Pelourinho de Cinfães

IPA.00004209
Portugal, Viseu, Cinfães, Cinfães
 
Pelourinho oitocentista, de tabuleiro, com soco de dois degraus quadrangulares, coluna de fuste liso, de inspiração toscana, rematada por tabuleiro om pequenos elementos piramidais nos ângulos.
Número IPA Antigo: PT011804030001
 
Registo visualizado 215 vezes desde 27 Julho de 2011
 
   
   

Registo

 
Edifício e estrutura  Estrutura  Judicial  Pelourinho  Jurisdição régia  Tipo tabuleiro

Descrição

Estrutura em cantaria de granito, composta por soco de dois degraus quadrados, sendo o superior de altura sensivelmente dupla da do inferior. Sobre ela pedestal cúbico, onde assenta coluna de fuste cilíndrico afusado, assente em soco e filete. Terminada pelo colarete do capitel, seguido de cimásio e pelo astrágalo. Pequena peça quadrada suporta o remate. O tabuleiro proeminente, quadrangular é constítuido por destacada moldura redonda e a mesa igualmente quadrangular e de face plana, suportando em cada um dos seus quatro ângulos elementos piramidais quadrangulares, direitos na zona inferior.

Acessos

Na zona ajardinada da Câmara Municipal de Cinfães. WGS84 (graus decimais) lat.: 41,074651; long.: -8,095002

Protecção

Categoria: IIP - Imóvel de Interesse Público, Decreto n.º 23 122, DG, 1.ª série, n.º 231, de 11 outubro 1933

Enquadramento

Urbano, em superfície plana, isolado, destacado, harmonizado, em zona ajardinada delimitada por muro em local de interesse paisagístico.

Descrição Complementar

Utilização Inicial

Judicial: pelourinho

Utilização Actual

Cultural e recreativa: marco histórico-cultural

Propriedade

Pública: estatal

Afectação

Autarquia local, Artº 3º, Dec. nº 23 122, 11 Outubro 1933

Época Construção

Séc. 19

Arquitecto / Construtor / Autor

Desconhecido.

Cronologia

Séc. 12 - a povoação integra a honra de Egas Moniz e do irmão Mem Moniz; final - passa para a posse dos Templários; 1290, 05 Novembro - D. Dinis reconhece os privilégios do couto de Cinfães; 1513, 01 Maio - foral novo dado por D. Manuel I; 1836, 29 Novembro - extinção do concelho; 1855 - Cinfães passa novamente a Concelho e construção do pelourinho *1.

Dados Técnicos

Sistema estrutural autónomo.

Materiais

Estrutura em cantaria de granito.

Bibliografia

CHAVES, Luis, Os Pelourinhos - Elementos para o seu Catálogo Geral, Lisboa, 1939; MALAFAIA, E.B. de Ataíde, Pelourinhos Portugueses - tentâmen de inventário geral, Lisboa, Imprensa Nacional - Casa da Moeda, 1997; MONTEREY, Guido de, Terras ao Léu - Cinfães, Porto, 1985; REAL, Mário Guedes, in Revista Beira Alta, vol XXXV, nº. 3, 1976; SOUSA, Júlio Rocha e, Pelourinhos do Distrito de Viseu, Viseu, 1998.

Documentação Gráfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Fotográfica

IHRU: DGEMN/DSID

Documentação Administrativa

Intervenção Realizada

Nada a assinalar.

Observações

*1 - o pelourinho esteve em Sequeiro Longo.

Autor e Data

João Carvalho 1997

Actualização

 
 
 
Termos e Condições de Utilização dos Conteúdos SIPA
 
 
Registo| Login