huua legoa de termo em comprydo e mea em larguo parte e comfromta ho termo delle com ho termo de barcos e com chavões e com o comcelho de tavora e dahy torna ao termo de barcos" (MONTEIRO, 1991); 1537 - a povoação pertencia à Coroa; 1708 - o Padre António Carvalho da Costa refere ter a "Villa de Taboaço" 200 vizinhos, havendo nela um Capitão-mor com duas companhias de Ordenança; 1758 - ao tempo da redacção das Memórias Paroquiais, o concelho de Tabuaço era composto por 184 fogos, residindo nela 458 adultos e 47 crianças, compondo-se as autoridades por um "juis ordinario, Camera sujeita só a Sua Magestade e ministros seos de vara branca desta Comarca de Lamego"; 1769, cerca - criação do Julgado de Tabuaço, abarcando os concelhos de Barcos, Chavães, Longa, Nagosa e Tabuaço, com respectivo juíz de fora que projectará obras, fará orçamentos e distribuirá as despesas por todas as câmaras dos referidos concelhos (FREITAS, 1916); 1836 - 1855 - extinção dos concelhos de Arcos, Barcos, Chavães, Granja do Tedo, Longa, Paradela, Pinheiros, Sendim, Távora e Valença do Douro, que passam a formar o concelho de Tabuaço; 1916 - Luís de Freitas situa o pelourinho no antigo Largo da Fonte, encostado a um pequeno muro que separava o lavadouro público do Largo, e cuja coluna se encontrava sobrepujada por um candeeiro de iluminação pública (FREITAS, pp. 16 - 17); 1934, 6 Junho - o presidente da Comissão Administrativa de Tabuaço, António Augusto da Silva Barradas, através do Inquérito sobre Pelourinhos, n.º 259 da Academia Nacional das Belas-Artes, descreve o estado dos pelourinhos do concelho, referindo, no que concerne ao de Tabuaço, encontrar-se desmontado, parte dele, no largo do mercado, onde se encontra o quartel dos Bombeiros Voluntários de Tabuaço; séc. 20, 1.ª metade - obras de remodelação do antigo Largo da Fonte, com remoção da fonte setecentista (reconstruída na Avenida Marechal Carmona), do lavadouro público e, provavelmente, do que restava do Pelourinho; 2001 - reconstituição do pelourinho no Jardim Conde Ferreira, no meio da vila, a cerca de cem metros para O., do local original de implantação, a partir de fotografias e do fragmento original; o fragmento do primitivo continua em posse de particular, numa quinta vitivinícola do concelho.

Dados Técnicos

Sistema estrutural autónomo.

Materiais

Estrutura em cantaria de granito.

Bibliografia

ALMEIDA, Gustavo de, Pelourinho de Longa - testemunho do passado, in Notícias da Beira Douro, n.º 170, Porto, 25 Janeiro 1996; ALMEIDA, Gustavo de, Pelourinho de Tabuaço, in Correio de Tabuaço, Tabuaço, 1 Julho 2004, p. 12; AZEVEDO, D. Joaquim de, História Eclesiástica da Cidade e Bispado de Lamego, Porto, 1877; CARVALHO, Rui de, Praceta dos Pelourinhos, in Notícias da Beira Douro, n.º 305, Porto, 25 Outubro 2001; CD Portugal Século XXI - Viseu, II, Matosinhos, 2001; CORREIA, Alberto, Tabuaço - roteiro turístico, Tabuaço, 1997; COSTA, Padre António Carvalho da, Corografia Portugueza, e Descripçam Topografica do famoso Reyno de Portugal, tomo II, Lisboa, 1708; COSTA, M. Gonçalves da, História do Bispado e Cidade de Lamego, vol. 6, Lamego, 1992; FERREIRA, Natália Fauvrelle, BARROS, Susana Pacheco, Douro - Rotas Medievais, Lamego, 2000; FREITAS, Luiz de, Taboaço - Notas & Lendas, Tabuaço, 1991 [1.ª ed. de 1916]; GUIMARÃES, Augusto Fernando da Costa, Tabuaço - Concelho, Comarca e Freguesia, in Notícias da Beira DOuro, n.º 147, Porto, 10 Julho 1994; GUIMARÃES, Augusto Fernando da Costa, A segurança do trânsito na freguesia de Tabuaço - as vias romanas e as estradas que não temos, in Notícias da Beira Douro, n.º 154, Porto, 10 Fevereiro 1995; LEAL, Augusto Soares d'Azevedo Barbosa de Pinho, Taboaço, in Portugal Antigo e Moderno - Diccionario, vol. IX, Lisboa, 1881; MALAFAIA, E.B. de Ataíde, Pelourinhos Portugueses - tentâmen de inventário geral, Lisboa, Imprensa Nacional - Casa da Moeda, 1997; MARIZ, José (coord. técnica), Inventário Colectivo dos Registos Paroquiais - Centro e Sul, vol. I, Dezembro, 1993; MONTEIRO, J. Gonçalves, Tabuaço, 1991; PERPÉTUO, João Miguel A., SANTOS, Filipe João C., CARVALHO, Pedro Sobral de, GOMES, Luís Filipe C. e SERRA, Artur Alpande, Tabuaço - Um Passado Presente, Tabuaço, 1999; SENA, Maria Dulcineia Cabral de (coord. técnica), Recenseamento dos Arquivos Locais - Distrito de Viseu, vol. 14, Março de 2000.

Documentação Gráfica

IHRU: DGEMN/DSID; CMT

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID; CMT

Documentação Administrativa

CMT

Intervenção Realizada

Nada a assinalar.

Observações

Autor e Data

João Carvalho 1997 / Gustavo Almeida 2002

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login